Eglélia Mendes, a adolescente influenciadora angolana de 14 anos e os seus 51 mil seguidores no YouTube

0

“O meu principal objectivo para o canal é ir cada vez mais longe, sem fazer um mau conteúdo”

Por: Sued de Oliveira

Apesar de apenas 16% da população angolana ter acesso à internet, algumas pessoas (adolescentes maioritariamente) já começam a usá-la como ferramenta de expressão e partilha de ideais, ou simplesmente como uma fuga de escape ou terapia, mas a verdade é que influenciadores como a Eglélia Mendes surgem cada vez mais e é sobre este prodígio do YouTube que vamos falar neste artigo.

Com 14 anos de idade, a menina, natural de Luanda e conhecida no Youtube por “a impopular Mendes”, grava vídeos onde expõe a sua opinião sobre diversos assuntos, luta contra o preconceito, assume-se como uma pensadora livre e dá a cara ao extremo e ousado, com temas fortes como: “Sim, eu sou prostituta”, “Matei a minha melhor Amiga” e outros.

Carismática, doce e inteligente, Eglélia é a única Youtuber em solo nacional que soma mais de 50 mil subscritores na plataforma, produzindo conteúdo próprio. Quando começou, há dois anos, Whindersson Nunes, o astro da Web no Brasil, foi a sua motivação. “Ele faz as pessoas felizes” – disse ela, acrescentando que queria fazer a diferença, precisava de um propósito, do toque especial, e quando se sentiu preparada para embarcar nesta jornada e dizer o que sente, pegou numa câmera e abriu o seu coração para as pessoas, com vários contos interpretados na primeira pessoa, todos escritos por si e a iniciativa resultou.

Os seguidores foram surgindo, os números diziam que ela estava na direcção certa e muito embora não produza vídeos de qualidade cinematográfica, passa dos 300 mil acessos em alguns dos seus vídeos, chegando a mais de um e meio milhão de visualizações no total, nada mal para uma menina que só está a marcar os seus passos iniciais.

Jovens com este espirito não deixam dúvidas sobre as escolhas que fazem e o futuro que pretendem plantar no presente e, quanto a ela, o que será que pretende fazer no futuro? O que se pode esperar dela? E a resposta:

“Eu deixo a vida me levar, não sei o que pretendo ser, mas, com certeza o YouTube, é algo que não largarei, porém se tivesse uma oportunidade de trabalhar na TV, aceitaria”, disse Eglélia.

E para quem só agora começou a sua experiência na Plataforma, aqui fica a mensagem da adolescente:

“Não desistam por mais que as pessoas que vos acompanham sejam poucas, temos que acreditar no nosso conteúdo e continuar a insistir, mesmo que for só uma pessoa que goste, porque eu fiquei um ano inteiro a fazer vídeos no YouTube para apenas 5 pessoas e só depois começou a aumentar. O meu principal objectivo para o canal é ir cada vez mais longe, sem fazer um mau conteúdo”

EGLLE