Angolanos formados pela Multichoice terão produções nos canais de cinema

Angolanos formados pela Multichoice terão produções nos canais de cinema

COMPARTILHE
A A A

Os dois jovens angolanos, Emanuel Gonçalves e Leandro Lima, que estão a beneficiar da formação profissional pelo do programa de formação da MultiChoice África, em parceria com a New York Film Academy, denominado MultiChoice Talent Factory – MTF, já estão a produzir filmes com a qualidade exigida pelos canais de cinema da MultiChoice África.

Sob realização do angolano Emanuel Gonçalves, a equipa está a produzir um filme de terror com o título The Painting. Trata-se de uma trama de terror psicológico. O jovem cineasta confessa estar apreensivo e empolgado por ter assumido o papel de realizador.

“Estou a seguir a minha visão. Este é o maior projecto em que trabalhei – é uma grande responsabilidade. Se correr mal, a culpa será minha. Se correr bem, África vai celebrar e as portas vão abrir-se para nós.”

Leandro Lima é outro membro da equipa do The Painting. Tal como o Emanuel, Leandro é angolano diz que estar na academia MTF e trabalhar em projectos como Painting está a expandir a sua compreensão na área.

“Não gosto de regras mas sei que para as quebrar tenho de as aprender” diz o jovem estudante da MultiChoice Talent Factory. E nestas e outras reflexões sobre produção cinematográfica que os jovens angolanos consomem tempo na Academia da Região Sul em Lusaka, na Zâmbia.

Emanuel Gonçalves é Natural de Luanda e juntou-se à MultiChoice Talent Factory para aprofundar a sua paixão pela realização. Contudo, à medida que o programa de formação de um ano está a chegar ao fim, sente-se com a mente mais aberta para os ramos da cinematografia e cor, que admite serem duas novas paixões.

Por este despertar para as mais diversas perspectivas e ramos da indústria cinematográfica, Emanuel Gonçalves diz estar muito grato à MultiChoice Talent Factory.

“Tenho aprendido muito com os meus colegas. Passamos muito tempo nos nossos quartos a falarmos sobre filmes. Eles têm visões diferentes e vêm as coisas de diferentes pontos de vista. Por outro lado, os professores fornecem-nos uma nova forma de pensar e compreender a cinematografia. Esta experiência permitiu-me mesmo abrir os meus olhos”.

Tendo desenvolvido a paixão por filmes e criação de vídeos em 2014, sem nenhuma capacitação formal, o Emanuel afirma que a iniciativa de responsabilidade social da MultiChoice África, com o objectivo de alavancar as indústrias criativas em África, estimulando jovens realizadores emergentes de cinema foi um espaço importante para ganhar competências e formação, assim como experiencia profissional para o mundo real.

“É bom sermos talentosos mas é ainda melhor ainda quando temos alguém que nos pode mostrar o caminho e ensinar-nos as regras”.

Desde o seu lançamento em Outubro, 60 estudantes – 20 em cada uma das academias em Lusaka, Lagos e Nairobi – participaram na formação do rico currículo da MTF que incluiu formação prática e aprendizagem baseada na teoria, assim como a oportunidade de trabalharem nos Sets de programas de TV e concorrerem para a possibilidade de passarem o seu de filme no canal Zambezi Magic e muito mais.

Com aproximação da recta final do 1º ano da academia, o Emanuel se revela entusiasmado com a graduação em Setembro. Empolgado com o caminho que tem pela frente, partilhando o seu conhecimento com o mundo e retribuindo conhecimento para Angola, o Emanuel diz, “Depois da MTF, quero fazer filmes excelentes que nos mostrem ao mundo. Não digo que seja fácil, mas contarei histórias africanas.”

“Quando vemos filmes como La La Land ou Capitão Marvel, não são histórias africanas mas são histórias bem contadas e de forma compreensível para uma audiência global. Acho ser importante saber contar histórias através das quais as pessoas possam se rever”.

Por outro lado, Leandro Lima disse que “vem de um contexto de não-ficção, a única experiência que tem com a ficção é o trabalho é vídeos musicais no passado”. Tendo estudado Cinema e Produção de Televisão no Instituto SAE em Cape Town, África do Sul, Leandro concluiu os seus estudos em São Paulo, Brasil. Antes de se juntar à academia, Leandro trabalhou como editor e produtor freelancer e diz que veio para a Multichoice Talent Factory para ganhar conhecimento teórico e prático de uma vasta gama de práticas de cinema.

Actualmente editor assistente e Gaffer no The Painting, Leandro está a aprender sobre as diversas facetas na criação de um filme. Leandro diz que os seus momentos mais memoráveis na MTF incluem aulas com especialistas da indústria tal como o cinematógrafo Jonathan Kovel, que trabalhou em produções vencedoras de prémios tais como Ayanda, o realizador zambiano vencedor de prémios Musola Cathrine Kaseketi e o cineasta sul-africano Neil Brandt.

Gosta de estar em Cape Town, quando não está a trabalhar em Angola, Leandro vê potencial no panorama cinematográfico do seu pais e espera retribuir o seu conhecimento mas, tal como o Emanuel, também quer partilhar o seu talento com o mundo.

“A indústria cinematográfica em Angola está a crescer mas ainda é muito pequena. Há cineastas em Angola mas não acredito que haja muita gente a viver do cinema no país. Para além de outros desafios como o financiamento, a escassez de cinemas, mesmo na capital, torna difícil aos realizadores apresentarem o seu trabalho.”

Com as habilidades ganhas durante a sua estadia na MTF, Leandro sente que está capacitado para partilhar o que aprendeu com os criativos na sua terra natal, onde diz que gostaria de criar uma fundação de cinema.

comentários facebook