“oikonomos” de Edson chagas

“oikonomos” de Edson chagas

COMPARTILHE
A A A

Por Nahla Sandão
Imagem Nunkui

EDSON CHAGAS, que arrebatou para Angola o Leão de Ouro na 55ª Bienal de Veneza em 2013, regressa ao Camões/Centro Cultural Português para apresentar 18 trabalhos fotográficos da sua série de auto-retratos, auto-personificados. Nesses auto-retratos, as faces estão ocultas com um saco de plástico, impedindo-as de ver e ser vistas.

Edson Chagas transporta o espetador para uma viagem evocativa e introspectiva em Angola e no continente africano, representando não apenas o cidadão anónimo e cego, devorado pelo consumismo, mas também os efeitos da globalização. Cada saco que cobre as faces das personagens é marcado por símbolos, na sua maioria estranhos a Angola. Vestígios de terras e ideais estrangeiros, que o artista considera “detritos da cultura popular”. Sonhos controlados por conglomerados estranhos a Angola e ao artista, mas que marcam a realidade dominante.

Tanto o recurso ao método serial na fotografia, como a decisão de manter algumas das suas séries em aberto, revelam um aspecto fundamental da prática artística de Chagas. Trata-se da procura constante e minuciosamente atenta ao mundo em redor, do local ao continente e ao global, e por isso mesmo, também e sem contradição, desacelerada e introspectiva, vivencial e intuitiva, sem nunca abdicar do espaço e do tempo necessários à observação e à reflexão, à experiência e à experimentação, nomeadamente no que ao próprio meio da fotografia diz respeito, enquanto ponto de partida formal e conceptual para todos os demais sentidos que a sua obra indubitavelmente adquire.

WhatsApp Image 2019-06-24 at 19.17.52

Como sucede habitualmente na obra de Chagas, os objetos escolhidos são também “viajantes”. Para além de, no caso de Oikonomos, fazerem circular significados em texto e imagem, os sacos são, eles próprios, objetos que passam de mão em mão e que, por sua vez, possibilitam o transporte não só de outros objetos e de materiais, como também de conhecimentos e afetos por parte de sujeitos em trânsito.

Ao colocar os sacos na sua própria cabeça, Chagas inverte-os, dessa forma o artista incita-nos a um questionamento essencial, enquanto ponto de partida para a procura conjunta de outros modos de vida.

Datas: 18 de Junho a 16 de Julho de 2019
Local: CAMÕES/CENTRO CULTURAL PORTUGUÊS
(Av. de Portugal nº 50, Luanda / Angola)

Biografia

2007-08, Fotografia Documental, University of Newport, Newport, País de Gales
2005-07, Fotojornalismo, London College of Communication, Londres, Inglaterra

1999-2002, Fotografia, Escola Técnica de Imagem e Comunicação de Portugal, Lisboa, Portugal
1998, Áudio – Vídeo, Centro Comunitário de Arcena, Alverca, Portugal

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS
2017
Zeitz Museum of Contemporary Art Africa, (Zeitz MOCAA), Cidade do Cabo, África do Sul
2016
Kunst Haus Wien, Museum Hundertwasser, Viena, Áustria
A Palazzo Gallery, 1:54 Contemporary African Art Fair, Nova Iorque, EUA
2015
Found Not Taken, Scrap Metal Gallery, no Festival Scotiabank Contact Photography,Toronto, Canadá
2014
Found Not Taken / Tipo Passe, Stevenson, Joanesburgo, África do Sul
Found Not Taken / Belfast Exposed Photography, Belfast, Irlanda
Tipo Passe, Instituto Camões, Luanda, Angola
2013
Luanda, Cidade Enciclopédica, Pavilhão de Angola, 55ª Bienal de Veneza, Itália
Edson Chagas, A Palazzo Gallery, Brescia, Itália
Memorial Agostinho Neto, Luanda, Angola

EXPOSIÇÕES COLETIVAS
2018
Daegu Photo Biennale, Daegu, Coreia do Sul
Madgermanes / Mystery of Foreign Affairs, Kunstverein Schwerin, Berlim, Alemanha

2017
NGV Triennial, National Gallery of Victoria, Melbourne, Austrália
Recent Histories – New African Photography, The Walther Collection, Neu-Ulm, Alemanha
2016

Disguise: Masks and Global African Art, Brooklyn Museum, Nova Iorque, EUA
2015
Disguise: Masks and Global African Art, Seattle Art Museum, Seattle, EUA
Ocean of Images, the New Photography exhibition, Museum of Modern Art (MoMA), Nova Iorque, EUA
The Divine Comedy: Heaven, Purgatory and Hell Revisited by Contemporary African Artists, Smithsonian National Museum of African Art, Washington DC, EUA
Prémio Novo Banco Photo, Museu Coleção Berardo, Lisboa, Portugal
Tyburn Gallery, Londres, Inglaterra
Broken English, Tyburn Gallery, Londres, Inglaterra
The Walther Collection, New African Photography: The Lay of the Land, Nova Iorque, EUA
First Donations, Seith MOCCA Pavilion, Cidade do Cabo, África do Sul
Schema, Stevenson, Cidade do Cabo, África do Sul
2014
The Divine Comedy: Heaven, Purgatory and Hell Revisited by Contemporary African Artists, MMK (Museum für Modern Kunst), Frankfurt, Alemanha
SCAD Museum of Art, Savannah, Geórgia, EUA
Mediations Biennale, Poznam, Polónia
Shifting Africa, Hannover, Alemanha
Journal, ICA Institute of Contemporary Art, Londres, Inglaterra
HERE AFRICAContemporary Africa as seen through the Eyes of its Artists, Château de
Penthes, Genebra, Suíça
2013
NO FLY ZONE, Unlimited Mileage, Museu Colecção Berardo, Centro Cultural de Belém, Lisboa, Portugal
Landscape, A Palazzo Gallery, Brescia, Itália
Transit, OCA – Museu da Cidade de São Paulo, Brasil
2012

MABAXA project, Luanda, Angola
RAVY-International Visual Arts Festival, Iaoundé, Camarões
Zukunftsentwickler/Future Makers, LVR-LandesMuseum, Bona, Alemanha
LagosLive Festival, Nigéria
2011
SP ARTE & SOSO Arte Contemporânea Africana, São Paulo, Brasil
2010
II Trienal de Luanda, SOSO Arte Contemporânea Africana, Luanda, Angola
II Trienal de Luanda, Museu de História Natural, SIEXPO (Salão Internacional de
Exposições), Luanda, Angola

COLEÇÕES
Museu NGV, Vitora, Australia
Museu de arte comtemporania, Castello Di Rivoli, Turim, Italia
Museu de arte contemporania, Africa, Zeitz MOCAA, Cape Town, Africa do Sul

PRÉMIOS
Em 2013, Prémio “Leão de Ouro” para a melhor participação na 55ª Bienal de Veneza, Itália, para a exposição “Luanda, Cidade Enciclopédica”, enquanto representante do Pavilhão de Angola com curadoria de Paula Nascimento e Stefano Pansera
Em 2018, é atribuído a Edson Chagas o prémio African art award, do Museu Nacional Smithsonian de Arte Africana.

MABAXA project, Luanda, Angola
RAVY-International Visual Arts Festival, Iaoundé, Camarões
Zukunftsentwickler/Future Makers, LVR-LandesMuseum, Bona, Alemanha
LagosLive Festival, Nigéria
2011
SP ARTE & SOSO Arte Contemporânea Africana, São Paulo, Brasil
2010
II Trienal de Luanda, SOSO Arte Contemporânea Africana, Luanda, Angola
II Trienal de Luanda, Museu de História Natural, SIEXPO (Salão Internacional de
Exposições), Luanda, Angola

COLEÇÕES
Museu NGV, Vitora, Australia
Museu de arte contemporânea, Castello Di Rivoli, Turim, Italia
Museu de arte contemporânea, Africa, Zeitz MOCAA, Cape Town, Africa do Sul

PRÉMIOS
Em 2013, Prémio “Leão de Ouro” para a melhor participação na 55ª Bienal de Veneza, Itália, para a exposição “Luanda, Cidade Enciclopédica“, enquanto representante do Pavilhão de Angola com curadoria de Paula Nascimento e Stefano Pansera
Em 2018, É atribuído a Edson Chagas o prémio African art award, do Museu Nacional Smithsonian de Arte Africana.
No link da revista BAIGA podes saber mais
https://www.baiga-magazine.com/oikonomos/

comentários facebook