Saúde mental é prioridade para manter a sociedade estável e equilibrada

Saúde mental é prioridade para manter a sociedade estável e equilibrada

COMPARTILHE
A A A

É muito frequente ver as pessoas preocupadas com a saúde física até ao ponto de esquecer o lado mental. A maioria das pessoas quando ouve falar de “saúde mental”, reflete logo em “doença mental”. Porém, a saúde mental implica muito mais do que a ausência de doenças mentais.

Algumas pessoas estão capacitadas para enfrentar desafios e mudanças da vida quotidiana equilibradamente, e quando entram em conflitos, perturbações, traumas ou transições muito importantes nos diferentes ciclos da vida, procuram ajuda.

Segundo a psicóloga clínica, Alice Eva Conga, a saúde mental é caracterizada pelo bem-estar psíquico e emocional do homem. A saúde mental é tão importante, to quanto a física, visto que para que haja bem-estar total, precisa de equilíbrio emocional. Esse equilíbrio garante uma mente sã e corpo saudável. A psicóloga acresceu que aspectos ligados à saúde mental, normalmente são banalizados porque algumas pessoas entendem que a saúde física vem em primeiro lugar, acabando por esquecer da mente, por essa razão, regista-se um número elevado de pessoas com perturbações mentais e/ou em conflitos emocionais nos dias de hoje.

“A forma como a pessoa reage às exigências da vida e ao modo como harmoniza seus desejos, capacidades, ambições, ideias e emoções está muito relacionada com a saúde mental”.

“Questões como o stresse, ansiedade, fobias, vícios, dentre outros vêm agredindo constantemente e de forma extremamente negativa a nossa saúde mental. E com certa urgência, há uma necessidade de pararmos a sociedade enquanto há tempo e olhar para questões que dizem respeito à saúde mental, dando espaço aos profissionais competentes na área afim de intervir, solucionando muitos desses problemas”. Frisou a psicóloga.

É necessário que a pessoa cultive certos hábitos para manter a saúde mental aceitável ou mesmo “em dia”, como: Estar com sentimentos positivos consigo mesmo, com os outros e com a vida, aceitar-se e às outras pessoas com as suas qualidades e limitações, aceitar as exigências da vida, reconhecer seus limites e buscar ajuda quando necessário, saber lidar com as boas emoções e más também, evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, de cigarro e de medicamentos sem ordem médica, evitar, igualmente o uso de drogas, deve praticar sexo seguro, reservar tempo para o lazer e estar com a família, ter bons hábitos alimentares, dormir bem e praticar exercícios físicos.

Vale lembrar que as pessoas podem apresentar sinais de sofrimento psíquico em qualquer fase da vida. Cuide de si e dos seus próximos.

Por: Estagiária Platinaline, supervisão Iraneth da Cruz

comentários facebook