- Publicidade -

More

    Relançamento das industrias culturais e criativas nas metas do Ministério da Cultura

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    O relançamento das industrias culturais e criativas, como forma de levar a cultura às comunidades, é uma das linhas de força do programa do Ministério da Cultura para os próximos anos, afirmou nesta terça-feira, em Luanda, a ministra Carolina Cerqueira.
     
     
    Para o efeito, de acordo com a ministra que falava à imprensa a margem da apresentação dos secretários de Estado aos quadros do sector, as industrias culturais têm igualmente o pendor de gerarem emprego nas comunidades e contribuírem na valorização e divulgação da identidade cultural dos angolanos.
     
    Carolina Cerqueira avançou que as industrias culturais e criativas poderão igualmente permitir com que a nova geração receba conhecimentos exactos sobre a cultura angolana e possa, desta forma, ser os principais divulgadores e valorizadores da identidade nacional.
     
    Para o período 2017/2022, o sector cultural tem ainda como aposta a potenciação dos agentes culturais, com realce para os ligados as áreas das artes plásticas, teatro, dança e música, pelo trabalho desenvolvido em prol da internacionalização da cultura angolana.
     
    De acordo com a governante, para o período em causa o sector vai também trabalhar no sentido se conseguir inscrever o Monumento do Cuito Cuanavale, as Pinturas Rupestres do Tchundu Hulu e o Corredor do Kwanza na lista do património mundial da Unesco, tendo em conta que possuem elementos históricos que merecem ser conhecidos e preservados internacionalmente.
     
    Por seu turno, os secretários de Estado, Maria da Piedade de Jesus e João Constantino, manifestaram total disponibilidade para levar a bom porto o plano estratégico do sector, contribuindo, desta forma, para engrandecimento da cultura angolana.
     
    João Constantino, que foi reconduzido no cargo, adiantou que o sector vai igualmente traçar uma estratégia para o relançamento do sector cinematográfico, nomeadamente na vertente da produção.
     
    O responsável avançou que alguns projectos do sector deverão obrigatoriamente contar com a intervenção dos privados, como parceiros privilegiados do Estado.
     
    Maria da Piedade de Jesus, que já exerceu entre outros os cargos de directora do Museu Regional de Benguela e do Instituto Nacional do Património Cultural, adiantou que, relativamente ao dossier Mbanza Kongo, se vai trabalhar no sentido de se potenciar o Comité de Gestão do Centro Histórico para levar a cabo as orientações da Unesco.
     
    Para Maria da Piedade, a comunidade local deve usufruir dos benefícios da inscrição de Mbanza Kongo como património mundial, dai a necessidade de se trabalhar com os demais sectores para se potenciar o turismo cultural, entre outras áreas.
    Share this
    Tags

    A Bombar

    Presidente João Lourenço e Ana Dias irradiam simpatia na 10ª edição dos Prémios SIRIUS

    O Presidente João Lourenço e a Primeira Dama, Ana Dias, foram os destaques da noite durante a gala da 10ª edição dos Prémios SIRIUS....

    Reverendo angolano Paulo de Carvalho recebe certificado de Mérito pela Universidade de Oxford

    Por: Sara Rodrigues Mais um angolano a elevar o nome de Angola e a ganhar destaque lá fora. Trata-se de Paulo de Carvalho da Conceição,...

    “Sleeping Dogs – A Teia” promete emoção e suspense no ZAP Cinemas!

    Prepare-se para uma dose de adrenalina com o regresso do thriller policial ao ZAP Cinemas. A partir de sexta-feira, 12 de Abril, "Sleeping Dogs...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto