As composições actualmente deixam muito a desejar”, diz Bonga

0

Barceló de Carvalho teceu duras críticas relacionadas ao estado actual do mercado musical angolano, que prefere divulgar canções estrangeiras em detrimento das nacionais. De igual modo, o expoente do Semba falou sobre as composições apresentadas nos mais diversos estilos musicais. 

Ao PLATINALINE, o cantor que faz um balanço positivo dos seus mais de 40 anos de vida artística, diz que vê o mercado musical num contexto bastante complicado, pois várias são as lamentações que tem recebido da parte dos profissionais.

“Hoje em dia, o pretexto é o coronavírus, mas nós não nos empenhamos como deveria ser e temos culpa nisso. É muito mais fácil ter um estrangeiro a cantar na nossa terra, do que propriamente a gente caprichar na fruta de casa, o que é muito triste. Compram-se discos internacionais ao invés dos nacionais, não é que não se pode fazer, mas prioritariamente para a nossa nacionalidade e patriotismo, é importante que tenhamos preferência pela fruta de casa, porque se não for assim, fica complicado”, disse o cantor.

Questionado sobre a opinião que tem em relação às composições apresentadas nos mais recentes e variados estilos musicais, o considerado guardião do Semba sublinhou: “Deixam um bocado a desejar.”

“A mulher é que paga tudo, a mulher é a bandida, é a que rouba dinheiro e tantas outras coisas. Nós temos um país tão bonito, com paisagens tremendas, com cenas pitorescas muito lindas, temos crianças imaginativas, criadoras de danças, cenas de famílias, e tudo aspectos de arte. Como é possível que os artistas debrucem apenas coisas que eles próprios não estão a sentir, até há indivíduos que dizem amar, mas não amam coisa nenhuma, porque três meses depois se divorciam, sei de tudo isso! A violência que aumenta, principalmente a violência doméstica. Então, está a falar de amor, mas em casa tem violência?!” Expressou, de forma triste.

Para finalizar, Bonga frisou que as músicas da actualidade retratam uma certa vivência que deixa as pessoas tristes e combalidas. “Vamos retratar a realidade, porque a música muda o carácter das pessoas.”