Diplomatas reuniram-se para celebração dos 197 anos de Independência do Brasil no...

Diplomatas reuniram-se para celebração dos 197 anos de Independência do Brasil no CCBA

COMPARTILHE
A A A

Por: Iraneth da Cruz

Fotos: Edueni António

A 7 De Setembro de 1822, marcava o início histórico do Brasil como país Independente. Nesta quinta-feira, 12 de Setembro, por volta das 19 horas, o corpo diplomático da comunidade brasileira esteve reunido para celebrar o centésimo nonagésimo sétimo aniversário (197º) da República Federativa do Brasil.

O evento teve lugar no Centro Cultural Brasil Angola, foi aberto com o hino nacional do país e, logo de seguida, o discurso do Embaixador do Brasil em Angola, Paulino Franco de Carvalho Neto. “Nós os Brasileiros nos identificamos profundamente com África e nos orgulhamos disso. Entre nós, a África está presente na língua, na cultura, na comida, na religião, na dança e no DNA. A África tem lugar sólido no edifício da nacionalidade brasileira, isso deve-se em grande medida à contribuição de Angola e dos angolanos ao longo da nossa história”, disse o Embaixador.

Em entrevista ao PLATINALINE, o embaixador falou também sobre as relações culturais entre Brasil e Angola. “O Brasil tem uma cultura popular muito rica na música, nas artes cénicas, artes plásticas, nas telenovelas e essa indústria cultural brasileira é reconhecida não só no Brasil, mas em muitos outros países, então, essa riqueza da cultura popular brasileira é que nós queremos divulgar em Angola.”

Sobre o intercâmbio cultural entre Angola e Brasil, o Embaixador salientou: “Especificamente em Luanda, nós queremos utilizar esse palco que temos aqui, que é o Centro de Conferências Brasil Angola, para promover o intercâmbio brasileiro, através do novo instituto que foi criado, Guimarães Rosa, que é um instituto cultural similar ao Instituto Camões, à Aliança Francesa e outras instituições internacionais de cultura que representam outros países, nós queremos promover a cultura brasileira no exterior, e Luanda foi escolhida”, disse o Embaixador.

Por este caminho, nós esperamos arrecadar recursos do sector privado, inclusive para fazer eventos, manifestações, promover o ensino da língua portuguesa para preparar alunos que queiram estudar no Brasil, estes fariam o curso preparatório aqui em Angola, curso de língua e de artes plásticas, de culinária, e outros. Então, é um pouco movimentar a cultura brasileira em Angola, como já se tem feito e queremos aumentar”, finalizou o Embaixador do Brasil em Angola.

O evento foi prestigiado por entidades angolanas e brasileiras, contou com actuação de Gari Sinedima e um Cocktail com quitutes das terras brasileira e angolana.

comentários facebook