O Trauma

0
85

Nessa vida, todos nós tomamos cuidados para não sermos traumatizados, muitos tomam mais cuidado ainda de não traumatizar o próximo. Por uma questão de bem-estar, a nossa consciência nos alerta sempre que entramos numa zona de desconforto.

Com o passar do tempo, os seres humanos foram ficando cada vez mais frescurosos, e hoje em dia são esse poço de ar fresco, umas tremendas geleiras das Antártidas. Vemos pessoas se traumatizando por tudo e por nada. Ora porque viu alguém a beijar na rua, ora porque roubaram-lhe o namorado, ora porque caiu no chão, ora porque o pai esbofeteou-lhe, ora porque mataram toda a sua família, ora porque está sempre a reprovar… Epá, tem trauma para todos os gostos, e pessoas escolhendo a que melhor se adapta a sua personalidade.

Entretanto, existe algo nessa terra que deveria chamar-se de “o pai da traumatização”, e isto, isto chama-se festa de aniversário.
A festa de aniversário é o patrono dos traumas,Comandante-em-Chefe, segundo dados estatísticos mais de 80% dos traumas são provocados por essa festinha sem importância alguma. Mas deixem que vos diga: Se você acha que o seu aniversário não tem importância alguma, e que não deveria haver festinhas para celebrar, pois então, você faz parte das estatísticas. É, meu amigo, também és um traumatizado.

Mas de onde vem essa “maka” toda? De onde parte tanta “funguiça”?
Todo mundo já pensou em dar uma mega festa de aniversário, com todos os seus amigos e conhecidos, uma festa de parar o prédio, o bairro, a avenida, o município e quiçá mesmo a cidade.
Após pensar, você realiza a festa. Só que a gente já sabe como é a vida, os seus amigos e os seus conhecidos, eles estão sempre prontos para te dar um bom soco na boca do estômago. Prontos só não, porque eles realmente dão quando alguém mais popular que você decide dar também uma festa no mesmo dia. E assim você leva um bom sopapo das vistas e ninguém aparece na sua festa. Realçar que quando se trata de festa, se planeias chamar 80 e só aparecem 20 (com muito milagre e poder divino), é o mesmo que nada. Então a sua festa bate na rocha!

Cada minuto leva 30 minutos para passar, podes fazer tudo que estiver ao seu alcance e o tempo não passará. Sofrerás! Nem já quando uma namorada te trai e tu lhe apanhas dói assim. É muita vergonha! A tua cabeça começa a pesar 70 kilos. Desenvolves uma química absorvente e inexplicável com o chão, parece que a sua cara e o chão querem fazer amor. Aí, o DJ começa a tocar mal. Quer dizer já não basta não ter ninguém, o DJ ainda se dá o luxo de dar “bandeiras”. Tentas recuperar murmurando que és forte, mas quando olhas à volta, vês um salão super grande, decorado com luzes negras e máquinas de fumo e tudo, dos 20 convidados que apareceram 5 são primos e 15 são fofoqueiros (e tudo homem, nada de mulher), não tem como não estares na boca do povo no dia seguinte. A sua vida parecerá um filme do James Bond: O Amanhã Nunca Chega! Toda e qualquer gargalhada solta, a sua mente dirá: Estão a te rir “malé”! 
O pior, se é que existe algo pior do que o que está a acontecer, é que aparece sempre alguém que tenta sentir a tua dor. Boom… Começas a procurar cordas para suicidar-se ou até mesmo uma navalha para cortar os pulsos, mas só tem faca descartável. 
Nessa fase, já não queres mais saber do bolo de aniversário, ou se entrou pato no boda. O que mais queres é que apareçam patos. Mas nem essa “falida” terás, é muita sorte para ti. Patos não gostam de boda podre.

Lá a noite acaba. Aquilo que mais querias aconteceu. Já não há mais festa, ou pelo menos um jantar que tentou mascarar-se de festa. Todo mundo já se foi embora. Começas a dar razão aos ricos por contratarem especialistas na hora de organizar uma festa de aniversário. Agora aparece outro problema: Não queres dormir porque se o fizeres, o amanhã chegará. Estás em sérios palcos de aranha! Ficas a pensar: Será que não tem ninguém aí interessado em te matar. Quiçá matar toda tua família fazendo com que o assunto do dia seguinte não seja a tua festa qu
e ao invés de bater na Rocha, “rochou memo” já no Catambor!


Durante a madrugada, os seus sonhos foram apenas sobre a lenha que você tentou organizar. O dia clareia, notas que a maior desgraça da tua vida foi estares vivo. Começas já a jurar: Eu “memo”, assim “memo” eu, juro nunca mais dar festa de aniversário. O trauma está instalado. Queres psicólogos, você é maluco, “tás” a pensar que estás na Europa ou quê?! Aqui é África, “tá brincá cô” vida!

 


Quando sais a rua, notas que os teus “amigos” deveriam ser evangelistas, espalharam as boas novas extremamente rápido. E aí… Xeque-mate… Mais um que nunca mais dará festas.

Eu sei que chegou aí partes em que você riu bwé, mas Vamos Lá Ser só Sinceros, todo mundo que hoje em dia não aceita dar boda no seu aniversário, está traumatizado. Já deu uma lenha que ninguém foi. Se ainda não te aconteceu, e você gaba-se de não gostar mesmo, é porque viste alguém a passar por isso, e disseste: Possas! Eu nunca vou fazer isso!

Eu vou dar uma dica: Um amigo que não aparece na tua festa de aniversário, é só teu amigo de vuco-vuco, vapo-vapo! Não dá para lhe pôr muito próximo do coração, vai espetar-te uma facada para ver o que acontece. Festa podre ou não, o teu amigo estará aí a pular, a fingir que está bom, mas no dia seguinte vai te falar. Se não tiver transporte, ele vai se bater no chão, mas vai ter transporte, se está relaxado a espera que algo aconteça, essa pessoa não tem urgência nem vontade de ir. Acomodou-se! Eu já coei certos bodas, mas coei porque não queria ir. Aqui ninguém me vem com fatelas de que não deu porque estava mesmo ocupado; “xé”, assim até as 2 horas da manhã estavas a resolver grandes assuntos, “né”?

Quando a festa está podre ou “malaike” a culpa é sempre dos convidados, pois eles não sabem como levantar a moral da farra. Portanto é bom que tenhas sempre um grupo de amigos que pertençam a FAF (Federação Angolana dos Fanfarrões).

Posso aqui voltar a fazer uma lista de situações que possivelmente desencadeariam uma corrente de trauma. Mas nenhuma, repito ALTO e em BOAS LETRAS, nenhum desses traumas, nem o de guerra, chegará perto e causará mais danos do que uma festa de aniversário mal comemorada!

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments