Durante sete dias, o cinema nacional volta a estar em destaque no...

Durante sete dias, o cinema nacional volta a estar em destaque no ZAP Cinemas

COMPARTILHE
A A A
O documentário destaca especificamente as motivações pessoais de dois casais com realidades, nacionalidades e vivências diferentes, na busca da felicidade e de melhores condições de vida. Realização: Sérgio Afonso Duração: 52 min

Após a realização em 2017 da primeira edição, o ZAP Cinemas promove a segunda temporada do Ciclo de Cinema Angolano. A iniciativa tem como mote a promoção do cinema angolano e, de uma maneira geral, da realidade angolana. Durante uma semana, o evento vai dar visibilidade não só à ficção, mas também aos principais agentes nela envolvidos.  O Ciclo, que envolve reputadas produtoras angolanas, exibe seis produções cinematográficas nacionais de reconhecida qualidade.

A edição de 2019 do Ciclo de Cinema Angolano acontece de 29 de Novembro a 5 de Dezembro. O público vai poder ter acesso a títulos nacionais de reconhecida qualidade, retratados através de géneros cinematográficos como documentários, dramas e acção. Into The OkavangoKalungaPara Lá dos Meus Passos, Elinga 1988 – 2018, Falso Perfil e do Outro Lado do Mundo fazem parte do convidativo cartaz. Estamos perante filmes nacionais, alguns dos quais reconhecidos em importantes festivais internacionais de cinema como o Programa CPLP Audiovisual, o Afrika Film Festival e o Emmy Awards 2019.

Não sendo todos os dias que os filmes nacionais estão à disposição do grande público, o preço de cada ingresso custará 800 Kwanzas. Alternativamente, os interessados poderão também optar pela compra de um voucher que permite o acesso aos 5 filmes por apenas 2.500 Akz.

 À margem, a segunda edição do Ciclo inclui a realização de workshops sobre cinema. Dirigidos a estudantes e demais interessados, as acções formativas acontecem na Universidade Metropolitana de Angola e serão ministrados por renomados especialistas da arte.

Sobre a iniciativa, Carla Santos, responsável do ZAP Cinemas, explica: “O ZAP Cinemas continua atento à tendência de crescimento da ficção nacional. Consideramos que Angola tem um notável potencial nesta área, e que dispõe de capital humano capaz de transformar a indústria cinematográfica interna, elevando-a a uma outra dimensão. A sua exploração e promoção está condicionada à abertura de projectos como estes, que dão oportunidade para que os nossos actores, realizadores, produtores, argumentistas e demais agentes possam divulgar a nossa realidade”, enfatiza a responsável.

A primeira edição do Ciclo de Angolano foi realizada de 3 a 11 de Novembro de 2017, exibindo quatro títulos nacionais.

UM CICLO, CINCO FILMES

Interessantes, os títulos selecionados para a segunda edição do Ciclo de Cinema Angolano apresentam uma variedade de temas sobre a realidade do país. Biodiversidade, cultura, dança, o dia-a-dia comunitário.

Em kimbundo, kalunga significa mar, mas também imensidão e morte. Três surfistas internacionais aceitaram o desafio: percorrer a costa de Angola de Norte a Sul e descobrir um país que a guerra deixou longe dos meios internacionais durante 40 anos.

comentários facebook