A paixão de Sofia Buco pela representação

comentar
9
COMPARTILHE
A A A
Sofia Felicidade Alberto Buco de 28 anos, uma cara bem conhecida nas nossas telas, a jovem actriz e apresentadora do programa “BASTIDORES” da TPA1 terminou bem recentemente a sua licenciatura em Ciências da Comunicação.
 
Sofia Buco diz ser muito tímida, quando era criança sentiu a necessidade de entrar num grupo teatral na altura para tentar diminuir a sua timidez. “Era uma adolescente muito tímida e a minha mãe sugeriu que entra-se num grupo teatral, entrei então no grupo Horizonte Nzinga Mbandi onde muito aprendi”. Não se sentido muito realizada e ainda com muitas ambições profissionais teve necessidade de conhecer outros grupos foi então que conheceu e encantou-se com o grupo Henriques Artes vencedor de um prémio na altura, decidiu entrar no grupo onde se encontra até hoje. A paixão pela representação da jovem apresentadora, começou mesmo no teatro uma vez que o trabalho que fazia e as diversas formas de representar a fascinavam.
 
sofiabucoNão ficando por ai Sofia participou em vários castings, mas infelizmente não era aprovada. No meio de várias tentativas surgiram algumas oportunidades como na RNA, LAC,TV ZIMBO, e TPA onde se encontra actualmente. Hoje, Sofia Buco diz que tem muitos projectos, mas tudo ligado a representação “Quero fazer novelas e escrever músicas direcionadas a trilhas sonoras de novelas”.
 
A apresentadora hoje satisfeita com alguns feitos seus, diz que não foi fácil e que no princípio passou por poucas e boas até chegar onde está, sendo órfã de pai e com poucos apoios, Sofia diz que apanhou chuva, ficou doente, e sofreu vários preconceitos e mesmo assim não desistiu pois sabia que o seu dia havia de chegar. Sofia acrescenta ainda que “É necessário que os novos talentos acreditem nos seus potenciais, irem a luta e não aceitarem em propostas tentadoras e nunca desistirem dos seus sonhos e objectivos”.
 
 
Em entrevista com a PlatinaLine a apresentadora e actriz afirmou que feliz ou infelizmente nada foi-lhe dado de graça, que tudo foi adquirido no suor, na dificuldade e que de certa forma agradece por tudo que passou e não se arrepende de nada. “Aceito críticas, mas não admito que me faltem respeito, primeiramente temos que acreditar nos nossos potenciais e só assim mostrar as pessoas do que somos capazes de fazer. É preciso ter fé e pedir a Deus que ajude sempre” afirma Sofia Buco.
 
Texto : Júlia Filipe 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA