Bolseiro angolano termina o mestrado na Índia com distinção

0
83

“Ai de mim senão fosse os estudos”

O país acaba de ganhar mais um mestre na área da ciência e engenharia de computação com a nota 7.5. Trata-se de Francisco Abrantes de Castro , de 26 anos, órfão de pai desde 2006  e desde essa altura decidiu se entregar de corpo e alma nos estudos porque sempre acreditou que a formação é a chave do sucesso.

 Foi o único africano naquele departamento,  e não obstante à situação difícil que se vive na Índia jamais pensou em desistir da sua missão.

Ao Platinaline, Francisco de Castro disse que os estudos na Índia são extremamente difíceis, e que nunca estudou com tanta intensidade em toda sua vida. Segundo o estudante angolano, os indianos são muito aplicados, alguns deles tiram 99.97% na prova e ainda assim ficam insatisfeitos e pedem para repetir o exame.

 

Francisco conta ainda que teve de aplicar-se bastante para estar no mesmo caminho que eles.

“Acredito muito no potencial dos jovens angolanos, mas infelizmente muitos deles pouco se acreditam e procuram caminhos fáceis. Para ganhar fama ou aparecer não quer dizer que tem que fazer coisas que geram polémicas , destacando-se na vossa formação académica/profissional vos dará o melhor reconhecimento. Que sejais mais sérios com o vosso futuro, porque jovem ou adolescente não serás para sempre, a idade não perdoa”.

Por: Sérgio Flávio

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments