Emirates regista lucros pelo 29º ano consecutivo

Emirates regista lucros pelo 29º ano consecutivo

COMPARTILHE
A A A

Grupo regista receitas avaliadas em 670 milhões de dólares

  • Crescimento estável do negócio em linha com o aumento da capacidade; Resultados demostram resiliência em ano turbulento e muito competitivo.
  • Aumento significativo no investimento rondando os 3.7 biliões de Dólares.

Emirates apresenta receitas de 340 milhões de dólares

  • A capacidade da companhia ultrapassou os 60 biliões de ATKM- Capacidade global, medida em toneladas, disponível para o transporte de passageiros e de carga multiplicada pela distância percorrida;
  • 35 novas aeronaves entregues e 27 aviões retirados de circulação;
  • Receita estável de 23,2 biliões após 572 milhões serem atingidos devido ao câmbio desfavorável.

Dnata obtém o maior lucro de sempre 330 milhões de dólares

  • Receita recorde de 3.3 mil milhões de dólares reflecte a expansão do negócio com empresas internacionais, representando 66% da receita;
  • Expansão das aquisições no continente Americano, construção de novas instalações e aumento da capacidade dos serviços no aeroporto, no sector da carga e no catering.

 O Grupo Emirates, dos Emirados Árabes Unidos, apresentou, no passado dia 11, o seu 29º ano consecutivo de lucros e de expansão estável dos negócios, apesar do ano turbulento para o sector da aviação.

No seu relatório anual de 2016/2017, o Grupo Emirates divulgou lucros de 670 milhões de dólares no ano fiscal encerrado no dia 31 de Março de 2017, uma queda de 70% em relação ao lucro recorde do ano passado. Mas, mesmo assim, as receitas do grupo atingiram 25.8 mil milhões de dólares, um aumento de dois por cento em relação aos resultados do ano passado. O saldo em caixa do Grupo diminuiu 19 por cento para 5,2 biliões de dólares devido, principalmente ao reembolso, de duas obrigações e aos investimentos contínuos na frota e em activos relacionados com as aeronaves.

Em linha com o actual clima de negócios e para apoiar os planos de investimentos futuros do Grupo, nenhum pagamento de dividendos será feito à Corporação de Investimento do Dubai (ICD) referentes aos anos 2016-17.

Sua Alteza Cheikh Ahmed bin Saeed Al Maktoum, Presidente e Chefe Executivo do Grupo Emirates, disse que a Emirates e Dnata continuam a gerar lucros e a expandir os negócios, apesar de 2016-17 ter sido um dos anos mais difíceis até a presente data.

“Ao longo dos anos temos investido na construção da nossa capacidade de negócio e na nossa reputação. Agora estamos a aproveitar os benefícios, uma vez que a nossa sólida fundação nos ajuda a superar os acontecimentos desestabilizadores que afectaram a procura de viagens durante o último ano o ano: desde o Brexit, os desafios de imigração, os ataques terroristas na Europa, as novas políticas de imigração dos EUA, a desvalorização da moeda e o contínuo efeito da indústria do petróleo e do gás na confiança das empresas. Em 2016/17, o Grupo investiu 3,7 biliões de dólares em aeronaves e equipamentos novos, na aquisição de empresas, em instalações modernas e nas mais recentes tecnologias e ainda em inicativas benéficas para o staff que compõe a Emirates”.

Ainda de acordo com o Sheikh Ahmed, “esses investimentos vão contribuir para o fortalecimento da nossa capacidade de resiliência e para o aumento das nossas vantagens competitivas. Vão ainda ajudar na adaptação dos negócios a um clima volátil de mudanças rápidas nas expectativas dos consumidores”.

“Continuamos optimistas no futuro da nossa indústria, apesar de esperarmos que o próximo ano se mantenha mais desafiador, com muito mais concorrência, retirando mais rendimento das companhias e com a volatilidade dos mercados a impactar os fluxos de viagens e da procura”.

“A Emirates e a Dnata estão em sintonia com as tendências que afectam os nossos negócios para que possamos responder rapidamente os desafios e às oportunidades. Vamos apostar na nossa transformação digital, estamos a redesenhar cada aspecto de como fazemos os nossos negócios, alimentado inteiramente por novas tecnologias. O nosso objectivo é oferecer aos clientes experiências mais personalizadas e tornar as nossas operações de back-office mais eficientes”.

Através de mais de 80 filiais e empresas, o Grupo aumentou a sua força de trabalho em 11% passando a ter mais de 105.000 funcionários, representados por mais de 160 nacionalidades diferentes.

 Resultados da Emirates

A Emirates aumentou a sua capacidade total de transporte de passageiros e de carga por quilómetro (ATKM) de 60 biliões para 60,5 biliões no final de 2016/17, consolidando a sua posição como a companhia que mais transporta no mundo inteiro.

A companhia aumentou também a capacidade disponível de ATKM (Capacidade de Transporte de Carga e Passageiros por Quilómetro) em 7% para 4,1 biliões em relação a 2015/16.

A Emirates recebeu 35 novas aeronaves, o maior número durante um exercício financeiro, composto por 19 A380 e 16 Boeing 777-300ER. Ao mesmo tempo, 27 aviões antigos foram retirados de circulação, aumentando a frota total para 259 aviões no final de Março. Com isto, a companhia conseguiu reduzir a idade da frota para 63 meses, comparado com os 74 meses do ano passado (a média da indústria é de 140 meses).

A companhia aérea continua a ser a maior operadora mundial do Boeing 777 e do Airbus 380, estando ambos entre os mais modernos e eficientes aviões que sobrevoam os céus nos dias de hoje. Transportou neste período o número recorde de 56,1 milhões de passageiros.

 

Resultados da Dnata

 

A operar há 58 anos, a Dnata em 2016/17 foi mais rentável do que nunca atingindo o lucro de 330 milhões de dólares pela primeira vez, o que resulta num crescimento de 15% em relação ao ano anterior.

Este aumento substancial das receitas deve-se ao crescimento orgânico, reforçado pelas aquisições da Dnata Aviation Services nos EUA, em Abril de 2016, da Air Dispatch, na República Checa, em Julho de 2016, além de um aumento da sua participação na Oman United Agencies Travel, em Omã, e ainda pelo impacto da Dnata Brasil, adquirida em 2015.

Com base nos níveis recordes de investimento do ano passado, a Dnata continuou a lançar as bases para crescimento futuro, investindo mais de 272 milhões de dólares no desenvolvimento do seu pessoal, das instalações, em tecnologia e em novas aquisições

comentários facebook