Teve início no passado dia 17 de Março, a 1a fase de votação da VIª Edição dos Angola Music Awards 2018. Após a conclusão da 1a fase de votação, as categorias eliminatórias “Melhor Afro-House”, “Melhor Colaboração”, “Melhor Ghetto Zouk”, “Melhor Kuduro”, “Melhor Produção Musical”, “Melhor R&B/Soul, “Melhor Rap/Hip-Hop”, “Melhor Vídeo Clip”, “Melhor World Music”, já têm os 5 finalistas mais votados, os quais passaram, nas respectivas categorias, para a 2a fase de votação que começa hoje dia 03/04/2018.

O sistema de votação para a VIa edição dos AMA, compreende duas fases, sendo que a 1a fase (de votação exclusiva do público) terminou no dia 1 de Abril, aonde as categorias acima descritas foram eliminatórias. A 2a Fase conta com a votação do público (50%) e ainda de um Corpo de Jurados composto por 7 membros (50%). Os finalistas nas categorias acima mencionadas estão devidamente descritos na listagem que se segue:

MELHOR AFRO-HOUSE
Abre Mais – Nerú Americano Feat. Preto Show & Dorivaldo Mix

Abre O Motor – Preto Show Feat. Godzila Pelotão & Os Banah

Waatão – Puto Prata Feat. Dj Habias, Piploy Pipas & Veneno

Ninguém Foge – Os Moikanos
Awaa – Cabo Snoop Feat. Olamide

MELHOR KUDURO
Abre O Livro – Noite & Dia
Do Ti Paixão – Aércio Miller Feat. Madruga Yo Yo

Zaranza – Nerú Americano
Tock Do Nana – Nagrelha
AONDE DEUS ME LEVAR – Jéssica Pitbull

MELHOR RAP/HIP-HOP
3 Da Manhã – TRX Music
Uh La La La – Mobbers
Um Assobio Meu – Eva Rap Diva Feat. Gari Sinedima

Lugar De Mulher – Miss Skills
Já Nasci Assim/Conquistador – Young Double

MELHOR ARTISTA FEMININA
Anna Joyce
Telma Lee
Noite & Dia
Abiude
Eva Rap Diva

MELHOR COLABORAÇÃO
Claúdio Fénix Feat. Lil Saint – Volta Só Já
Preto Show & Biura – Sacanagem
Cabo Snoop Feat. Olamide – Awaa
Cef Feat. Johnny Ramos (Dj Dias Rodrigues) – Mulher Tem Força

Filho Do Zua Feat. Prodígio – Tá Lembido

MELHOR GHETTO ZOUK
A Saia Dela – Filho Do Zua
Mônica – Kyaku Kyadaff
5 Minutos – Kelly Silva
Tatuagem – Telma Lee
Ex Damo – Jay Oliver

MELHOR PRODUÇÃO MUSICAL
A Saia Dela – Teo No Beat (Filho Do Zua)
Dona Da Favela – Niiko (Duc & Niiko Feat. Dj Nelasta)

Boca Azul (Remix) – L’vincy
La La La – Gaia Beat (Zona 5)
Caíste Do Céu – Samuel Beat (Cage One Feat. Landrick)

MELHOR R&B/SOUL
Outros Olhos – Duc & Niiko Feat. Sarissari
Disse Que Disse – Young Double Feat. Selda
Para Vencer – Rui Orlando
Bato Lata – Ex3mo Signo & Ready Neutro Feat. Cef

Sou Assim – Neide Sofia

MELHOR VÍDEO CLIP
Africa Unite – N’soki Feat. Dj Maphorisa & Dj Paulo Alves

Volta Só Já – Claúdio Fenix Feat. Lil Saint
Tatuagem – Telma Lee
Awaa – Cabo Snoop Feat. Olamide
Ex Damo – Jay Oliver

MELHOR WORLD MUSIC
Dona Da Favela – Duc & Niiko Feat. Dj Nelasta
Arrependimento – Filho Do Zua Feat. Gabriel Tchiema

Arrependimento – Telma Lee
Cinderela De Aluguer – Instinto Primário
Olha Cara Dele – Mami Táxi

As votações continuam a decorrer no site do AMA e na rede social facebook em “Angola Music Awards”, até ao dia 3 de Maio de 2018.
A Gala de entrega de prémios, da competição que tem por objectivo a promoção da cultura musical nacional, através dos trabalhos dos melhores e mais populares criadores da música angolana, terá lugar no próximo dia 05 de Maio no Pavilhão Helmarc Arena, no Kilamba e será transmitida para todo o mundo através da Platina Line, TPA, ZAP e RTP.

Artigo anteriorFredy Costa parabeniza Grace Mendes pelo prémio no Moda Luanda: “Parabéns, minha Queen!”
Próximo artigoDabeleza diz que Tolgahan Sayışman “Yigit” tem seus vídeos no Telemóvel
HÉLDER PEDRO, DE COBRADOR DE TÁXI A PROMESSA DA TV NACIONAL Há alguns meses que a televisão nacional ganhou um novo rosto. Hélder Pedro é o “platinado” que todos os sábados apresenta o mais recente programa de televisão sobre o jet7 angolano, no canal Jango Magic, da operadora DStv. A voz naturalmente colocada e a dicção não deixam margem para dúvidas de que a vocação radiofónica está-lhe no ADN. Apesar de ter optado por estudar Ciências Físicas e Biológicas no ensino médio, Hélder era apelidado pelos colegas de o “Bartolomeu da sala”, numa clara comparação a Ernesto Bartolomeu, famoso apresentador do telejornal da TPA 1. Várias foram as vezes que o jovem ouviu dizer que estava a perder-se no curso errado, porque “tinha um grande potencial para o jornalismo”, disse em entrevista à BANTUMEN. Num teste às suas capacidades, em 2008, decidiu criar a Rádio One, onde o seu quarto era o estúdio e os vizinhos a audiência. Uma coluna no terraço e estava criada a primeira rádio a ser emitida no município de Cacuaco. “Tudo o que eu falasse, as pessoas que viviam nos arredores da casa ouviam. O programa da Rádio One começava às 18 horas e tinha como convidados os meus irmãos e primo. O projecto surge com o intuito de entreter as noites da nossa vizinhança, uma vez que havia muita bandidagem no bairro e a zona era muito silenciosa.” Mas antes de chegar às televisões do país através do semanal “Platinando”, as curvas e contra-curvas da vida de Hélder levaram-no a ser pedreiro, cobrador de táxi, taxista e segurança num quintal do pai. Mas a perseverança está-lhe impressa no caracter. Em 2012, o “Bartolomeu da sala” conseguiu chegar à redação da Platina Line, através do pai que conhecia um dos funcionários da empresa. “Por ser bom e talentoso, passei no casting. Comecei como repórter, passei de seguida a fazer o programa de rádio na Kairós e fui promovido mais tarde para apresentador de TV, fazendo até hoje o programa “Platinando” com a minha colega Rosa de Sousa.” Um ano mais tarde, a responsabilidade do jovem trabalhador-estudante tornou-se demasiado pesada e foi necessário optar entre as várias actividades que desenvolvia ao mesmo tempo. “Estudava na Utanga do Capolo, fazia o curso de Electrónica e Telecomunicações e era difícil conciliar os estudos, serviço de táxi “não personalizado” e a Platina Line. Larguei o táxi e os estudos por falta de apoio, pois nessa altura o meu pai já não tinha condições para sustentar os meus estudos. E eu que sempre pensei que ser estudante universitário fosse um mar de rosas e que fosse principalmente fácil pagar as propinas, enganei-me!” Depois de dois anos dedicados à comunicação, Hélder decide voltar a estudar e é actualmente aluno da Universidade Independente de Angola, no curso de Ciências da Comunicação. Numa breve análise à liberdade de expressão dos meios de comunicação nacionais, Hélder Pedro diz que a “Platina Line veio revolucionar a comunicação social em Angola, em particular o mundo do entretenimento. Mas, como infelizmente a nossa sociedade ainda não tem uma mente tão aberta neste campo, encaramos certas informações como abusos contra identidade, o que impossibilita a liberdade de comunicação e muitas vezes de expressão. Como resultado, muitos jornalistas, comunicólogos e não só, vêem-se na obrigação de omitirem determinadas informações”, explica. Entre o online e a TV não consegue designar um preferido e garante que as duas categorias têm as suas vantagens. No entanto, os seus objectivos centram-se em chegar à cadeira de pivô de telejornal e, quem sabe, ser o sucessor do ídolo Ernesto Bartolomeu.