FestiSumbe volta à agenda cultural

FestiSumbe volta à agenda cultural

COMPARTILHE
A A A

Quatro anos depois, o Festival Internacional de Música do Sumbe (FestiSumbe) está de volta à agenda cultural, com a realização, a 15 e 16 deste mês, da edição de 2019, na Marginal do Sumbe, capital da província do Cuanza Sul.

Trata-se da primeira, das quatro edições, sob a responsabilidade da LSRepublicano, produtora que assume as despesas da realização do evento, fruto do memorando assinado com o Governo Provincial do Cuanza Sul.

Até a interrupção, em 2015, o evento teve como principal realizadora a promotora Casa70, bem como a Sector Sete, tendo esta última produzido duas edições.

FestiSumbe com 30 artistas nacionais
O festival foi interrompido em 2015 devido a obras de requalificação do local, como forma de dignificar os artistas e o público que por lá se deslocam durante os dois dias do evento.

Enquadrado no programa das festas da cidade do Sumbe, 15 de Setembro, o festival tem sido a maior referência cultural da urbe, que se orgulha de ser a terra de nascimento de nomes como Yuri da Cunha, Proletário, Tino Silva, entre outras figuras da cultura angolana.

Em dois dias de jornada, o FestiSumbe provoca uma romaria significativa de amantes da boa música, tornando a cidade na capital da cultura do país e uma referência incontornável no mosaico musical.

Em 17 anos de existência, o palco do festival recebeu grandes referências da música angolana e estrangeira, entre os quais os antilhanos Kassav, Banda Swing, Experienc 7, Thierry Cham, Ives Honore, os cabo-verdianos Livity, Boy G Mendes, Suzana Lubrano, Beto Dias, bem como a banda britânica UB40.

Do mercado nacional já passaram pelo palco do FestiSumbe, entre outros, Bessa Teixeira, Sabino Henda, Justino Handanga, Proletário, Givago, Anselmo Ralph, Euclides da Lomba, Yannick Afroman, Bangão, Yuri da Cunha, Kyaku Kyadaff, Baló Januário, Ary, Big Nelo, C4 Pedro, Dom Kikas e Margareth do Rosário.

comentários facebook