Yuri da Cunha, e D'­Black , falam de possível parcerias

0
153

Os cantores Yuri da Cunha, de Angola, e Vinicius Cardoso (D’­Black), do Brasil, realizaram sábado, na cidade do Lubango, na província da Huíla, um encontro público no qual abordaram aspe­ctos relacionados com as suas carreiras e com o desenvolvimento da cultura dos respectivos países, acordando integrar projectos comuns.

 


Em declarações à agência Angop, no final do encontro, Yuri da Cunha, que realizou um espectáculo no Lubango, referiu ser um privilégio trocar ideias com cantores da dimensão de D’Black.

 


Segundo Yuri da Cunha, apesar das diferenças rítmicas e das características específicas de cada país, existem muitas similitudes entre os respectivos estilos e percursos das suas carreiras.

 


“A música angolana e brasileira representam um peso muito significativo para a cultura de ambos países. Por essa razão, deve-se apostar mais na elevação da qualidade desta arte”, disse Yuri da Cunha.Por seu turno, D’Black, que cantou na cerimónia de eleição da Miss Huíla 2011, realizada sábado, manifestou a sua satisfação por trocar experiências com Yuri da Cunha.Para D’Black, Yuri da Cunha representa um “símbolo e fenómeno” da música angolana, pela projecção e qualidade que apresenta nos seus trabalhos, apesar da sua juventude.

 


O artista brasileiro realçou que Yuri da Cunha é uma referência no Brasil, não só da música angolana mas também de África.
“É um prazer muito grande partilhar ideias com Yuri da Cunha, que é um dos cantores africanos da nova geração mais conhecido no Brasil, através da sua participação em programas de televisão, bem como no nosso Carnaval”, salientou.
Por essa razão, D’Black deu a conhecer que gostaria de partilhar com Yuri da Cunha projectos comuns em Angola ou no Brasil, assim como em outras partes do mundo, aproveitando a sua vasta experiência internacional.Natural do Rio de Janeiro, onde nasceu em 1985, D’Black gravou já três álbuns, nomeadamente “Soul Brasileiro”, “Sem Ar” e “D’Black Music”, de estilo pop, soul e romântico. O artista brasileiro conta com vários sucessos em bandas sonoras de telenovelas do seu país, tendo já arrebatado, entre outros, o prémio de Cantor Revelação, no concurso Melhores do Ano de 2008 do programa da TV Globo Domingão do Faustão.



Espectáculos vibrantes

Yuri da Cunha foi uma das principais atracções artísticas das Festas da Senhora do Monte. Acompanhado pela sua banda e convidados, actuou sexta-feira no Pavilhão Nossa Senhora do Monte, no Lubango, para onde afluíram centenas de fãs.


Sem fugir à regra, Yuri da Cunha, também apelidado por “Show Man”, fez um espectáculo animado e interactivo com o público.


“Os meus fãs participaram de diferentes formas: cantaram, dançaram e brincaram. Isto é o que eu podia esperar de melhor, tendo em conta os aspectos que me identificam, como a dança e a energia que me caracteriza em palco”, disse.


O autor de “Makumba” e “Kuma Kwa Kié” esteve, no dia seguinte, na cidade do Namibe, cativando igualmente o público local. Cerca de oitocentas pessoas lotaram o recinto do espectáculo, que durou uma hora, e acompanharam em coro todas as músicas com que brindou o público.

 

 


As canções “Zig zig”, “Kuma kwa kié”, “Miúda Lena”, “Cheiro bem”, “Próprio mwangolé”, “P­PP”, “Vai bater mal”  foram bastante aplaudidas e mereceram pedidos repetição. Geovani e Chibuli também subiram ao palco a convite de Yuri da Cunha.

 

 

 

( com JA) 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui