Concerto 3G do Semba causa um misto de emoções, afecto e empatia entre os músicos e fãs

0
{"source_sid":"E3B3298D-DA26-4A70-8EE7-1EB1C3DE5444_1593355616400","subsource":"done_button","uid":"E3B3298D-DA26-4A70-8EE7-1EB1C3DE5444_1593355616388","source":"other","origin":"gallery"}

Por: Stella Cortez

Neste domingo, 28 de Junho, o Semba esteve em alta nas vozes de Bonga, Paulo Flores e Yuri da Cunha, durante o live show denominado “3G do Semba”, transmitido pela Televisão Pública de Angola, e no PLATINALINE, um concerto que, por algumas horas, “paralisou” o país.

Aguardado por muitos, o concerto que agitou as redes sociais simbolizou um momento de exaltação ao patriotismo e resgate da identidade cultural, valores bem vincados, durante cada composição interpretada pelos gurus do Semba. Perante a iniciativa que conectou três intervenientes que ultrapassam o universo das artes musicais, os artistas tiveram a dura missão de abrir uma nova página na história, unindo uma nação por via da música.

O concerto continua a estremecer as plataformas digitais por intermédio das imagens de momentos em família, onde velhos, jovens e adolescentes tiveram um período memorável, de criatividade pura, irmandade, fraternidade e solidariedade.

Lê-se nas contas de algumas figuras públicas comentários como: “Foi épico, familia”, “O verdadeiro significado de expectativa ultrapassada, e assim foi! Vivi para ver isso, vivo para aprender e beber o vosso amor pela arte. Obrigado, ídolos da nossa música”, “Ontem, tive a certeza que ainda existe uma esperança. Obrigado, cotas Bonga, Paulo Flores e Yuri da Cunha”, “Live que passou a show, e de show para aula de Team Working”, escreveram Big Nelo, Puto Português, Agnelo Henriques, Tigre Chieta entre outros artistas.

Já Bonga, na sua página do Facebook, questionou os fãs sobre o que acham de um bis. “Quem concorda comigo?”.

Com a realização deste concerto solidário, o dia 28 de Junho entrou para a história do cancioneiro angolano.

Em termos originais, o concerto teve de tudo um pouco: Emoção, afecto e grande empatia entre os músicos e um povo que, à distância, se rendeu às estrelas.

{“source_sid”:”E3B3298D-DA26-4A70-8EE7-1EB1C3DE5444_1593355616400″,”subsource”:”done_button”,”uid”:”E3B3298D-DA26-4A70-8EE7-1EB1C3DE5444_1593355616388″,”source”:”other”,”origin”:”gallery”}