Em cem dias, Dilma de Governo Dilma já leu Livros de escritores...

Em cem dias, Dilma de Governo Dilma já leu Livros de escritores Angolanos Pepetela e Agualusa

COMPARTILHE
A A A

Roberto Stuckert Filho/Presidência 08.04.2011

Se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encerrou seu mandato mais conhecido como “o cara”, Dilma tem demonstrado fôlego para se tornar a mais pop entre todos os ocupantes do cargo.

A adoração dos geeks, aqueles obcecados por tecnologia, ficou evidente após a divulgação de que a presidente não desgruda de seu iPad, o tablet da Apple. Logo pela manhã, ela devora jornais brasileiros e internacionais, verifica emails e, à noite, ainda encontra tempo para ler livros. O mais recente, uma biografia do ex-presidente norte-americano Abraham Lincoln, foi comprado pela Amazon. Mas ela também já teve sua fase de escritores angolanos, como José Eduardo Agualusa e Pepetela.

A paixão de Dilma por seu brinquedinho tecnológico é tanta que ela intimou o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, a propor medidas de incentivo tributário e de crédito para a popularização dos tablets.

– Ela acha que isso poderá, num prazo razoavelmente curto, significar um aumento muito grande da produtividade do trabalho, melhor aproveitamento da estudantada na escola, melhor desempenho dos professores, as empresas serão altamente beneficiadas

Estrelas

O lado pop também foi ressaltado por dois convidados que recebeu ao longo de seus primeiros 100 dias de governo. Em março, Dilma abriu as portas do Palácio do Planalto para a cantora colombiana Shakira, que veio pedir ajuda para a fundação que ela coordena em seu país. A entidade, criada pela cantora, cuida de crianças carentes.

Na sexta-feira (8) foi a vez de os irlandeses do U2 desembarcarem no Palácio da Alvorada. O vocalista da banda, Bono Vox, veio conversar sobre ações de combate à Aids e de erradicação da miséria, bandeira de Dilma. Ao final do encontro, a presidente levou os músicos para conhecer a capela do palácio.

Jornada

O que mais impressiona no ritmo que Dilma vem imprimindo ao seu governo é a carga horária. Ela chega ao Palácio do Planalto entre 9h e 9h30 e facilmente estende a jornada de trabalho até as 22h. Ela não sai de seu gabinete nem para almoçar. Na conversa com Hebe, ela justificou.

– Quem está no governo tem é de trabalhar mesmo.

Os finais de semana, no entanto, são intocáveis. Avessa ao tradicionalismo do Alvorada, Dilma prefere repousar na residência oficial da Granja do Torto. Segundo ela, o lugar tem mais cara de “casa mineira”.

É lá, inclusive, que corre solto um velho companheiro de Dilma, o labrador Nego. Presente do ex-ministro José Dirceu, que deu o cachorro quando Dilma ocupou a residência reservada aos ministros da Casa Civil, Nego virou o xodó da presidente a ponto de aparecer na televisão durante a campanha eleitoral.

comentários facebook