Infidelidade: Ser fiel é uma estratégia para a plenitude, diz Fabiano de...

Infidelidade: Ser fiel é uma estratégia para a plenitude, diz Fabiano de Abreu

COMPARTILHE
A A A

O carnaval acabou e o tema fidelidade é bastante comentado. O filósofo e pesquisador Fabiano de Abreu tem uma teoria sobre a fidelidade bastante interessante. Ele acredita que a fidelidade é uma tarefa de planejamento para a plenitude de uma vida tranquila.

Antes disso, vamos comentar sobre uma outra teoria do criador do conceito de ‘Viver Pode Não Ser Tão Ruim’, frase registrada no livro que leva o mesmo nome em que Fabiano tem como objetivo buscar maneiras de uma vida plena: “Plenitude é uma felicidade inconsciente. Ser feliz são momentos, ter plenitude da tranquilidade, da paz como chamo, é uma felicidade constante em uma potencia baixa e com pequenas oscilações.” Diz o filósofo

Certa vez, Fabiano publicou sua teoria que responde a dois estudos: Brasileiro é o povo mais ciumento pois é o mais promíscuo, disse o filósofo dando resposta a duas pesquisas, uma sobre o ciúmes que apontou o Brasil como o povo mais ciumento do mundo e a outra, de uma pesquisa mais antiga que coloca o povo brasileiro como o povo mais promíscuo do mundo. Ele juntou as duas pesquisas para sua teoria de que, uma coisa está ligada a outra.

Isso é a base para um estudo sobre infidelidade, e sobre esse assunto, Fabiano tem uma teoria de que: “Se está bom como está, para que colocar em risco. Um balanço negativo no relacionamento pode ocasionar na perda, seja ela repentina ou tardia.”

Fabiano de Abreu correlaciona alternativas e justificativas para o conceito de ‘fidelidade’ com influência sobre a permanência do relacionamento já que trata-se do caso de infidelidade que só existe, quando há um relacionamento.

Teoria do por que não compensa trair

“A fidelidade vai além de uma personalidade e de um caráter. É uma estratégia para alcançar a plenitude.” Frase de Fabiano

Tesão = sexo – Quando falamos em traição física falamos em sexo, logo, falamos no tesão.

O tesão não resulta em sexo quando não temos outros(as) pessoas para provar e incentivarmos a prova do diferente. Se não experimentarmos outros(as) pessoas, só teremos a consciência do que temos como concreto. O tesão pode ser aliviado no abstrato, seria anormal não ter pensamentos com outras pessoas. Mas tirar isso do pensamento para colocar em prática é um risco. Imagine que experimente uma outra pessoa e possa gostar? O diferente pode naquele momento ser mais interessante, mas com o tempo, a rotina é a mesma e só trocam os personagens.Temos que pensar que se está bom com o seu(sua) parceiro(a), as chances de ser pior com uma nova é sempre maior do que ser melhor do que com o(a) seu(sua) parceiro(a) e igual nunca será.

Experimentar outra pessoa pode colocar em risco também os sentimentos e desmoronar assim o “castelinho de areia” que criou em sua vida. Principalmente se tiver filhos.

Penso que o melhor é não testar, não por a prova, altere sua rotina, seja criativo pois “time que está ganhando não se mexe.”

A estratégia de não trair vai além das consequência, mas é uma maneira inteligente de manter a plenitude e conquistar o sucesso profissional e da própria vida, seguindo assim as etapas da vida.

“Enumerei alguns fatores sobre o conceito num todo. Infidelidade acontece quando se está em um relacionamento, em um comprometimento, o que não justifica se o relacionamento está bom ou ruim.”

As faces da mentira

Psicólogos já comprovaram através de estudos que mentir faz mal a saúde física e mental. Viver com a honestidade além de prolongar a vida, ainda te deixa livre de apontamentos negativos e avaliação de caráter. A pessoa torna-se mais saudável e sua relação social mais leve e simples, diminuindo preocupações.

Faço antes que faça comigo

Há pessoas que só por desconfiar da traição, já traem. Isso é um erro!

Muitos casos de traição por parte das mulheres por exemplo se dá pela desconfiança. O que considero um erro, pois além das consequências sociais dos atos, esse tipo de consciência suja o histórico e fere o orgulho.

Ele me traiu, mas será que ele me ama?

Uma especialista certa vez disse que a traição pode ser acidental, romântica ou crónica. Ou seja, a pessoa pode amar a outra e mesmo assim trair, por uma simples atração sexual sem amor. O que deve-se ter é consciência da atitude e de suas consequências já que mesmo sem descobrir, estará vivendo com uma mentira e com o peso na consciência. Será que ele(a) merecia isso?

Seu parceiro é seu confidente

Os seres humanos precisam de alguém para expor seus pensamentos. Geralmente fazem isso com o seu parceiro(a) que são os baús de seus segredos. Um erro pode ser a chave para a abertura desse baú. Pense nas consequências.

Rotina

Não podemos esquecer o significado da palavra ‘rotina’, se a rotina fizer a emoção sobressair à razão, não esqueça de que em outro relacionamento também haverá a rotina. Podemos combater a rotina com ações que mudam o cotidiano. Lembrando precisamos de rotina para não viver de surpresas e sobressaltos.

A carne é fraca

Anule as opções e contente-se. Alguns poucos minutos podem não valer uma vida.

Parceiro ideal

Escolha um parceiro em que sinta-se seguro e o ame, defina amor, aquele que você admira e não enjoa tão facilmente.

Histórico do seu parceiro

Não existe nada que prove que a infidelidade seja uma questão social, mas eu acredito que a influencia social possa sim ser uma influência já que os países divergem em suas estatísticas em relação a fidelidade.

A questão genética já foi desvendada pela ciência que garante que o gene DRD4, o mesmo dos aventureiros e com tendências ao vício, ligado também na liberação da dopamina que dá a sensação de prazer, gene também ligado a decisões políticas e liberdade sexual e comportamento aventureiro, estaria diretamente relacionado a infidelidade.

Relação extraconjugal pode fazer bem ao casamento?

Discordo! A não ser que seu parceiro(a) seja bastante liberal e “mente aberta”. A traição possibilita a “pulga atrás da orelha” que causa desconforto, desconfiança e essa pode prejudicar o relacionamento.

Medo da vida passar e não ter aproveitado

Isso está presente principalmente nos homens, que traem pois temem o tempo e não ter aproveitado. A vida é feita por etapas, se encontrou o seu verdadeiro amor, é sinal que passou por outros amores e pessoas e cumpriu a etapa da conquista e estar próximo a outra etapa da vida. Tem coisas que temos que aceitar, é como a morte, ela existe, ela virá, portanto, temos que cumprir as etapas da vida uma hora ou outra e aceitar isso. A não ser que prefira ficar velho e sozinho ou fazendo novas histórias com pessoas que mal sabem sua história.

comentários facebook