Já são conhecidos os nomeados à 5ª edição dos Angola Music Awards

comentar
9
COMPARTILHE
A A A

A organização do mais importante prémio da indústria musical angolana, Angola Music Awards (AMA), continua a inovar, pelo que apresentou este ano (e pela primeira vez) a lista de nomeados a concurso em directo no programa ZAP News, permitindo que a informação possa chegar mais próximo e de forma mais célere a milhões de angolanos espalhados pelo mundo. Para a 5ª Edição do evento que novamente será realizado em Luanda, estarão a votação, a partir de 2ª feira dia 3 de Abril, um total de 65 artistas nomeados em 23 categorias, cuja lista geral segue em anexo.
As categorias que estarão em concurso nesta edição são:
1. Álbum do Ano
2. Artista Digital Altafonte(a)
3. Artista Feminino
4. Artista Internet by SAPO(a)
5. Artista Masculino
6. Artista/ Grupo Revelação by Platina Line
7. Grupo do Ano
8. Melhor Afro-House
9. Melhor Artista em Palco by Delta Q(a)
10. Melhor Colaboração
11. Melhor Gospel
12. Melhor Kizomba
13. Melhor Kuduro
14. Melhor Música Moderna
15. Melhor Música Tradicional
16. Melhor Produtor
17. Melhor R&B/Soul
18. Melhor Rap/Hip-Hop
19. Melhor Rock
20. Melhor Semba
21. Melhor Vídeo Clip
22. Melhor World Music
23. Música Mais Popular do Ano(a)

Temos a destacar algumas nomeações, estando a cantora Ary nomeada em 8 categorias, Anselmo Ralph e Edmásia Mayembe nomeados em 7 categorias, Dji Tafinha, Força Suprema, Paulo Flores e Puto Português nomeados em 6 cateforias, e por fim mas não menos importantes, os artistas Anna Joyce, Derito e Preto Show estão nomeados em 5 categorias. Entre as inovações desta edição, ressaltamos uma mudança no sistema de votação, que compreenderá duas fases, devidamente estabelecidas no Regulamento disponível no site www.angolama.com. As votações decorrerão no site do AMA e na rede social facebook em “Angola Music Awards”, sendo que se pretende desta forma aumentar ainda mais o número de votações, ultrapassando os 240 mil votos da edição de 2016. Será mantida a parceria para a internacionalização de carreiras artísticas com a nomeação de artistas, na categoria “Artista Digital Altafonte”, a parceria com a Delta Q, na distinção do “Melhor Artista em Palco” , a parceria com a Platina Line na categoria “Artista Revelação”, e com o portal Sapo Angola, na categoria de “Artista Mais Popular da Internet“.
Em 2017 o quadro do Júri será alargado a mais elementos, nomeados pela Organização, mas totalmente independentes dela, sendo um deles designado por porta-voz do júri. São pessoas conhecedoras do meio musical angolano, independentes do mercado e dos candidatos a concurso. Reúne antigos músicos, jornalistas, representantes das diversas classes em concurso e dos órgãos reguladores do sector (SADIA e UNAC), aumentando-se assim a diversidade de nomeações a concurso.
A Gala de entrega de prémios, da competição que tem por objectivo a promoção da cultura musical nacional, através dos trabalhos dos melhores e mais populares criadores da música angolana, terá lugar no próximo dia 10 de Junho no Pavilhão Helmarc Arena, no Kilamba e será transmitida para todo o mundo através da ZAP, TPA e RTP.
Estarão representadas diversas instituições estrangeiras com os quais a organização dos Angola Music Awards já estabeleceu parcerias para a promoção internacional dos nomeados e vencedores do concurso.
Os Angola Music Awards são uma organização do Grupo Mener, em parceria com a ZAP e com apoio institucional do Ministério da Cultura, SADIA e UNAC.
Saiba mais sobre a edição dos AMA 2017 em:
Angola Music Awards online: http://www.angolama.com

COMPARTILHE
A A A
Artigo anteriorCanicia lança novo single “Confissão”
Próximo artigoComité Miss Angola surpreende Miss Angola 2017 com um almoço no dia do seu aniversário
HÉLDER PEDRO, DE COBRADOR DE TÁXI A PROMESSA DA TV NACIONAL Há alguns meses que a televisão nacional ganhou um novo rosto. Hélder Pedro é o “platinado” que todos os sábados apresenta o mais recente programa de televisão sobre o jet7 angolano, no canal Jango Magic, da operadora DStv. A voz naturalmente colocada e a dicção não deixam margem para dúvidas de que a vocação radiofónica está-lhe no ADN. Apesar de ter optado por estudar Ciências Físicas e Biológicas no ensino médio, Hélder era apelidado pelos colegas de o “Bartolomeu da sala”, numa clara comparação a Ernesto Bartolomeu, famoso apresentador do telejornal da TPA 1. Várias foram as vezes que o jovem ouviu dizer que estava a perder-se no curso errado, porque “tinha um grande potencial para o jornalismo”, disse em entrevista à BANTUMEN. Num teste às suas capacidades, em 2008, decidiu criar a Rádio One, onde o seu quarto era o estúdio e os vizinhos a audiência. Uma coluna no terraço e estava criada a primeira rádio a ser emitida no município de Cacuaco. “Tudo o que eu falasse, as pessoas que viviam nos arredores da casa ouviam. O programa da Rádio One começava às 18 horas e tinha como convidados os meus irmãos e primo. O projecto surge com o intuito de entreter as noites da nossa vizinhança, uma vez que havia muita bandidagem no bairro e a zona era muito silenciosa.” Mas antes de chegar às televisões do país através do semanal “Platinando”, as curvas e contra-curvas da vida de Hélder levaram-no a ser pedreiro, cobrador de táxi, taxista e segurança num quintal do pai. Mas a perseverança está-lhe impressa no caracter. Em 2012, o “Bartolomeu da sala” conseguiu chegar à redação da Platina Line, através do pai que conhecia um dos funcionários da empresa. “Por ser bom e talentoso, passei no casting. Comecei como repórter, passei de seguida a fazer o programa de rádio na Kairós e fui promovido mais tarde para apresentador de TV, fazendo até hoje o programa “Platinando” com a minha colega Rosa de Sousa.” Um ano mais tarde, a responsabilidade do jovem trabalhador-estudante tornou-se demasiado pesada e foi necessário optar entre as várias actividades que desenvolvia ao mesmo tempo. “Estudava na Utanga do Capolo, fazia o curso de Electrónica e Telecomunicações e era difícil conciliar os estudos, serviço de táxi “não personalizado” e a Platina Line. Larguei o táxi e os estudos por falta de apoio, pois nessa altura o meu pai já não tinha condições para sustentar os meus estudos. E eu que sempre pensei que ser estudante universitário fosse um mar de rosas e que fosse principalmente fácil pagar as propinas, enganei-me!” Depois de dois anos dedicados à comunicação, Hélder decide voltar a estudar e é actualmente aluno da Universidade Independente de Angola, no curso de Ciências da Comunicação. Numa breve análise à liberdade de expressão dos meios de comunicação nacionais, Hélder Pedro diz que a “Platina Line veio revolucionar a comunicação social em Angola, em particular o mundo do entretenimento. Mas, como infelizmente a nossa sociedade ainda não tem uma mente tão aberta neste campo, encaramos certas informações como abusos contra identidade, o que impossibilita a liberdade de comunicação e muitas vezes de expressão. Como resultado, muitos jornalistas, comunicólogos e não só, vêem-se na obrigação de omitirem determinadas informações”, explica. Entre o online e a TV não consegue designar um preferido e garante que as duas categorias têm as suas vantagens. No entanto, os seus objectivos centram-se em chegar à cadeira de pivô de telejornal e, quem sabe, ser o sucessor do ídolo Ernesto Bartolomeu.

DEIXE UMA RESPOSTA