- Publicidade -

More

    A Platina Line esteve Presente: Veja Reportagem do Mega show de Kanye West e Jay-z:

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

     

    5 de Novembro, Miami -Florida e não se falava em outra coisa nas redondezas: Watch The Throne, o show.

     

    Claudio Kiala, aka CFKAPPA, foi repórter por um dia da Platina Line, no grande show de dois dos maiores nomes da Música mundial e  os  melhores  do Hip Hop atual, Jay-z e Kanye West.

     

     

     

    American Airlines Arena foi o local onde toda a mágica aconteceu. O bilhete nas minhas mãos marcava 07:30PM como hora do evento, e acho que se referia à abertura das portas pois o show só começou as 08:30. Havia surpreendentemente dois palcos. Um em cada extremo. O maior de um lado, e o menor, no outro extremo da sala. Enquanto a casa se enchia de pessoas, a área VIP também. O primeiro reconhecido foi a estrela de basketball DwayneWade, que após aproximadamente 7 minutos à sua chegada na área VIP tinha o público a gritar para si com paixão e implorando por fotos. Mais tarde juntou-se também Lebron James, e a seguir Will SMith e o seu filho, mas estes foram reconhecidos à primeira. Muita gente comentava sobre quem seriam os participantes do show e quem abriria o espectáculo. A resposta chegou assim que as luzes se apagaram instantaneamente. A euforia era já incontrolável naquele momento. Toda a gente gritava sem saber o que ia acontecer mas com certeza de que seria uma coisa fantástica. Das colunas começou a tocar a melodia que é usada durante algumas músicas do Watch the Throne, e que inclusive está no princípio da música Who gon’ Stop me, dentro do álbum.

     

     

     

    A música escolhida para abrir foi o H.A.M. Quando a música começou, cada um dos intérpretes estava num dos palcos. Enquanto cantavam, sob a euforia do povo, os dois palcos começaram a se elevar. Sim! Os palcos subiam que nem elevadores enquanto os dois cantavam. Pouco antes da música terminar, os palcos começaram a descer até ao fim. As luzes se apagaram e depois de uma pequena fracção de tempo os dois artistas desapareceram. Não tardou para começar a música de original Otis Redding, a mesma que usaram para a música Otis. Uma bandeira enorme dos Estados Unidos de America se estendeu do tecto ao chão e finalmente a música Otis entrou em cena. Jay-Z e Kanye West saíram do “chão” a cantar a música com uma cumplicidade maravilhosa.

     

     

    Jay-Z saiu do palco para Kanye West cantar o tema do seu álbum Graduation intitulado “Flashing Lights”. Para a alegria do povo, após essa música, Kanye West, ainda sozinho no palco mencionou que aquilo não era nada e “we still have a lot f hits to play”. E era verdade. Kanye West mexeu com as emoções de quem aprecia as suas músicas indo rebuscar o tema “Jesus Walks”, o qual cantou boa parte ajoelhado. Continuando a onda de sucessos, as letras nos ecrãs gigantes diziam: “Diamonds are forever”. E sim. Kanye West cantou a sua primeira estrofe da música original, e a segunda estrofe do remix da mesma música, e Jay-Z entrou para cantar a sua estrofe no remix dessa música.

     

     

     

     

    A seguir foi a vez de Kanye West sair do palco quando Jay-Z decide desta vez cantar a música “Public Service” gritando: “Allow me to re-introduce myself! My name is…” E o povo respondeu como diz a música. A seguir, outro sucesso. Jigga sozinho em palco cantou a música “Can’t get enough”, seguida de “Run This Townem que Kanye West entrou para cantar a sua estrofe também.

    Terminado isto, foi a vez de os dois cantarem a música Monster, que consta no último álbum a solo de Kanye. A seguir, Kanye cantou Power, e logo a seguir os dois cantaram Made in America com imagens de Martin Luther King nos ecrãs. Após essa música, os dois se sentaram no palco e Kanye confessou que a música a seguir tinha muito valor para si, e que para ele foi “the realest sh*t I’ve ever wrote”. Eles se referiam à música New Day.

     


    Kanye abandonou o palco após a música para Jay-Z interpretar Hard in the Knock, seguida de Izzo e matar a conta com Empire State of Mind, dizendo que amava Miami, mas ele representa New York.

     

     

    Fechado o set de Jay-Z, Kanye entrou no palco oposto e interpretou Runaway enquanto o palco subia. As luzes do palco ficaram vermelhas e a sala escura. Kanye interpretou Heartless e no fim da música pediu que se as pessoas na sala amassem alguém, que mantivessem essa pessoa perto de si, e ainda brincou pedindo às mulheres para não verificarem os e-mails dos homens. A seguir foi a vez de Stronger, música do álbum Graduation. A saga não parou por aí. Das colunas ouviam-se vozes. E enquanto o palco de Kanye baixava, o palco de Jay-Z acendia enquanto subia que nem elevador. Jay-Z cantou On to the next one. Tempo suficiente para Kanye juntar-se ao palco maior, onde estava Jay-Z, para juntos interpretarem a música “That’s my B*tch”.

     

     


    Kanye cantou Good Life, Touch The Sky, e All of the Lights. Jay-Z seguiu com Big Pimpin’. As imagens nos ecrãs, de animais selvagens, anunciaram a música “No Church in the Wild”. Quase a terminar os dois deixaram apenas o coro da Beyonce na música Lift Off e fecharam com o grande Hit: “N*ggas in Paris”.

     

     

    net_452x192

     

    O curioso sobre essa última música, é que Jay-Z estava tão entusiasmado em cantá-la que quando terminou gritou “Again”, para cantar de novo. A música foi interpretada duas vezes e os dois se despediram. O público embora satisfeito, pediu que voltassem. Após de 2 minutos sem resposta, os dois voltaram ao palco e cantaram a mesma música pela 3ª vez. Após terminarem, o público pediu por mais. Jay-Z disse que o máximo número de vezes que cantam aquela música são 3 vezes, mas que naquela noite iriam quebrar o record. A música foi interpretada mais uma vez. E como se não bastasse, uma quinta vez a seguir. Após a quinta, Jay-Z aparentemente muito feliz disse que era o fim e saíram do palco ao mesmo tempo.

     




    Share this
    Tags

    A Bombar

    Casal presidencial passeia pelas dunas do Parque Nacional do Iona

         O Presidente da República andou de moto nas dunas do Parque Nacional do Iona. Um momento de descontracção com o qual lançou um...

    TAAG põe fim a acordo com Hi-Fly e volta a assegurar na totalidade voos Luanda-Lisboa

    No seguimento do plano de manutenção e recuperação da frota e, no sentido de responder melhor às necessidades do mercado e a estratégia de...

    Hildebrando de Melo na 15º Bienal de Havana em Cuba

    A 15ª Bienal de Havana, que ocorrerá de 15 de novembro de 2024 a 28 de fevereiro de 2025, contará com a presença do...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto