clã hiperselecto das jovens e belas herdeiras

clã hiperselecto das jovens e belas herdeiras

COMPARTILHE
A A A

Respondem pelo apelido de Bloomberg, Hilton, Lauren, Fendi, Arnault…, têm entre 25 e 35 anos e fazem parte das well born, o clã hiperselecto das jovens e belas herdeiras. Mais do que um simples rótulo, este estatuto está-lhes inscrito no ADN: o pai ou o avô fizeram fortuna no petróleo, nos media, no sector imobiliário, na moda ou na indústria do luxo.

Compete-lhes viverem com esse pedigree. E é aí que as coisas se tornam interessantes. Porque a herdeira é um espécimen em vias de mutação. Bastaram três décadas para redefinir muito claramente a distribuição das cartas. Se ontem ela se contentava em brincar às bonecas de salão, em se pavonear na ponte de um qualquer iate esperando ajuizadamente que um homem a desposasse, hoje ela muda de postura.

Um vento de independência sopra sobre a herdeira da nova geração. Seja na arte de brincar com os nervos do pessoal da imprensa (Paris, és tu?) ou na arte de fazer negócio, a ociosidade já não é opção. Ivanka Trump juntou-se ao grupo familiar no ano passado, Dylan Lauren tornou-se rainha dos bombons além-fronteiras, Delfina Delettrez Fendi presenteia umas happy few com as suas jóias extravagantes. Em suma, a herdeira mostra no dia-a-dia que, mais do que um pedigree fora do comum, tem desejos e talento. A prova das quatro.




A WORKING GIRL AMERICANA
Georgina Bloomberg
, filha de Michael Bloomberg, fundador da Bloomberg L.P. (uma sociedade de informações financeiras) e Presidente da Câmara de Nova Iorque desde 2002.

Dylan Lauren, filha do estilista Ralph Lauren.
Amanda Hearst, bisneta de William Randolph Hearst, grande magnata da imprensa escrita.
Paris e Nicky Hilton, bisnetas de Conrad Hilton, fundador da cadeia de hotéis Hilton.
Hayley Bloomingdale, trineta do criador dos armazéns Bloomingdale’s.
Olympia e Fiona Scarry, netas de Richard Scarry, célebre autor e ilustrador de livros para crianças.

Cabeça de lista
Ivanka Trump
. Filha do magnata do sector imobiliário Donald Trump, encarna a perfeita herdeira à americana, nomeada, aos 29 anos, vice-presidente do departamento de desenvolvimento e aquisições da empresa familiar, a Trump Organisation. Como Ivanka é também uma rapariga sofisticada que se sabe pôr ao mesmo nível dos nobodies como nós, publicou no ano passado um best-seller além-fronteiras, The Trump Card.
Uma bíblia para quem sonha viver como uma herdeira… sem o ser.

Sinais particulares
working girl tem acentuado gosto pelos negócios, pelas cotações da bolsa. Depois de ter passado pelas universidades mais prestigiadas dos Estados Unidos, ou se junta à indústria da família ou se lança a solo. É o caso de Dylan Lauren, que criou a sua empresa de candys há cinco anos. Um passatempo de menina rica a precisar de sensações fortes? Errado. A sua Dylan’s Candy Bar é hoje a maior insígnia de bombons do mundo. E os negócios correm-lhe nas veias, digo-vos eu.

Look
Entediante! A herdeira made in USA é… perfeita. Tão perfeita que se torna enfadonha. Tudo está sob controlo. Uma madeixa louca? As slim um pouco coçadas? O perfecto um pouco rebelde? “O que é isso?” Prefere apostar nos básicos. Acrescentemos-lhe um penteado em banana preso com quatro ganchos, uma maquilhagem exagerada, brincos-pérola, e está completa a panóplia.

QG (Quality Group) Shopping
Pontos de referência? A Quinta Avenida e a Madison Avenue, que percorre em sabrinas Michael Kors quando a limusina da família não se encontra à esquina à sua espera. Uma sorte a sua loja preferida, Bergdorf Goodman, ficar a apenas alguns quarteirões da sua penthouse no Upper East Side.

Criadores preferidos
Diane von Furstenberg para tudo, Jimmy Choo para os escarpins, Ralph Lauren para um estilo chique descontraído, Tory Burch para os acessórios, Tiffany&Co e David Yurman para as jóias.




A FRANCESA AMBICIOSA
Lorraine Ricard
, neta de Paul Ricard.
Prisca Courtin, neta de Jacques Courtin Clarins.
Jessica Sebaoun-Darty, filha de Isabelle Darty, herdeira Darty. Casou em 2008 com Jean Sarkozy. 
Athina Onassis. Esta jovem franco-grega é a única herdeira do famoso armador.

Cabeça de lista
Delphine Arnault. Aos 35 anos, ela tem tudo a seu favor. Um físico de modelo e um cérebro sempre alerta. Em 2001, junta-se à empresa da família. É actualmente directora-geral adjunta da Dior e membro do Conselho de Administração da LVMH. Do pai herdou a discrição, a humanidade, a determinação e um verdadeiro sentido do luxo.

Sinais particulares
A discrição. A herdeira francesa não dá azo a falatórios. É o desgosto do pessoal da imprensa. O seu segredo? Ser empreendedora. Juntar-se ao grupo da família e trabalhar. Ambiciosa e determinada: são estes os principais traços de personalidade desta rapariga do Cac 40 (índice bolsista). Orgulhosa também, porque em nada renega as suas origens. E tem orgulho no património da família, no sucesso dos seus antepassados. Está, pois, traçado o seu destino: participar nesta bela aventura.

Look
Clássico sofisticado. Aposta na sobriedade e na simplicidade. Gosta de bons materiais. É a encarnação do anti-bling-bling. Um look discreto que corresponde ao seu temperamento de low profile ambiciosa.

QG Shopping
A rua de Passy em todos os sentidos. As galerias de Franck et Fils já não têm segredos para elas. O Montaigne Market continua incontornável para se chegar a criadores mais actuais. Para uma beauty pause, Dior Institut, na Plaza Athénée (ou o spa Clarins, no Royal Monceau). Louca p
or arte contemporânea, atravessa o Sena para ir às galerias da margem esquerda.

Criadores preferidos
Dior evidentemente, roupa e acessórios. E os outros clássicos da elegância: Hermès para os lenços de pescoço, Chanel para o famoso casaquinho de tailleur, Gaia Repossi para as jóias, Chloé para os sapatos, Vuitton para as estolas.




A INGLESA EXCÊNTRICA
Holly Branson
, filha de sir Richard Branson, criador da Virgin.
Tamara Ecclestone, filha do patrono da Fórmula 1, Bernie Ecclestone.
Sofia Barclay, filha de Aidan Barclay, presidente do Telegraph Media Group, e neta de sir David Barclay.
Mary Olivia Charteris, filha de Catherine Guinness e sobrinha de Daphne Guinness, herdeira da bebida com o mesmo nome.
Sophia Fermor-Hesketh, filha de lord Alexander Hesketh. 

Cabeça de lista
Lady Eloise Anson. Filha do fotógrafo lord Patrick Lichfield, primo da rainha Elisabeth II, é imprevisível até no corte de cabelo. Brinca ora aos modelos, ora aos profissionais de maquilhagem, ora às actrizes ou aos rostos de uma marca. É amiga do príncipe William.

Sinais particulares
A Brit girl tem o seu quê de loucura. Ora trash, ora rebelde, lady ou punky… Algumas estudam comédia ou história de arte ao passo que outras tentam a pediatria. Aliás, não é raro que a herdeira britânica faça tudo isso ao mesmo tempo. É inútil procurar uma lógica, porque não existe. Idem no que toca ao sítio onde vive: oscila entre Londres, Nova Iorque, Genebra e Paris. É uma ave bastante instável e muito independente. Voar com as suas próprias asas, é disso que gosta (mas no avião do papá!).

Look
Inesperado, à semelhança do seu temperamento. A herdeira britânica foge às convenções e aos códigos. Só faz o que quer. Isso traduz-se em conjugar estampados improváveis, vestidos de alças no Inverno, peúgas de lã em pleno Verão… Não adianta procurar uma lógica na moda delas, porque não existe.

QG Shopping
Liberty, evidentemente, sobretudo depois de esta loja chiquérrima ter sido remodelada. Pavoneia-se também por Kensington, enfia-se pela Mount Street e detém-se chez Lanvin, Azzaro e Louboutin. Herdeira ou não, adora o vintage e vagueia também pelos lados da Brick Lanepara para conseguir algumas belas velharias. Paragem obrigatória no Dover Street Market, o correspondente londrino do le Colette, onde não raro nos cruzamos com Daphne Guinness.

Criadores preferidos
Ingleses um pouco bizarros como Matthew Williamson, Giles Deacon, Gareth Pugh, Henry Holland. Gosta também do classicismo de Max Mara e de Burberry.




A ITALIANA, A FANÁTICA DA MOSA
Bianca Brandolini d’Adda, filha do conde Ruy Brandolini d’Adda.
Delfina Delettrez Fendi, bisneta de Adele e Edoardo Fendi, fundadores da casa de alta-costura.
Allegra Versace, filha de Donatella Versace e sobrinha de Gianni Versace.
Beatrice Trussardi, bisneta do fundador da Trussardi.

Cabeça de lista
Margherita Missoni, neta de Rosita e Ottavio Missoni, criadores da ilustre casa de costura. Aos 27 anos, é ela a embaixadora da marca da família, como também do mais recente perfume da casa. No ano passado, Angela, sua mãe, nomeou-a directora artística do departamento de acessórios da marca. Na sequência disso ela assinou a sua primeira colecção de malas, baptizadas com os nomes LSD, Euge, Coco B e Tats, em homenagem às suas amigas Lauren Santo Domingo, Eugenie Niarchos, Coco Brandolini e Tatiana Santo Domingo. Que nata… Normal para uma fanática da moda!
La bella ragazza não esquece o seu sonho de criança: ser actriz.
Prossegue, portanto, com os seus cursos de arte dramática em Nova Iorque.

Sinais particulares
Um espírito boémio. A herdeira italiana é uma artista, uma faz-tudo, modelo, desenhadora e actriz nas horas vagas. De uma maneira geral tem bastante jeito de mãos. Não é, portanto, raro que se lance na criação. É o caso de Delfina Delettrez Fendi. Há três anos que cria a sua própria marca de jóias de inspiração “Tim burtonesca” e tornou-se a menina querida dos críticos de moda. Outro sinal distintivo: a herdeira italiana é uma aguerrida socialite.

Look
Extremamente cuidado, com muito estilo. Esta rapariga é uma fanática da moda. Ela cresceu entre máquinas de costura, croquis, protótipos, tecidos. Resultado? Sabe melhor do que ninguém como usar os estampados, dosear o leopardo, atar uma estola…, tudo isso com uma desenvoltura desconcertante. O seu segredo: retomar criações vintage da casa Fendi. Quando o apelido é Fendi ou Missoni, não há nada a fazer.

QG Shopping
Peças únicas, dito de outra forma a garantia de nunca usar a mesma indumentária que a vizinha. Para umas compras actuais, ir direita à Luna&L’Altra em Roma e ao 10 Corso Como em Milão.

Criadores preferidos
Todos cujo nome acabe em “i” ou em “a”: Gucci, Missoni, Fendi, Cavalli, Prada, Zanotti, Valli… Chauvinista, a herdeira italiana?

NEGROS DESTINOS
Más companhias, toxicodependência, mortes misteriosas…
A cobiçada vida das herdeiras transforma-se por vezes numa tragédia.
Barbara Hutton. Neta do fundador da cadeia de grandes armazéns Woolworth, herda, em 1933, aos 21 anos, 150 milhões de dólares. Barbara tem seis anos quando a mãe se suicida.

A rapariguinha introvertida e instável viria a tornar-se um avisado elemento do jet-set. Casou sete vezes, uma das quais com Gary Grant. O seu único filho morreu em 1972 num acidente de avião. Barbara nunca mais se recompõe. Acabou os seus dias sozinha, numa suite do Beverly Hills Hotel, entre garrafas e barbitúricos.

Diane Barrière-Desseigne. Em 1995, o bimotor particular que a transporta de Saint-Tropez para La Baule cai. Aos 38 anos, a filha adoptiva de Lucien Barrière sai deste acidente com vida mas gravemente ferida. Fica tetraplégica. Morre em 2001.

Robin Whitehead. Era neta de Teddy Goldsmith, o fundador da revista The Ecologist. Aos 27 anos, em Janeiro passado, a jovem fotógrafa britânica é encontrada morta por overdose em casa de um amigo, quando filmava um documentário sobre Pete Doherty.

Christina Onassis. Filha do armador grego multimilionário Aristóteles Onassis. Nascida em 1950, em Nova Iorque, terá sofrido bastante com os amores tumultuados dos seus pais. Reconhecida pelas suas qualidades de businesswoman, mãe de uma filha, Athina (com Thierry Roussel), Christina trabalhou na empresa da família. Entre 1973 e 1975, perde sucessivamente o irmão, a mãe e o pai. Difícil mudar de rumo. Conhecida pela sua dependência das drogas, morre prematuramente aos 37 anos, em Buenos Aires, de ataque cardíaco.

comentários facebook