General Matias Lima Coelho celebra 66 anos de vida em ambiente intimista

General Matias Lima Coelho celebra 66 anos de vida em ambiente intimista

COMPARTILHE
A A A

Por: Stella Cortêz
Fotos: Edueni António

O salão de festa do Quartel General das Forças Armadas foi o lugar escolhido para albergar os familiares, amigos e colegas de trabalho que não queriam estar de fora da festa surpresa de aniversário do General Matias Lima Coelho Nzumbi, Chefe do Estado-Maior do Exército, que nesta quarta-feira, 05 de Dezembro, celebrou 66 anos de vida.

A viver uma das melhores fases da sua vida, o Chefe do Estado Maior do Exército que relembrou bons momentos do seu percurso enquanto membro das Forças Armadas, disse ao Platinaline que se sente feliz e honrado em celebrar 66 anos com pessoas que sempre estiveram ao seu lado.

Na festa que, por sinal, esteve bastante animada com a actuação dos músicos Calabeto, Don Caetano, Bangaozinho, Yuri da Cunha e teve o suporte da banda Yeto, o general Matias, que carinhosamente é tratado por “Leão Cansado”, foi brindado com presença de inúmeras entidades militares bem como alguns rostos conhecidos na nossa sociedade com destaque para Titica, Hadjalmar, Vina Criolo, Dj Darcy e outros.

Matias Lima Coelho é natural de Benguela. Em Dezembro de 1974 desertou das forças coloniais e ingressou nas FAPLA. Adoptou como nome de guerra o diminutivo de Cazumbi. Mas ele é grande como os feitos do Povo Angolano na luta pela liberdade.

Combateu na batalha de Kifangondo e comandou um grupo especial que avançou para Norte até à libertação do Soyo. Nunca mais parou. O serviço mais relevante que prestou à Pátria foi ter comandado as tropas, que no Leste, cercaram e derrotaram Jonas Savimbi, em 22 de Fevereiro de 2002. Já era um militar distintíssimo na galeria dos heróis nacionais, um dos mais esforçados militares na conquista da paz e da reconciliação nacional. Para os dirigentes e militantes da UNITA é o grande libertador. Salvou-os de um chefe sanguinário, que rivalizou com Hitler nos crimes contra a humanidade.

comentários facebook