Moisés Mpova aborda a história da literatura angolana na 12ª edição da...

Moisés Mpova aborda a história da literatura angolana na 12ª edição da Feira Catarinense do Livro

COMPARTILHE
A A A

Por: Stella Cortêz

Presente no Brasil para a 12ª edição da Feira Catarinense do Livro, o escritor angolano Moisés Ricardo Mpova falou do quão importante tem sido abordar questões ligadas à cultura angolana para os brasileiros.

O membro do movimento Lev´Arte começou por esclarecer que o seu objectivo na feira foi muito além da apresentação do livro poético “A Fonte da Inspiração”, pois também ajudou para proporcionar conhecimentos aos participantes.

“Pude dissertar os movimentos remotos da cultura e literatura angolana. A música angolana foi importante na composição de vários ritmos no sudoeste do Brasil, nessa feira abriu-se uma possibilidade de outros académicos de letras transmitirem as suas pesquisas, levei um pouco do historial de Angola, começando pela década de 1950, onde a literatura aparece de forma clandestina, ou seja, naquela época, as obras literárias expressavam o desejo de liberdade, os maus tratos, o sofrimento e a descriminação sofrida no período colonial. De certa forma, também incentivavam outros africanos a lutarem contra o regime colonial”, discorreu o escritor.

Entre os diversos temas espelhados, Moisés falou de escritores como Agostinho Neto, Pepetela, Luandino Vieira, Viriato da Cruz, entre outros… e dos seus feitos em prol da literatura angolana.

Os amantes da literatura presentes na feira puderam adquirir o livro poético “A Fonte da Inspiração”, uma obra que mostra a força da imaginação que permite o autor viajar para o seu interior. No livro constam poemas e contos poéticos, entre eles: “Ecos dos Sonhos”, “Por trás dos sonhos”, “Sonhos interrompidos”, “Quero ver Angola”, “Perpetuidade do nosso amor” e muitos outros.

comentários facebook