Por: Stella Cortêz

Carlos Dias, CEO da produtora Energia Positiva, agente e marido de Yola Semedo falou do álbum duplo “Sem Medo” e sobre a decisão da cantora em abraçar estilos musicais diferentes da sua zona de conforto.

“Isso é uma decisão muito pessoal da Yola e da produtora. Nós temos uma produtora que tem estado a dar suporte aos trabalhos dela desde 2010 e este será o quinto álbum da produtora. Então, fizemos uma pesquisa e olha que também não foi fácil convencê-la, mas chegámos a conclusão de que o artista tem um período para convencer o público e depois tem que conquista novos mercados e a ideia passa por aí. Eu acho que em Angola a Yola já deu e contribuiu com tudo e vai continuar a dar, porém ela deve, pelo menos, tentar fazer um estilo de música mais internacional, ou seja, a Yola não vai deixar de cantar”, fez saber o agente.

O CEO continuou ao dizer que este projecto tem 35 músicas, das quais 29 temas fazem parte do álbum duplo e as outras seis são exclusivas para a plataforma Kisom, e não será o último álbum de Kizomba da cantora, pois 35 temas podem ser consumidos em três ou quatro anos e durante este período a Melhor Intérprete Feminino de 2017 estará a preparar-se para tentar levar a bandeira de Angola para outros mercados, pois acredita que a intérprete do sucesso “Lá No Fundo” tem estrutura e capacidade para levar a sonoridade angolana para outras indústrias musicais.

“A música de Angola, apesar de ser rica, ainda precisa quebrar barreiras e essa foi uma decisão da produtora e da cantora”, rematou Carlos Dias.