Alimentação na menopausa: o que comer e o que evitar?

Alimentação na menopausa: o que comer e o que evitar?

COMPARTILHE
A A A

Em todas as fases do ciclo de vida, é importante realizar uma alimentação equilibrada e diversificada, ou seja, adoptar um padrão de consumo alimentar que inclua alimentos de todos os grupos da roda dos alimentos nas proporções recomendadas.

A menopausa é um processo inevitável na vida de todas as mulheres e não é mais do que um processo biológico natural, em que ocorre a cessação da menstruação por 12 meses seguidos.

Habitualmente, surge entre os 45 e os 55 anos. Esta fase é então, marcada pelo fim do período fértil, momento em que os ovários deixam de produzir estrogênio e progesterona. Suores, redução da energia, ansiedade, complicações ósseas e alterações de humor são alguns dos sintomas da menopausa.

Tanto a cafeína como o álcool devem ser evitados porque aumentam a excreção urinária de cálcio e zinco. A água é fundamental, durante a menopausa as mucosas tendem a ficar desidratadas, sendo necessário um reforço hídrico.

Nesta fase, é importante a mulher reaprender a comer, uma vez que o seu metabolismo tende a abrandar e consequentemente, as suas necessidades energéticas diminuem. Como tal, a alimentação que realizava até então, poderá tornar-se excessiva. Paralelamente a estes aspetos, também ocorre um aumento do apetite e um aumento da apetência para alimentos de elevada densidade energética, o que contribui para o aumento de massa gorda.

O défice hormonal de estrogênio proporciona o aumento na produção de citocinas inflamatórias, que conduzem a uma maior produção do factor de necrose tumoral pelas células T. Este processo é mediado pela liberação de interferon, que ao aumentar a expressão do complexo major de histocompatibilidade classe II na apresentação antigênica, vai levar à activação e proliferação das células T produtoras do fator de necrose tumoral-α. Esta citocina estimula diretamente a osteoclastogénese.

Fonte: MSN Notícias

comentários facebook