Platina Line e MINTUR lançam prémio Startups do Turismo

Platina Line e MINTUR lançam prémio Startups do Turismo

COMPARTILHE
A A A

Um concurso denominado “Startups do Turismo”, com objectivo de aliar a tecnologia e o turismo a partir de ideias concretas e inovadoras para o desenvolvimento turístico de Angola, foi lançado sábado, no Lubango.

Trata-se de um projecto promovido pela revista electrónica Platina Line, na sua primeira edição, com o apoio institucional do Ministério do Turismo e parcerias dos ministérios Ensino Superior, Ciência e Tecnologias de Informação e das Telecomunicações, apresentado oficialmente durante o II Conselho Consultivo do Turismo.

O concurso visa encontrar as melhores soluções e projectos mais inovadores, promover o turismo por meio da inovação, dando oportunidades de startups de todo o país a apresentar os seus projectos e proporcionando acesso a uma série de benefícios perante os players da hotelaria e turismo.

Em declarações à ANGOP, nesta cidade, o director administrativo do Platina Line, Hélder Pedro, disse que precisam de ideias inovadoras para desenvolver o sector no país, que possa alavancar o crescimento das comunidades e integrar aldeias rurais e quesitos socioculturais, focado na promoção turística.

Explicou que qualquer pessoa pode fazer a inscrição, através do site www.startupdoturismoangola.com, e podem enviar as suas candidaturas para candidatura@startupdoturismoangola.com, cuja candidatura deve ser feita através do envio de um vídeo explicativo do projecto de até três minutos, um documento explicativo do mesmo com até 10 páginas.

Acrescentou que o período de inscrição começou neste sábado (5 de Outubro) e termina a 22 de Novembro, o anúncio dos pré-finalistas em Dezembro do ano em curso e dos finalistas em Janeiro de 2020, assim como a entrega de prémios.

O valor do prémio do vencedor está fixado em um milhão de Kwanzas, para além da garantia da gestão e promoção do projecto nas redes sociais e em meios de comunicação social, acompanhamento do projecto pela Platina Line e um final semana num hotel de referência.

Para o segundo e terceiro lugar, os participantes recebem 500 mil e 200 mil Kwanzas, respectivamente, e um fim-de-semana para ambos numa unidade hoteleira.

“Fomos motivados com olhos no futuro e visão no desenvolvimento do país, não somente jovens, mas precisamos crescer, mostrar as nossas potencialidades e trabalhar com pessoas que apresentam ideias inovadoras e arrecadar receitas para a promoção do crescimento. Em vez das pessoas se deslocarem para fora de Angola, podemos convidar aqueles que estão no exterior a conhecer o turismo interno do país, com o projecto vamos promover as potencialidades do país”, realçou.

Apelou as pessoas na adesão do concurso para poderem contribuir para o crescimento do turismo e assim serem membros directos do desenvolvimento do país.

Por sua vez o director do gabinete de Tecnologias e Informação do Ministério do Turismo, Osvaldo de Lemos, frisou que o sector tem interesse no projecto, que também vai poder abrir a possibilidade da participação de angolanos no exterior do país a submeterem as suas candidaturas.

“Temos no país pessoas com boas ideias, mas um pouco dispersas, assim que queremos para o sector, organizar o desenvolvimento de aplicativos de softwares de sites de internet versados no turismo, fomentando o empreendedorismo, onde as pessoas vão poder criar um negócio sustentável e com um grau de escalabilidade enorme”, continuou.

A Platina Line existe já há 12 anos no país e trabalha no entretenimento nacional, assim como em questões sociais, culturais, desportivas, entre outras.

O II Conselho Consultivo do Turismo decorre sob o lema “Juntemos Sinergias para Desenvolver o Turismo- Uma Alavanca para o Crescimento Económico”, terminou no sábado e acolheu participantes ligados ao sector, provenientes de todo o país, que estão a analisar o Plano Director do Turismo em Angola, como as áreas de interesse e potencial turístico, o fundo de fomento do turismo, o regime jurídico da Instalação, exploração e funcionamento de empreendimentos turísticos, regime jurídico sobre o acesso ao emprego no sector do turismo e da actividade de restauração e similares.

A importância da elaboração dos planos de ordenamento sectoriais ao nível provincial, municipal e local, o programa de desenvolvimento e fomento de aldeias turísticas rurais (Prodefatur), a desconcentração e descentralização administrativa na perspectiva do licenciamento e fiscalização, hotel escola – Modelos para Organização, Gestão e Operacionalização, são de entre outros, os temas abordados no evento.

O fórum debateu ainda temáticas como a livre circulação de segurança rodoviária, o turismo e a transformação digital um desafio para Angola, o turismo nas áreas de conservação e a apresentação do plano de acções prioritárias para dinamização do pólo de desenvolvimento turístico da Bacia do Okavango.

comentários facebook