Sete anos depois, peça “Monólogos da Vagina” regressa no mês de Março

Sete anos depois, peça “Monólogos da Vagina” regressa no mês de Março

COMPARTILHE
A A A

Por: Stella Cortêz

Sete anos após ter sido apresentada pela primeira vez em Angola, a peça “Monólogos da Vagina”, original da norte-americana, Eve Ensler, uma vez mais sob a encenação do angolano Miguel Hurst, está de volta e será exibida no palco da Casa das Artes, em Talatona, com estreia agendada para o dia 14 de Março, e ficará em exibição até ao dia 18 do mesmo mês.

Diferente de 2011 e por motivos alheios à vontade da produção, este ano houve mudança no elenco que comporta a peça, como fez saber Sophia Buco, quando falava sobre as diferenças que está segunda exibição trará para o público angolano numa entrevista cedida ao Platinaline.

“A Érica Chissapa esteve connosco na estreia, mas, infelizmente, este ano ela não poderá estar presente, porque foi mãe de uma linda menina há pouco tempo. Não obstante a isso, também não teremos a Petra Nascimento, que optou por uma vida mais reservada, mais ligada a Deus, e preferiu não fazer parte desta edição. A outra, mas não menos importante, é a Petra Oliveira, que também não poderá estar presente por questões profissionais, visto que os ensaios acontecem o dia todo e não lhe dá jeito por causa do trabalho. Integraram o grupo as actrizes Edusa Chindecasse e a Naed Branco. Em 2011 tivemos seis actrizes, mas este ano vão apresentar-se somente cinco actrizes em palco,” destacou Sophia.

De salientar que, no ano em que foi estreada a peça “Monólogos da Vagina” a produção foi da responsabilidade da Semba Comunicação e da Glamour em Festas, este ano toda produção está a ser realizada pela Bucos Produções e o grupo Mukangi. A peça conta com o patrocínio do grupo Saudabel, Delta Q e Espaço Luanda.

Sobre a peça

Monólogos da Vagina, texto de Ever Ensler, foi estreada em 1996 e fez grande furor em terras americanas e no mundo. Até a data actual, a peça já foi exibida em mais de 76 países e nalgum deles encontra-se em palco há 15 anos, assim como traduzida em diferentes línguas.

comentários facebook