- Publicidade -
Início* Angelina de salesLeitura obrigatoria: Amigos de vitrine

Leitura obrigatoria: Amigos de vitrine

- Publicidade -

  

   

Amigos de vitrine, quem não os tem? Você deve estar imaginando: amigos de vitrine ? Como assim? Pois bem: amigos de vitrine são aqueles que você os tem  porque, sabe que um dia ira precisar da ajuda deles. Ajuda que não é nunca para desabafar mais sim para uma ajuda do momento. Como quando você sabe que ele(a) é uma pessoa com grande influência e poderá abrir muitas portas para você. Não importa qual porta seja. Desde um emprego até uma apresentação para uma pessoa mais fluência que ele(a) para que te abram mais portas e portas até que se abram portões para te tornares tão importante quanto eles. Os amigos de vitrine são assim. Já vivem na nossa estante imaginaria cheia de vidro e um monte de repartições agrupados de acordo com seu poder de abrir portas, de acordo com o tamanho de suas chaves.

 

  

Da esquerda a direita de cima abaixo do meio ao topo com sua devida importância. Os que dou bom dia com mais entusiasmo, outros apenas por uma questão de educação, ou pela mera formalidade. Mais uma coisa é certa: não podemos deixar de falar com eles nunca. Sempre tenho de fingir que esta tudo bem porque sei que cedo ou tarde vou precisar de sua chave para que me possa abrir mais uma porta.

 

  

Engraçado que com os amigos de vitrine a gente não briga, esta sempre com aquele sorriso digno de um  curinga, a gente não fica amuado com ele não reclama de suas opiniões, mais com os amigos de verdade a gente faz tudo isso. Porque será?. Mais porque então que temos esses amigos de vitrine?

 

  

Em uma das reuniões de estudantes  da qual faço parte um dos directores alguém que por sinal respeito muito por sua simplicidade mesmo sendo alguém que  tem tudo para  não usar da simplicidade mas o faz mesmo assim, contou a história do menino zezinho que durante sua infância e inicio da adolescência tinha apenas um par de sapato. Quando o mesmo estragava de tanto uso seu pai comprava outro. Com o zezinho era assim, tinha um sapato de tempos em tempos, tinha de os lavar e esperar secar para que os pudesse usar. A vida deu uma volta e zezinho foi para fora do país em busca de algo melhor. Começou a estudar e nas suas compras comprou um monte de sapatos. Um dia seu amigo perguntou: zezinho porque que tens tantos sapatos se não os conseguis usar todos de uma vez só? E ele respondeu: eu sei que eu não  conseguirei usa-los de uma vez só, sei que vai demorar um mês para que eu os possa usar um de cada vez, mais quero tê-los  aqui no meu quarto só para os apreciar, saber que eles estão ai na minha estante e pronto.

 

  

Pois bem com os amigos de vitrine também é assim. Você sabe que com eles você não pode contar para os momentos de pura aflição, nos momentos de agonia da alma, porque nesses momentos a gente procura quem verdadeiramente poderá entender o que trazemos no peito e lamento informar  os amigos de vitrine não estão habilitados para tal, pois não os vemos como conselheiros, mais os temos porque um dia alguém disse que é importante ter parente na cozinha para tudo, e então os queremos ver nas nossas vitrines.

 

  

Mas existem pessoas que têm amigos de vitrine porque ele(a) os colocou nessa condição, e outras que nem sabem que tem, porque seu amigo(a) foi quem por conta própria resolveu colocar-se nessa condição e ainda por cima não deu a conhecer. Tem gente que se coloca na condição de amigo de vitrine mais nem sabe que o faz. O amigo que se coloca na condição de amigo de vitrine é aquele que te vê afundar mais não lança o laço para te socorrer, ele fica lá na margem olhando de longe  te vendo afundar e quando você se reergue ele diz: eu não te disse? Eu sabia que isso ia acontecer. Quantas vezes eu te avisei? Pois bem, se você só avisou e não me segurou, esperou que eu caísse  para depois me amparar saiba que estas tendo atitudes de um amigo de vitrine.

 

  

Eu também tenho a minha estante, tenho a minha vitrine. Quem não as tem? De vez enquando eu vou para lá, fico de pé olho para ela e vejo eles lá enfeitadinhos  cheios de pó a espera de uma oportunidade para quando eu precisar deles e tirá-los, limpá-los e usá-los. E sem querer minhas mãos se aproximam da maçaneta, eu abro a instante e é com muito pesar que reconheço um amigo que para mim nunca foi de vitrine mais que ele por conta própria resolveu colocar-se nessa condição.

 

  

E ai eu grito com ele(a) e digo: fulano(a) não acredito que estas aqui. Tenho te procurado tanto por esses dias e julguei que me tivesses abandonado achei que te tivesse perdido. Mais  fizeste pior. Ignorastes-me. Preferes-te esse subúrbio de vidro a estar comigo. Vieste colocar-te junto aos lobos preferindo a companhia dos carniceiros ao invés da minha, calando tua voz ao invés de  chamar-me a razão no intuito de que fosse gostar mais de ti por concordares comigo em tudo. Eu não vou gostar mais de ti por te calares, não vou colocar-te no topo da minha lista de melhores amigos por isso, não vou respeitar-te pelo teu silêncio ou elogios que apenas inflamam o ego e pouco constroem, mais sim pelo teu atrevimento de não te cansares em chamar-me a razão, pela tua ousadia e coragem de mesmo sabendo que ao falares para mim corres risco de colocar em perigo nossa amizade mais mesmo assim o fazes.

 

  

Eu quero ouvir a sua voz, não importa se para concordar comigo ou não. Mais eu quero ouvir a sua voz me dizendo o que é certo ou errado não importando se será certo ou errado para mim. Não importa, o que importa é que eu quero você comigo no seu natural, na sua bruta essência sem artifícios que tenham  passado por processos químicos de refinação que tiram o ingrediente principal que nutre, deixando apenas o que engorda com nutrientes que nada constroem e adoecem nossa amizade. Essência esta que poderá ser a que eu quero ou não. Mais eu quero a receita da nossa amizade completamente na integra junto com todos os ingredientes doces e salgados mais integral do que refinada.

  

 

E eu te pergunto: quem foi que te deu a autorização de te transformares em fantoche?  Que eu saiba eu nunca te dei essa autoridade e não vou aceitar que o faças. Eu quero você de volta como pessoa, como amigo(a) e nunca como um boneco de teatro que fala as coisas só para me agradar. Me agrade a 20% me fale a verdade a 100%.

 

 

 

Pois é, de vez enquando é necessário ter uma conversa seria com os amigos para acertar alguns pontos. A amizade, assim como uma relação entre marido e mulher, país e filhos não pode cair na rotina do comodismo. Amizade quando chega no ponto do comodismo é porque as pessoas já não se desafiam mais só falam coisas boas para amenizar. Sabe quando esta quase explodindo? Deixa explodir, depois a gente recolhe os cacos e começa tudo de nova. Antes recomeçar com a mesma pessoa que se acomodar. Se chegou no ponto do comodismo é porque já não existe mais amizade, existe vitrine. Os amigos já não falam, só dizem ele(a) não tem mais jeito deixa assim, e tem uns que nem sequer tentaram falar mais enchem a boca para dizer que o fizeram. Já não existe desafio, só restou a acomodação, a amizade virou algo parado, e tudo que é parado, é como um reservatório de água sem dono, ninguém cuida e tudo que é verme pousa e coloca seus óvulos infecundos para coisas boas produzindo apenas excrementos. Isso não trás saúde isso trás Malária, o famoso paludismo e acaba adoecendo a alma da amizade, a alma do relacionamento.

 

 

 

Não da para viver a vida assim. As pessoas já não tem mais receio em dizer que eu tenho amigo para me levar pró cinema, amigo para pagar minhas contas amigos para colocar saldo no telefone amigo para me levar ao salão, as festas e os mantenho em prol de um estilo de vida.

 

 

 

Pois e ai eu te pergunto: tenha a coragem de levantar a mão e contar nos dedos quantos amigos você tem para chorar em seus ombros? Quem é que você procura quando estas no fundo do poço e queres um conselho para valer? O amigo da vitrine, ou o amigo que esta sempre do seu lado e te fala a verdade mesmo que doa? Quem você realmente procura quando você precisa de desatar os nós e mostrar a tua alma nua e crua cheia de impurezas naqueles momentos em que você acha que Deus te abandonou, naqueles momentos  que nada da certo na sua vida? O da vitrine ou o amigo do lado, o dos momentos impossíveis?. Tenha a coragem de parar e enumerar quantos amigos de vitrine você tem e quantos amigos de verdade você tem? Aposto como tem muitos que tem até duas estantes ou mais para os acomodar, mais aos de verdade nem conseguem acabar de contar nos dedos de apenas uma mão pois sabem quão pouco eles são.

 

  

Destrua todas as vitrines e comece a coleccionar amigos de verdade.

 

   

por  Angelina de Sales

- Publicidade -spot_img
Mais recentes
Artigos relacionados
- Publicidade -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments