Entrevista Exclusiva: Bruna Tatiana "Não guardo ressentimentos"

0
650

 

 

A Platina Line acostumou seus leitores com o que há de melhor no mercado da música e dessa vez trazemos para vocês Bruna Tatiana bastante conhecida no mercado pelo seu excelente trabalho, e nessa entrevista ela nos leva para um pedaço íntimo da sua vida e nos fala do seu mais recente trabalho discográfico e seus projetos como cantora.

 

 

 

Fui Registada como: Bruna Tatiana Lemos Estevão

Nascimento: 11 de Fevereiro de 1978

Na Tv assisto: Programas de entretenimento, decoração, talk shows, desporto, filmes, documentários, moda, reality shows, notícas, música obviamente…

Na Tv não assisto: Na verdade assisto a quase tudo, mas depende muito do meu estado de espírito.

Nas horas livres: Gosto de ler, ir a praia, ouvir música, fazer ginástica, estar com os amigos e viajar quando posso.

No cinema: Basicamente vejo tudo. Comédia, drama, ação, ficção…

Música: Lions, Tigers and Bears de Jazmine Sullivan. A música fala de uma mulher destemida, capaz de enfrentar leões, tigres e ursos. Capaz de atravessar oceanos ou cantar para uma multidão de pessoas mais vulnerável quando se trata de amor.

Prato predilecto: Funje acompanhado com verduras e molhos variados.

O melhor do guarda- roupa: Calça jeans e um vestido preto básico.

Perfume: The one by Dolce & Gabbana.

Mulher bonita: Halle Berry, Salma Hayek…

Homem bonito: Brad Pitt, Denzel Washington…

Animal de estimação: Cães e gatos.

Escritor: Dale Cornegie, pelo escelente livro “How to win friends and influence people”.Uma verdadeira obra sobre a busca e desenvolvimento pessoal.

Melhor viagem: Las Vegas. A cidade das luzes, do jogo, dos shows e dos cenários fantásticos.

Arma de sedução: Atitude.

Sinónimo de elegância: A educação que prevalece nas situações mais prosaicas quando não há festa alguma nem fotógrafos por perto.

Melhor notícia: O nascimento dos meus dois sobrinhos. Riane e Diego.

 

Mania: A persistência e dedicação que coloco em tudo o que faço.

 

Platina Line: Conte-nos um pouco a sua história no mundo da música.

Bruna Tatiana: Bem…comecei a cantar pouco antes de 1997 onde pisei num palco pela primeira vez na Gala da TVC. Creio que esta foi a mola impulsionadora. No grupo Vozes Negras tive a minha primeira escola. Mais tarde fui corista dos SSP com quem aprendi muito. Trabalhei com Don Kikas, BM Genius, Warrant B etc… Lancei então o meu primeiro disco “O meu lado Zouk”. Gravei depois o album “Bruna” pela Rubens Produções gravado no Brasil e misturado e masterizado no Dallas Sound Lab-U.S.A.

Dos prêmios fazem parte Revelação Feminina (Rádio Luanda), Best New Act (Channel O), Artista Revelação (Namibia Fashion). Alguns outros destaques foi o ter sido homenageada num Baile de Debutantes por elevar o nome de Angola internacionalmente. A nomeação ao Kora.

Tive a honra de ter cantado no mesmo palco com varios artistas internacionais, mas o momento mais marcante foi certamente o dueto que fiz com o Sr.Julio Iglesias (o maior cantor romântico do mundo) a música “When you tell me”.

Tive a sorte de ter pisado em vários palcos por alguns países de África e encantei-me com a sua beleza e o som distinto da música Africana.

 

 


P.L: Sei que vem de uma família de músicos, isso teve influência no seu gosto pela música?

B.T: Certamente. O meu pai foi cantor e baterista.Na minha casa cresci ouvindo Louis Armstrong, Otis Reding, Percy Sledge, Aretha Franklin e daí talvez a minha tendência para soul music,embora ouça todo o tipo de música.

P.L: Como avalia o teu percurso musical desde o início ate o presente?

B.T: O meu percurso como todas as coisas teve varios ingredientes. Alegrias, tristezas, injustiças, expectativas, mas o importante foi ter dado sempre o meu melhor. Nunca deixei de acreditar em mim. Conheço bem os meus limites e as minhas capacidades.

P.L: Mudaria alguma coisa no curso da sua vida?

B.T: Não. Não mudaria absolutamente nada. A pessoa indecisa permanece na duvida, na ansiedade, na angústia. A história humana é feita de decisões e eu sou decidida. Assim é a roda da vida, estamos sempre construindo a nossa história.

P.L: Existem muitas limitações em Angola que levam os artistas a gravarem com mais frequência os seus álbuns no estrangeiro!

B.T: Agora já vão aparecendo alguns estúdios, mas o problema maior reside na falta de técnicos especializados na área. E os músicos passam a ser mais exigentes e a primar pela qualidade nas suas obras.

 

 

P.L: Bruna por onde você passa você tem fãs e eles te acompanham mesmo! Seguem com carinho o que você faz. Como é para voce receber esse carinho?

B.T: Realmente apesar de uma longa ausência sempre senti o carinho dos meus fãs. A vida recompensou-me com esta dádiva. Estiveram comigo em momentos menos bons, talvez porque nunca coloquei trancas nas portas e o carinho que recebi contribuiram muito para a minha proteção emocional. Sou-lhes grata.

P.L: Disse em entrevista que seu álbum foi prejudicado pela sua separação, as pessoas não souberam separar o profisional do pessoal, ate que ponto se sentiu prejudicada por isso?

B.T: Dou liberdade as pessoas para que façam aquilo que acham ser o mais correcto: cabe a mim aceitar ou não. Não me senti prejudicada. Arregacei as mangas e descobri que posso fazer coisas que não imaginava. E é nos erros, tropeços e acertos na estrada da vida que vamos crescendo.

P.L: A sua Mãe é uma autêntica defensora  desses e outros assuntos em público e algumas redes sociais, como analisa o facto da sua mamã a defender com muito amor?

B.T: Tenho uma Mãe maravilhosa, nao posso descrevê-la. Apenas dizer que ela é a minha Rainha. Quanto ao defender-me publicamente acho que está apenas a agir como Mãe e tem esse direito.

 

P.L: Disse há algum tempo que posaria nua por um milhão, hoje mantém a mesma idéia?

B.T: Claro que disse e assumo. Embora a nudez envolva hostilidades e comentários maldosos, há uma fronteira entre a nudez aceitável e a obscena. Cada cultura tem as suas etiquetas e as suas formalidades. Muitas vezes passamos por constrangimentos que nos deixam nuas e no entanto estamos vestidas. A nudez pode ser arte. Fascina-me a vida que cada pessoa carrega por detrás das máscaras.

P.L: Orgulha-se do seu passado e do caminho que fez ate aqui?

B.T: Orgulho-me muito do meu passado pois é a minha história. É uma cortina de vidro e assim caminho com firmeza para o futuro.

P.L: O que podemos esperar do álbum “Butterfly 11”?

B.T: É um álbum com 12 faixas sendo a sua maioria em Inglês. Muitos dos temas têm haver com a minha vida pessoal e muitas pessoas certamente se vão identificar com algumas músicas. Vão rever-se nelas. Como cantora estou mais segura, mais madura e o álbum tem composições mais profundas.

P.L: Tens conhecimentos de quantos discos já vendeu somando todos os álbuns lançados até hoje?

B.T: Nunca me preocupei com isso.Tenho apenas dois álbuns num mercado onde não se vendem milhões.

P.L: É vaidosa?

B.T: Sim, sou vaidosa. Gosto de me sentir bonita.

P.L: Perde-se por compras?

B.T: Quando tenho possiblidades.

P.L: Costuma gastar muito dinheiro?

B.T: Gasto apenas o que posso gastar.

P.L: Que cuidados tem com o corpo?

B.T: Faço ginástica.Tenho cuidado com a minha alimentação, mas não sou escrava disso. Bebo muita água. So uso maquilhagem quando é necessário e uso sempre um creme hidratante.

P.L: Tem o coração livre para amar neste momento?

B.T: Não. Está ocupado.


P.L: Apaixona-se com facilidade?

B.T: Não até porque tive sempre relacionamentos longos.

P.L: O que valoriza num homem?

B.T: O carácter.

P.L: É uma mulher romântica?

B.T: Sim, sou uma mulher romântica.

P.L: Continua a estudar? Se sim qual o curso que fez?

B.T: Fiz o colégio de musica no Montgomery College mas quero sempre aprender coisas novas e não excluo a possibilidade de fazer outro curso.

P.L: Quais são as suas perspectivas em termos profissionais para os proximos 6 meses de 2011 e para os próximos anos?

B.T: Quero agora dedicar-me ao lançamento e divulgação do meu disco e tentar levá-lo o mais longe possível porque pode ir além fronteiras.

Nos próximos anos gostaria de trabalhar num mercado diferente, encarar outros desafios, fazer televisão novamente ou algo que me motive tanto quanto a música.

P.L: Até que ponto a fama, o dinheiro e o status trazem felicidade?

B.T: Trazem alguma felicidade quando sabemos gerir as coisas sem atropelar ninguém. Onde colocamos os nossos sonhos geralmente ficamos felizes por termos atingido a meta.

P.L: Você é o espelho e o modelo para várias garotas que sonham em seguir a carreira de cantora. Essa carreira não é facil; que dicas você pode deixar para elas?

B.T: A mensagem que deixo é que se têm talento nunca deixem de perseguir o sonho mesmo no meio dos muitos obstáculos que vão encontrar. Que sejam firmes pois nunca se agrada a toda a gente e portanto tem que ter garra para segurar  as invejas, o desamor, as maldades, as calúnias, mas tudo na vida tem o seu preço. A força depende sempre de nós.

 

Apenas um esclarecimento geral:

Não guardo ressentimentos porque já estou no momento seguinte sem ficar atada aos grilhões do passado prendendo a minha existência. Esqueci as coisas más do passado. Ele nao existe mais. Quero no entanto ser dona absoluta dos meus silêncios. Mereço isso.

Obrigada.

Bruna Tatiana

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments