MultiChoice faz balanço positivo do ano de 2018

MultiChoice faz balanço positivo do ano de 2018

COMPARTILHE
A A A

Realizou-se em Luanda o evento denominado por Open Day da MultiChoice Angola/DStv onde a empresa fez um balanço dos 20 anos de operações no país, falou sobre o funcionamento do seu negócio, a sua constituição enquanto empresa de direito angolano, os projectos de responsabilidade social e sobre o ajuste de preços.

No evento, dirigido pelo Director-Geral, Eduardo Continentino, foi revelado que a empresa deixou de ser uma Divisão da Jembas Assistência Técnica, passando a ser uma empresa com nova denominação jurídica MultiChoice Angola Limitada, cujo accionista Grupo MultiChoice foi cotado na Bolsa de Valores de Joanesburgo, África do Sul, desde Fevereiro do ano em curso, estando entre as 40 maiores empresas da JSE.

Segundo Eduardo Continentino, a empresa possui actualmente 340 funcionários, onde 98 por cento são angolanos e 2 por cento são expatriados. Cerca de 60 por cento são homens e 40 por cento mulheres e, de forma indirecta a empresa criou 650 empregos entre instaladores, agentes e funcionários do Call Center.

O responsável frisou ainda que empresa possui um leque de directores e gestores jovens, distribuídos de modo equilibrado entre mulheres e homens, sendo que a idade média dos mesmos cifra-se em 35 anos.

Como forma de garantir a motivação entre os funcionários, a MultiChoice Angola criou o Future Fit, um programa que ajuda na gestão e capacita os colaboradores a acompanharem a dinâmica das novas tecnologias. Outra forma de motivação interna é o programa “We See You”, que visa o reconhecimento e recompensa dos funcionários entre si e permite com que os mesmos possam elogiar-se em 360º, de colega para colega, ou até mesmo de colega para superior sempre que um ajude o outro na realização de um trabalho com sucesso.

Na MultiChoice há também um sistema de apoio aos funcionários que exerçam outras actividades com o desporto, a empresa apoia um funcionário que é praticante de Jiu-jitsu com toda logística, sempre que o mesmo vai disputar um campeonato interno ou no exterior do país.

A MCA investe também nos clientes e para tal criou a Jornada do Cliente que é composta por diferentes fases como: Explorar, Aderir, Visualizar e Pagar. Estas fases servem para que a empresa perceba bem os aspectos críticos para a melhoria da qualidade do serviço, de forma a garantir que a MultiChoice seja a preferida dos clientes e dar ao mesmo tempo um produto de qualidade.

A MultiChoice investiu cerca de 2 milhões de dólares norte-americanos no sistema de gestão de clientes Clarity, que visa a satisfação do cliente e hoje conseguiu ter um atendimento satisfatório, cujo nível de serviços atingiu os 92 por cento.

A MultiChoice possui actualmente 24 lojas, 151 retalhistas, 394 agentes e 129 instaladores presentes em todo país. Dentre os retalhistas o destaque vai para as lojas PEP, que possuem 85 pontos de venda dentro as suas lojas espalhadas por Angola, vendendo descodificadores e recargas.

Os cartões de recargas, outra as iniciativas implementadas em 2018, constituem 12% dos pagamentos efectuados à empresa.

Durante o encontro foram igualmente destacadas as campanhas que realizadas e que possibilitaram o aumento de número de clientes, como é o caso da campanha Fezada, que possibilitou os clientes pagarem um pacote acima do seu e visualizarem o pacote superior ao que pagou. Para 2019, a MultiChoice possuí a exclusividade para a transmissão de vários conteúdos como é o caso da transmissão da Liga dos Campeões da Europa, e vai transmitir em exclusivo o CAN do Egipto, em que Angola irá participar.

Como o mais apreciado Contador de histórias de África a MultiChoice lançou várias iniciativas para colocar produção de conteúdo local nas casas dos seus clientes, como são os exemplos da telenovela Muxima, exibida pela Banda TV, da TV Record, com a Jornal África ou da Palanca TV.

O lançamento da Vida TV em Março deste ano foi visto como uma excelente aposta, não só porque é já um dos canais mais apreciados da nossa plataforma como também porque dá emprego directo a 150 jovens.

A MutiChoice Talent Factory é uma iniciativa que pretende fazer capacitar e melhorar a produção de conteúdo local na indústria cinematográfica angolana. O objectivo principal desta “fábrica de talentos” é desenvolver talentos de televisão e cinema locais através da formação, ajudando a promover o crescimento do conteúdo local em África. Para tal foram criadas três academias de cariz regional, uma da Nigéria, outra no Quénia e por último a da Zâmbia que ensinam como fazer televisão e como contar histórias locais.

Na academia da Zâmbia, que cobre a parte sul do continente, estão dois jovens angolanos que estão a aperfeiçoar as técnicas de produção áudio-visual e quando terminarem vão dar o seu contributo para o desenvolvimento da indústria do cinema em Angola.

“Estou a viver um sonho tenho aprendido muitas técnicas com pessoas locais e de outras partes. Quando terminar este treinamento espero poder ajudar a indústria nacional e africana do cinema”, disse Emanuel Gonçalves, um dos angolanos a frequentar a academia.
Outro tema importante da MTF são as MasterClasses que têm como objectivo potenciar os angolanos que actuam na indústria, desenvolvendo competências técnicas de profissionais talentosos nas indústrias do audiovisual, cinematografia, e guionismo, de forma a melhorar a qualidade das produções locais. “Em Fevereiro realizamos uma sobre produção que contou com a participação de 50 pessoas e que foi realizada em parceria com a Fox Portugal e a TPA. Para além disso, trouxemos o realizador nigeriano Femi Odugbemi, que falou sobre o caso de Nollywood” afirmou Eduardo Continentino

O projecto inclui ainda o Portal MTF, que é a plataforma digital onde os angolanos poderão estar ligados e em contacto com grandes produtores de cinema tanto africanos como de outras paragens.

“Dentro da responsabilidade social temos também os prémios Estrela, uma iniciativa que permite aos estudantes escreverem uma redacção sobre o satélite que conta com apoios dos ministérios da Educação, da Ciência e Tecnologias de Informação, das Telecomunicações e Tecnologias bem como da rede de mediatecas de Angola” disse também Continentino durante o encontro.

No que refere aos preços a MultiChoice disse que o ajuste obedeceu as orientações do regulador, que orientou um aumento na ordem dos 25 por cento e que no momento possui os preços mais baixos do mercado, como pacotes de até 50 canais que custam 2.000 Kwanza e de 180 canais com o preço de 12.500 Kwanza.

A MultiChoice garantiu que teve um aumento de audiências e as suas companhas tiveram aderência “temos vários sinais de que nossas acções são positivas e que o negócio melhorou porque o feedback do nosso Call Center assim o diz. Nós hoje recebemos telefonemas das pessoas para saberem dos programas e não para reclamar dos serviços, estes sinais externos nos demostram claramente que estamos a crescer”, acrescentou o Director-Geral da MultiChoice Angola.

Para terminar Eduardo Continentino disse que a empresa vai apostar forte nos retalhistas pois acredita que os mesmos possam ter um crescimento exponencial nos próximos dois anos.

comentários facebook