Os restos mortais do agente da Polícia Nacional, Adilton da Silva, de 27 anos de idade, morto no dia 12 deste mês por marginais quando tentava socorrer estudantes que estavam a ser assaltados na via pública, foram hoje a enterrar no cemitério da Camama.

De acordo com o “Novo Jornal”, no velório que aconteceu nos arredores da Calemba, em Luanda, por volta das 9 horas, Arilton da Silva foi graduado a título póstumo com a patente de 3° subchefe.

A cerimónia contou com a presença do Comandante do Centro de Formação de Adestramento de Cavalaria e Cinotecnia da Polícia Nacional, membros do Conselho Superior de Polícia Oficiais Comissários, Superiores, Subalternos, Agentes, Trabalhadores Civis familiares e amigos.