Nós amantes da musica merecemos o melhor e se os nossos artistas podem dar isso, vamos exigi-lo.

0
205

dog_3_

 

Em alusão ao dia da cultura nacional o programa janela aberta foi ao ar com um debate sobre a cultura nacional na vertente música. Vários artistas da nossa praça estiveram presentes de todos os estilos desde a posteridade a novidade na área da musica. Esteve presente também um humorista da nossa praça. Foram eles: Bonga, Big Nelo, Calado Show, Dog Murras, Sebem, Paul G, Father Mack e Kid MC.

 

DEIXEM DE FAZER EXPERIMENTOS COM OS NOSSOS OUVIDOS.

 

 

Antes de mais, fazer um reparo na presença de alguns artistas que estiveram presentes no debates com os seus respectivos óculos de sol. Todos nós sabemos que óculos de sol (como o nome diz) é para ser usado como protetor do sol. Se bem que hoje em dia ele passa a ser mais do que isso, é um acessório de moda bastante usado para combinar com roupas e calçado e nos deixar mais bonitos dependendo da ocasião. Mas num debate ou programa é ridículo o uso desse tipo de óculos, permite-se o uso de óculos de grau devido ao seu papel, mas o de sol. Depois se ainda fosse algo discreto como o de um ou outro no programa era de se ignorar. Mas óculos escuros, totalmente pretos e que ocupam todo o rosto como se o convidado estivesse se escondendo de algo, é completamente absurdo. E tem o fator que o Janela Aberta é um programa que passa na rede internacional, como é que pessoas que desconhecem os mesmo irão se lembrar de seus rostos se eles estavam usando mais uma Burka do que óculos? A produção do programa não os chamou a atenção? Ou por serem artistas acham que tirar os óculos os retira o estilo?

 

É um reparo que estamos fazendo e que gostaríamos de ver solucionado nas próximas vezes. Mas não estamos aqui só para falar da aparência externa dos nossos artistas, mas sim do que eles realmente fazem ou pensam sobre cultura.

 

Durante o programa foram abordados vários temas, entre eles o conceito de cultura, onde o pontapé de saída foi com Dog Murras que achou a pergunta pertinente, pois como músicos e defensores da cultura nacional, é obrigatório que tenham em mente esse conceito, até porque tem que se conhecer o que se defende. Pareceu-nos de que muitos dos presentes sentiram um friozinho na barriga a quando da pergunta, o que nos deixa perplexos. Então o que eles estão defendendo? Curioso.

 

Dog Murras definiu cultura como modo de estar de um povo, e que como artistas eles existem para defender valores e incutir princípios, argumentou também que em angola não se valoriza o que é produto nacional, elogiou o facto de muitos artistas estarem respondendo a demanda de qualidade exigida pelo povo e pelos DJs. Interessante nós pararmos para pensar numa questão. Os artistas existem para defender valores e incutir princípios, mas com o surgimento de tantos cantores na praça esses valores não são mais pregados. Em angola o mundo da musica está muito fácil de manusear que qualquer um canta sem ter noção da responsabilidade que é ser defensor da cultura. Eles sabem o que é cultura? Que princípios e valores estamos absorvendo numa musica com o tema e mensagem como o “Cambuá”, e “Txuco”? Esses cantores têm noção do que fazem ou o interesse é só aparecer no mercado, mesmo que o conteúdo de suas letras seja impróprio para todas as idades? O povo tem ou não noção de cultura, valores e princípios? O que poderemos exigir das futuras gerações quando a presente está deteriorada?

 

São questões pertinentes e que cada angolano tem a obrigação de se fazer para poder ter noção de que herança cultural ele tem e dará no futuro a outrem. Só poderemos exigir o melhor quando assim o damos.

 

Outro aspecto que Dog Murras realçou foi o facto muitos artistas estarem respondendo a demanda da qualidade que lhes está sendo exigida. Mas o que vemos hoje em dia é que em angola a cada dia brota milhares de artistas em todo país e no exterior. E como o mercado musical está fácil demais (aí devemos saber o porque disso) qualquer um que sinta um momento de inspiração musical, no banheiro, na cozinha ou simplesmente porque gosta de musica quer ser cantor. Não sou contra a existência de vários cantores até porque ainda não saturamos de artistas, mas sim de pessoas que acham que cantam.

 

Grupo Black Fofas com single promocional no mercado mercado

Quem foi que disse que as Black Fofas cantam? Desde quando Sani Neto sabe acariciar nossos ouvidos com as suas musicas? Vamos deixar que qualquer um faça dos nossos ouvidos experimento para as suas supostas produções musicais? O que é musica afinal?

 

O Wikipédia (um site de pesquisa) define musica do grego μουσική τέχνη – musiké téchnea arte das musas) é uma forma de arte que se constitui basicamente em combinar sons e silêncio seguindo, ou não, uma pré-organização ao longo do tempo. Será que esses cantores têm noção disso? Até podem ter, mas tem um detalhe que é supra importante na música que eles ignoram, voz. Como é possível ser músico sem ter aulas de canto? E não importa o estilo. E muitos como esses citados estão fazendo sucesso dando cabo dos nossos ouvidos e mente. Um cantor que não domina sequer um instrumento musical, o que é isso? Os efeitos que se pode dar a voz com o avanço da tecnologia, não deve ser o suporte de um artista. Por isso vemos em muitos espetáculos, artistas que não conseguem cantar ao vivo, acabam dependendo da musica de fundo, ou playback mesmo. Como essa pessoa pode defender a cultura ou a sua própria área de atuação sem sequer ter noção dos elementos prioritários do seu mundo artístico?

 

Aplaudimos sim ao nascimento de vários artistas, mas exigimos que eles tenham consideração pelos nossos ouvidos e bolso. Houve um tempo em que as pessoas não compravam CDs originais por acharem que os artistas não mereciam e também pelo preço, mas hoje nós vemos pelas enchentes na portaria da musica (parque da independência) que essa mentalidade ficou para trás. O povo tem a cada dia criado gosto e consideração pelo trabalho dos artistas e dessa forma fazem esforço de aparecer no dia das vendas e sessões de autógrafos para aquisição do cd ou nas lojas de revenda. Tudo isso mostra a evolução do nosso senso de cultura. Por isso os artistas devem fazer o mesmo com o seu trabalho, preparem-se melhor, não tenham pressa, o mercado estará sempre disponível para os artistas e estudem, pois o conhecimento está na base do sucesso. Exemplo vivo é de cantores da nossa praça de renome que levam a sério o seu trabalho, e hoje continuam merecendo os aplausos e elogios. Nomes como Bonga, Carlos Burity, Yola Semedo, Peróla, Yola Araújo, Maya Cool, Heavy C, Yuri da Cunha, Matias Damásio, Danny L, Anselmo Ralph, entre outros. Hoje em dia vê-se uma maior preocupação por parte dos nossos “artistas” com as vendas e a fama do que com o quesito importante chamado CULTURA.

 

É claro que todo artista quer ver o reconhecimento e valorização do seu trabalho e ter um pouco de conforto na vida não faz mal a ninguém, mas devem também se preocupar com o que ensinam e transmitem para o seu público. Aceitam serem chamados de defensores da cultura, talvez porque o titulo fica bem, ou lhes dá certo “status”, mas não fazem jus ao nome que ostentam. Como o nome mesmo diz defensor, protetor, auxiliador, advogado da causa, essa deveria ser a idéia principal na mente de muitos dos nossos artistas, mas vemos o contrário. Prova disso são os discos de má qualidade que aparecem no mercado, as chamadas rochas, shows sem novidades, e o pior é subestimar o povo achando que estarão no pódio sempre que quiserem só porque um ou dois discos foi sucesso. Trabalhem, estudem e façam o melhor de vocês que nós iremos recebê-los com toda pompa e circunstância.

 

Nós amantes da musica merecemos o melhor e se os nossos artistas podem dar isso, vamos exigi-lo.

Música também é Cultura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui