Como controlar o uso de internet pelas crianças

Como controlar o uso de internet pelas crianças

COMPARTILHE
A A A

Por: Sued de Oliveira

Donas de Smartphones e tablets, as crianças estão cada vez mais conectadas à internet e a nova realidade dos pequenos internautas exige dos pais uma série de cuidados quando o assunto é conteúdo adulto no ciberespaço.

Uma das dúvidas é sobre como evitar que crianças tenham acesso a links com vídeos, fotos e outros artigos com apelo sexual, violento e até ilegal, nesse caso, a supervisão por parte dos pais pode ajudar a preservar as crianças.

Activar o “modo de segurança” em navegadores, computadores e telemóveis, contribui bastante na hora de evitar que elas avistem banners comerciais e páginas de web indesejadas. Algumas dicas dos próprios fabricantes de software e empresas de Internet como Google, Microsoft e Apple podem fazer a diferença na hora de proteger o que os pequenos acessam:

1) Navegadores e busca
Todos os browsers oferecem nas suas configurações ferramentas para segurança. No Google Chrome, a página de Preferências oferece o Safe Search (Busca Segura), que elimina das pesquisas todos os conteúdos impróprios. Para isso, basta clicar em “Filtrar Resultados Explícitos.” Ao clicar “Bloquear o Safe Search”, alterações só ocorrem mediante a sua senha.

Para indicar que o Safe Search está bloqueado no navegador, o Google adiciona bolas coloridas à parte superior de todas as páginas de pesquisa. Se as bolas coloridas não estiverem lá, o Safe Search não está mais bloqueado e os resultados podem aparecer.

O Safari, no Mac OS X, oferece uma mensagem de aviso quando o navegador vai para uma página “suspeita”. Quem deseja ter esta configuração de segurança precisa ir ao “Menu Preferências – Segurança” e selecionar a opção “Avise antes de entrar num site Suspeito”. No Mac OS, também é possível criar uma nova conta de usuário com bloqueios de acesso.

O Mozilla Firefox criou uma página chamada “Controle dos Pais” que é específica para segurança das crianças. Lá existem opções diversas para limitar o conteúdo de acordo com o critério dos pais. Isso incluir páginas adultas, com imagens violentas e artigos não adequados.

No Bing, buscador padrão no Windows, basta clicar no ícone de engrenagem (configurações e adicionar o filtro “restrito” para proibir textos, imagens e vídeos adultos nos seus resultados.

2) Youtube
Com a dinâmica das publicações de vídeos e o aumento do número de usuários, é praticamente impossível o Youtube verificar rapidamente um vídeo inadequado. De facto, as denúncias recebidas por usuários ajudam, mas não resolvem o problema.

Embora a Política de Publicação do Youtube diga que pornografia não é permitida, a dica para evitar este tipo de conteúdo é seleccionar e activar o botão de segurança, localizado no rodapé do próprio site.

comentários facebook