Unitel promove palestra sobre Internet segura

Unitel promove palestra sobre Internet segura

COMPARTILHE
A A A

Diariamente milhares de crianças e jovens no mundo inteiro se conectam e procuram navegar no maravilhoso mundo da internet.

Jogar online, interagir com outros continentes e culturas, fazer pesquisas para trabalhos de escola, ouvir música e assistir vídeos, são as actividades que mais despertam interesse.

Na busca pela satisfação destes desejos, meninos e meninas acabam por estar expostos a conteúdos que ultrapassam a sua compreensão, e viver situações para as quais não estão preparados, colocando-se em situação de risco.

Com o propósito de mitigar os riscos associados ao uso da Internet e simultaneamente maximizar os benefícios, em Dezembro de 2019, A UNITEL e o INAC assinaram um Memorando de Entendimento através do qual se estabeleceu uma parceria para a realização de acções conjuntas e partilha de informação sobre o uso seguro da Internet pelas crianças e adolescentes angolanos.

Denominado “Internet Segura”, no dia 11 de Março foi realizada a 1ª de 5 sessões, na Escola São José do Cluny, em Luanda.

Uma audiência de aproximadamente 100 estudantes, entre os 8 e os 16 anos, receberam conhecimentos sobre como usar a Internet e dispositivos electrónicos com segurança, e participaram activamente na discussão sobre os temas: Cyberbullying, Redes Sociais e Conteúdos Impróprios.

“Hoje aprendi que ao usar as redes sociais não devo ter mais de um perfil e não devo interagir com pessoas estranhas”, disse Wendell Gomes, 11 anos.

1 6 CAPA IMG_8070 IMG_8074 IMG_8087 IMG_8090

“Há meninos que usam a nternet para fazer bullying e enviar mensagens anónimas aos outros. Quem recebe essas mensagens deve ignorar e mostrar aos pais ou professores”, declarou Nahary Gabriel, 13 anos.

O UNICEF e o Serviço de Investigação Criminal (SIC), também parceiros na realização deste projecto, através dos seus representantes, partilharam mensagens importantes.

“O papel da UNICEF sempre foi proteger as crianças e garantir o melhor para elas. Situações como raptos e violência sexual têm sido facilitadas através das redes sociais e junto da UNITEL queremos garantir que essa realidade não perdure em Angola”, afirmou Niko Wieland.

“Durante o ano de 2019 tratamos de 179 processos sobre crimes informáticos. Infelizmente alguns envolviam crianças e situações que terminaram em morte. É importante que informemos às crianças s como se protegerem, e aos pais e encarregados sobre como terem um maior controle sobre o uso de equipamentos electrónicos”, disse Francisco Pedro, SIC.

Para a UNITEL, o uso da internet e da tecnologia deve estar associado ao desenvolvimento, formação, entretenimento saudável e criatividade.

As próximas sessões de palestras sobre “Internet Segura” terão lugar nas Províncias de Benguela, Cabinda, Huambo e Huíla, respectivamente.

comentários facebook