“Banco Sol com resultados positivos em 2020”

0
195

A Assembleia Geral de Accionistas do Banco Sol, S.A. aprovou, na passada sexta-feira, dia 16 de Abril, o Relatório e Contas relativo ao Exercício de 2020, cujo resultado positivo duplicou, face ao ano de 2019, isto apesar do ano transacto ter sido marcado pela pandemia do COVID – 19, com efeitos nefastos na economia mundial e nacional.

Já na rúbrica referente ao “Resultado Líquido do Exercício de 2020”, o Banco Sol apresentou o montante de kz 8 818 546 000,00 (oito mil, oitocentos e dezoito milhões, quinhentos e quarenta e seis mil kwanzas), contra kz 4 049 144 000,00 (quatro mil, quarenta e nove milhões, cento e quarenta e quatro mil kwanzas), correspondentes ao período homólogo do ano de 2019.

No que diz respeito ao valor do “Capital Social” do Banco Sol, o mesmo passou de kz 10 000 066 000,00 (dez mil milhões e sessenta e seis mil kwanzas) em 2019, para o triplo em 2020, kz 30 000 066 000,00 (trinta mil milhões e sessenta e seis mil kwanzas) e o total dos “Fundos Próprios” quase duplicou, tendo passado de kz 42 439 893 000,00 (quarenta e dois mil, quatrocentos e trinta e nove milhões, oitocentos e noventa e três mil kwanzas) em 2019, para kz 73 039 736 000,00 (setenta e três mil, trinta e nove milhões, setecentos e trinta e seis mil kwanzas).

Segundo o Balanço de 31 de Dezembro de 2020, o “Activo Ilíquido” aumentou cerca de 10%, de 2019 para 2020, tendo passado de kz 602 708 054 000,00 (seiscentos e dois mil, setecentos e oito milhões e cinquenta e quatro mil kwanzas), para kz 663 881 388 000,00 (seiscentos e sessenta e três mil, oitocentos e oitenta e um milhões, trezentos e oitenta e oito mil kwanzas). O Rácio de Solvabilidade foi de 18,14% para Dezembro de 2020.
Os novos corpos sociais, que tomaram posse em finais de Junho de 2020, no âmbito e cumprimento estrito e rigoroso do “PLANO ESTRATÉGICO DO BANCO SOL DE 2020-2023”, concentraram todo os seus esforços, essencialmente, em três pontos fundamentais, a saber:

1- Recuperação de parte do crédito mal parado, essencialmente de grandes clientes que pagaram, o que natural e, consequentemente, levou a que se registasse uma melhoria dos indicadores do Banco Sol;

2- Diminuição dos custos fixos, sobretudo dos supérfluos, em função do mercado e do enquadramento macroeconómico nacional e internacional, com a implementação de um decréscimo muito cauteloso e eficaz e que acaba por se revelar lucrativo, porque diminuem as despesas.

Segundo o Banco Sol, um dos principais objectivos do citado Plano Estratégico era precisamente “Aumentar a eficiência do Banco Sol e reduzir os custos operacionais”.

2.1 – Com isto, a nova gestão do Banco Sol tem conseguido reduzir substancialmente algumas despesas consideráveis, como foi o caso do encerramento de alguns balcões, em função do estudo da respectiva rentabilidade.

Note-se que estes indicadores também dão corpo ao terceiro dos objectivos do referido “Plano Estratégico do Banco Sol para 2020-23”, que consiste em “Consolidar o Desenvolvimento do Capital Humano” e que é sempre de uma importância primordial, porque o principal factor produtivo de qualquer País ou empresa, é mesmo o Capital Humano;

3- A constante preocupação da Gestão do Banco com o cumprimento rigoroso das regras do Compliance, em linha com todas as normas, instrutivos e exigências do Banco Nacional de Angola (BNA), bem como das normas internacionais de relato financeiro aplicáveis ao sector.

O Banco Sol, que irá completar 20 anos em Outubro de 2021, considera que existem imensas razões para se orgulhar, no sentido de que serão confirmados os objectivos previstos no Plano Estratégico para o quadriénio 2020-2023.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments