Biblioteca e Clínica da Cidade Alta custam duas vezes mais que a construção de 17 hospitais

0

Fonte: Novo Jornal

A proposta do Orçamento Geral do Estado (OGE 2020) revisto, que está em discussão na especialidade, prevê uma dotação de quase 4,6 mil milhões de kwanzas para a reabilitação do edifício da Casa Protocolar B e respectiva adaptação para o Centro Clínico Dentário, correspondente a 3,3 mil milhões de kwanzas (, e cerca de 1,3 mil milhões de kwanzas para o estudo e construção da galeria e biblioteca, ambos afectos à Presidência da República. Segundo apurou o Novo Jornal, o Centro Clínico Dentário não estava inscrito no OGE 2020 antes da revisão.

Numa consulta ao documento, o NJ constatou que o montante atribuído às duas infraestruturas ligadas à Cidade Alta e incluídas no Programa de Investimentos Públicos (PIP) é superior ao valor total do PIP, alocado ao Ministério da Educação, de perto de 3,6 mil milhões de kwanzas, para a construção e o apetrechamento de 12 escolas nas províncias de Luanda, Benguela, Kwanza-Norte, Cunene, Bié, Uíge, Benguela, Lunda Norte, Zaire, Kuando-Kubango, Moxico, Lunda-Sul e Kwanza-Sul e para a reabilitação e ampliação do Magistério Primário da Lunda-Sul, da drenagem de esgotos, do Centro de Formação Pedagógica de Benguela, bem como estudos para a aquisição de laboratórios em vários municípios.

Na Saúde, 4,6 mil milhões de kwanzas é uma verba duas vezes superior ao orçamento para a construção de 17 hospitais, num valor perto de 2,1 mil milhões de kwanzas. O dinheiro é ainda três vezes superior à verba de 1,5 mil milhões de kwanzas cabimentado no Projecto de Combate à Malária, principal causa de morte no País, matando, anualmente, mais de 10 mil pessoas, na sua maioria menores de cinco ano.