- Publicidade -

More

    A minha aventura Chevening no Reino Unido

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    Sou Yves Mafolo, Angolano, 32 anos e natural de Luanda, Angola.  Após ter trabalhado em auditoria interna e planejamento financeiro por pouco mais de 5 anos, eu queria fazer a transição para o mundo dos investimentos e consultoria e pensei que um mestrado ajudaria nessa transição. Comecei então a procurar várias oportunidades de financiamento para meu mestrado. Então, ouvi falar sobre as Bolsas Chevening através de um amigo que estava a estudar no Reino Unido. Pesquisei mais sobre o programa e me revi em muitos dos requisitos que o Chevening estava a procurar: falar Inglês, ter um plano de carreira alcançável, ser licenciado e aspirar contribuir para o desenvolvimento de Angola e África.

    Candidatei-me e tive a sorte de ser selecionado para o Chevening em 2020.  A bolsa permitiu-me fazer um mestrado em Finanças, um campo pelo qual sou apaixonado, e em uma das universidades mais prestigiadas do mundo – a Universidade de Cambridge. Foi realmente um sonho que se tornou realidade!

    Antes de viajar para o Reino Unido para estudar, participei do Programa de Orientação na Embaixada Britânica em Luanda. Tive a honra de conhecer a Embaixadora de Sua Majestade Britânica em Luanda, Jessica Hand, bem como aos outros bolseiros Angolanos para 2020-2021.

    Ouvi estórias bastante interessantes acerca do Reino Unido e estava ansioso. Contudo, apesar de estarmos a meio de uma Pandemia, mudei me para o Reino Unido em Outubro de 2020.

    Cambridge é um lugar intelectualmente desafiador, mas no que trata ao contexto social, não tinha qualquer expectativa. Posso dizer que durante a quarentena, a acomodação e a recepção foi bem positiva: tinha uma equipa da Universidade de Cambridge a aguardar por mim aquando da minha chegada, os alunos voluntários traziam comida e mensagens importantes. Nesse período de incerteza global, pude realmente testemunhar a hospitalidade do Reino Unido.

    Assim que saí da quarentena, percebi como o Reino Unido é um país diverso e multicultural. Interagi com pessoas dos quatro cantos do mundo e aprendi muito com as suas experiências de vida diversas! Um dos meus melhores amigos na acomodação na faculdade, por exemplo, era um colega de origem Curda, do Curdistão situado a leste da Turquia – algo que eu nunca teria imaginado.

    Em termos de alimentação e fiquei feliz em ver a variedade de opções. Em Cambridge podia obter facilmente qualquer tipo de comida, desde comidas africanas a comidas asiáticas. Há sem esquecer um dos pratos mais populares da Inglaterra: filetes de peixe com batatas fritas. Gostaria de ter provado este prato desde o primeiro dia, porque é simplesmente óptimo.

    Relativamente ao ensino, em Cambridge, o sistema é projetado para que as notas acima de 70% sejam bastante raras, portanto as notas tendem a variar entre 60 e 69, mesmo quando se produz um trabalho de qualidade. Foi um pouco frustrante, mas acabei por me acostumar. Na universidade, a camaradagem foi rapidamente estabelecida com outros Bolseiros Chevening de Angola e não só, sim porque anualmente o Chevening envia cerca de mais de 1500 pessoas de todo o mundo para fazer o mestrado no Reino Unido.

    Durante minha jornada Chevening, também tive a oportunidade de aproveitar as vantagens da comunidade dos Graduados Chevening, por exemplo recebi dicas de como encontrar emprego após a conclusão do Mestrado e até cheguei a ir de férias para o Quênia na Passagem de Ano de 2020.

    Um dos pontos altos da minha jornada Chevening foi a oportunidade poder ver a beleza do país e entender melhor as diferenças culturais dentro do Reino Unido. Finalmente entendi por que um amigo da Escócia se sentiu ofendido quando, por engano, me referi a ele como inglês na primeira vez que nos encontramos.

    Finalmente, a Embaixada Britânica, os gestores do programa Chevening no Reino Unido e a Universidade de Cambridge fez com que eu me sentisse valorizado e respeitado como estudante e como pessoa. Porque qualquer situação, esteja ela relacionada com a acomodação, bem-estar, despesas ou qualquer outro tema era tratado com a máxima seriedade e rapidez.  Todo esse apreço e consideração apenas serviram de motivação extra para me esforçar e me destacar academicamente para não decepcionar a mim mesmo, à minha família e aos gestores de programa que estão a investir o seu tempo na minha educação.

    Tenho plena certeza de que a minha educação, agora aprimorada na Universidade de Cambridge através da bolsa Chevening, permitirá alcançar as minhas aspirações para o continente Africano. Quero dirigir uma empresa de investimento pan-Africana que tirará milhões de pessoas da pobreza, proporcionando o acesso a capital e experiência operacional ou financeira para outras empresas. O que antes era um sonho, passou a ser uma realidade e que graças ao programa de Bolsas Chevening, passou a ter um plano viável para a sua implementação.

    Eu encorajo todos vocês que estão a ler o meu testemunho e que têm grandes planos, a considerarem as Bolsas Chevening como uma plataforma que vos pode auxiliar a atingir os vossos sonhos! As candidaturas para 2021, abrem agora de 3 de Agosto a 2 de Novembro 2020, em www.Chevening.org/Angola.

    Deixo vos uma dica: o Chevening é baseado em liderança e influência e ao preparar a sua candidatura, pense e escreva sobre os momentos em que demonstrou liderança com exemplos práticos e visíveis.  Não deixes passar esta oportunidade e boa sorte!

    Assinado:

    Yves Mafolo, Mestre em Finanças pela Universidade de Cambridge – Classe de 2021

    Osvaldo
    Osvaldo
    Editor da Platina Line
    Share this
    Tags

    A Bombar

    Restos mortais de Ângelo Victoriano repousam na Santa Ana

    Os restos mortais do antigo basquetebolista Ângelo Victoriano repousam, desde hoje, quarta-feira, no cemitério do Santa Ana, em Luanda. Ângelo Victoriano, o segundo angolano a...

    Coca-Cola e Química Verde levam água potável à província do Bengo com Biofiltros

    Por Sara Rodrigues Fotógrafo: Joaquim Manuel A Coca-Cola, em parceria com a Química Verde, implementou nesta quarta-feira, 17 de abril, uma iniciativa para proporcionar água potável...

    “O mundo não aprecia coitados nem perdedores”, diz Teresa Sara

    A atual Miss Angola Internacional, Teresa Sara, deixou um conselho para as jovens que a veem como modelo. Em sua abordagem, aconselhou-as a lutar...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto