Em Grande Entrevista: Nadir Tati: "Sou uma cidadã do Mundo "

Em Grande Entrevista: Nadir Tati: "Sou uma cidadã do Mundo "

COMPARTILHE
A A A

 

 

Fui registrada como… Nadir Luzianne Casimiro Tati

MMFC0073

Nascimento: Luanda- Angola
Na TV assisto: Tudo sobre noticias, moda, crimes e animais

Não assisto na TV: Novelas

Nas horas livres: Tenis e natação

No cinema: A cor Purpura 

Música: Jazz
Livro: “The Law of Power” de Robert Greene

Prato predileto: Gambas ao alho

Pior presente: Uma langerie que não entrava
O melhor do guarda-roupa: Vestidos, não vivo sem eles
Perfume: Chanel sempre!

Mulher bonita: Leila Lopes Miss Angola

Cantor: George Benson

Cantora: Aretha Franklin

Ator: Denzel Washington

Atriz: Angelina Jolie 

Animal de estimação: Tartaruga , tenho uma em casa

Escritor: Paulo Coelho

Arma de sedução: O meu Corpo

Melhor viagem: “Holywood”

Sinônimo de elegância: jacqueline Kennedy
Melhor notícia: Quando soube que ia ser mãe

Inveja: sentimento que detesto! Muito feio nas pessoas.
Ira: Transito. Faz-me mal.
Gula:
Starbuks café Caramel Macchiato e comida Japonesa

Cobiça: tops e tops do mundo da moda

Luxúria: “ relogios e Sapatos”

Preguiça: Sair a noite , ir a uma discoteca
Vaidade: adoro pensar no que vou vestir, no que vou comer e gosto de ser bem servida

Mania: “Chata” estou sempre a trabalhar e a tentar que os outros sigam o meu ritimo que é pesado. Durmo muito pouco!

Filosofia de vida:” Seja forte onde se é fraco”

Lagrimas Representam quase sempre felicidade e algumas vezes tristesa

 

 

 

 

 

Platina Line: É mulher de varias profissões e varias facetas, O que responde quando lhe perguntam qual é sua profissão?

Nadir: Estilista, consultora de moda e sociologa Criminal.

 

 

 

Platina Line: Tem exercido a sua profissão em todas áreas ?

Nadir: Não. Neste momento dedico muito tempo à moda. Também escrevo sobre Criminologia e dou o meu contributo nesta area quando me é solicitado.

 

 

 

Platina Line: Como começou a sua história no mundo da moda?

Nadir: Primeiro como modelo enquanto residi na Africa do Sul e depois como estilista. Desde pequena que gostava de desenhar e assinar o meu nome em tudo o que era papel em casa. Tudo começou muito cedo por influencia da minha mae que era secretária principal numa empresa de petroleos, costureira, cozinheira,barbeira e tem 5 filhos! Penso que desta maravilhosa mulher herdei este espirito de luta.

 

Fotos_Press

 

Platina Line: E como foi a sua passagem como Modelo?

Nadir: Interessante, pois na altura o numero de modelos negras era mesmo reduzido. Em Cape town consegui fazer trabalhos bonitos e conheci pessoas interessantes ligadas a este mundo da moda. Por ter caracteristicas muito especificas consegui bons trabalhos. Eu sempre gostei de moda e de tudo o que envolvia a moda. A minha paixao pela fotografia também começou nesta altura. Não vivo sem a minha maquina fotografica, ela vai comigo a todo o lado e tenho trabalhos lindos que um dia irei divulgar.

 

 

 

Platina Line: Sei que viveu em muitos países, Foi fácil viver fora de Angola?

Nadir: Não foi dificil. Quando somos afastados dos nossos amigos e familia é sempre estranho mas rapidamente nos recompomos e temos que ter a capacidade de nos adaptar e seguir os objectivos traçados por mim e pela minha familia fazendo com que deste modo tudo seja bem mais facil. Lembro-me que quando vivi na China achava sempre que estava perante um desafio pesado começando pela língua e a prória cultura Chinesa, mas desde cedo aprendi que” a melhor forma de começar é extamente no lugar que estou!. Mas, fora disso os Estados Unidos, Portugal, Alemanha incluindo o Mexico foi muito interessante.

 

 

 

Platina Line: A moda serviu para mostrar que ninguém é perfeito e que a beleza não é a perfeição. Há até, nas passerelles das principais capitais europeias, a procura da vulgaridade, fala-se no culto do feio… qual é seu conceito sobre isso?

 

Nadir: Não gosto do estilo extremamente perfeito. A minha definição é  algo entre o extremamente feio e o extremamente fantastico. Nos desfiles as pessoas esperam por surpresas e excitação e isso diz tudo.

 

 

 

Platina Line: A fama , e em tão pouco tempo ser uma das grandes mulheres da moda Angolana , são expressões que a assustam.

Nadir: Não. A fama não é importante,  o importante é poder vestir uma pessoa e fazer com que ela seja feliz e desta forma ir conquistando varias pessoas e o mundo. Gosto de desenhar roupas que revelam personalidade e que cada uma delas seja uma nova história.

 

 

 

Platina Line: Há traços que definem o seu estilo, neste caso e falando na roupa para mulher, podemos considerá-la muito feminina, africana e original.?

Nadir: Sou uma cidadã do mundo e o meu estilo reflete isso mesmo tem a ver com a minha personalidade e a minha forma de estar. Sou muito feminina, africana e não tenho como esconder pelo contrario sempre tirei vantagem desta minha originalidade. O ser diferente, adoro ser diferente.

 

 

Platina Line: Como é o seu processo criativo? Fale sobre a escolha do tema das suas coleções até seus aspectos gerais.

Nadir: A coleção é composta por muitos componetes desde as horas ou meses de estudo do tema escolhido , a compra de tecidos e de varios materiais, a forma como desenho até ao resultado final que é a apresentaçao e o trabalho com os modelos tudo isto acompanhado de de uma boa dose de inteligencia, paciência, espirito e sensualidade.

 

 

nadir

Platina Line: às novas tecnologias de design e de informação, estão presentes no seu processo de Criação?

Nadir: As minhas peças são verdadeiras e originais . Enquanto vivi no exterior não tinha como fugir a todo o processo de design informatico mas aqui em angola este tipo de tecnologia infelizmente ainda não funciona.

 

 

 

Platina Line: O que é mais importante no processo criativo de um estilista, a criatividade ou a intuição?

Nadir: A criatividade é extremamente importante no processo de criaçao pois sem ela não conseguimos desenvolver ideias e adaptar estas ideias ao produto que esta a ser feito juntando a intuição pois é necessário estarmos atentos e saber qual a melhor altura para se por em pratica o que foi criado. Nem sempre resulta pois é uma questão de precisão, saber qual é o momento certo.

 

 

 

Platina Line: No Mundo da moda o que é mais importante ter algum talento natural ou “constrói-se” esse dom com a experiência?

Nadir:E importante ter um talento natural. Será sempre mais facil. Tenho estado com alguns jovens que querem ser estilistas e é impressionante a força da heridetariedade. Os jovens que tem um membro da familia que gosta de moda ou que costura já está a um passo em relaçao aos outros. Agora também podemos contruir e desenvolver este dom. Muitos estillistas começaram tarde e hoje estao entre os melhores no mundo.

 

 

 

Platina Line: Nadir, Fale-nos sobre a Coleção “ A Força de áfrica” que vai apresentar em Nova York , nos Estados Unidos . Como foi o processo criativo para montar esta coleção?

Nadir: A força de Africa é uma coleçao inspirada em Africa mais precisamente nos paises africanos que conheço. Foi a minha maneira de dar o meu contributo a africa e especialmente a mulher Africana que está presente no meu dia a dia.

Tenho sempre duas coleções anuais e é com base neste calendario que me inspiro tendo em conta a localizaçao e o factor tempo. Os Estados Unidos da America é um país que vivi algum tempo mas precisamente na Carolina do Norte onde tive a oportunidade de observar o desenvolvimento da moda africana que era nulo e o número de americanos com uma forte descendencia Africana é muito grande entao, existe um mercado grande na procura dos tecidos, da comida, na procura de uma identidade e com o Africa Fashion Week Nova Iork eu senti a importancia em levar a este povo as suas origens africanas.

 

 

 

Platina Line: Já agora conte-nos como surgiu convite para estar neste prestigiado evento da moda ?

Nadir: Os organizadores dos eventos de moda estao atentos aos eventos que vao surgindo em todo o mundo. Africa é um continente que tem mostrado um grande desenvolvimento neste sector e ai o interesse em divulgar o melhor que este continente tem para oferecer.

 

 

 

Platina Line: Que dica você dá para os estilistas que estão como você entrando a tão pouco tempo no mercado? Em sua opinião, existe mesmo a famosa ‘fórmula para o sucesso’?

Nadir: Eu tenho 8 anos no mercado como estilista e mais de 15 na moda portanto é uma area que conheço e sei que posso fazer a diferença, nunca para ser mais uma . E preciso trabalho e acreditar no nosso trabalho. Temos sempre um ponto de partida e o interessante é subir a montanha e divertir-se em cada passo para atingir o cimo da montanha se não nunca seremos felizes.

 

 

nadir_tati

 

Platina Line: A moda em Angola tem dado passos significativos? 

Nadir: Com certesa. Falar de moda hoje é falar de desenvolvimento. Temos alguns eventos como o Angola Fashion Weeek, o Moda Luanda, O Huila Fashion, Fashion Business Angola e outros que já tem movimentado milhares de pessoas e temos visto um aumento significativo de Estilistas nacionais e Internacionais a fazerm parte destas festas de moda e nesta ordem de ideias é necessário continuar a acreditar nas capacidades destes criadores fazendo com que se comece a exportar o que é nosso o que irá beneficiar o país contribuindo deste modo para o desenvolvimento da económia Angolana

 

 

 

Platina Line: Dedica muitas horas ao seus trabalhos? 

Nadir: Muitas! O trabalho de um artista é um trabalho que nunca termina. Praticar e cultivar habitos de discilina é importante para a realizaçao de qualquer sonho. Sou muito observadora e estou sempre a criar. O trabalho em grupo encoraja o desenvolvimento de ideias e isso é fundamental.

 

 

Platina Line: Que trabalhos notáveis já realizou em Angola?

Mister Angola 2008, Miss Angola Espanha 2010, Angola fashion Week, Moda Luanda, Moda cabinda, Huila Fashion e o Fashion Business Angola.

 

nadir56

 

Platina Line: Existe um ponto alto da sua carreira?

 

Nadir: Cada evento representa um ponto alto. Não tenho limites.

 

 

Platina Line: Que trabalhos gostava de fazer e ainda não fez?

Nadir: Gostava de trabalhar e dedicar mais tempo as crianças de rua, as crianças de Angola, as crianças abandonadas pois foi por isso que me formei em sociologia Criminal mas como tudo … o dia só tem 24 horas.

Platina Line: E o que falta para materializar essa ideia?

Nadir:

comentários facebook