- Publicidade -

More

    Caio Castro é Dom Pedro I em ‘Novo Mundo’

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    Após quatro anos desde a chegada de Leopoldina (Letícia Colin) ao Brasil e o seu casamento com Dom Pedro I (Caio Castro), que passou pela comovente separação de Noémie (Luisa Micheletti), sua amante francesa, a família real é obrigada a embarcar de volta para Portugal a pedido das cortes portuguesas. Com isso, Dom Pedro se vê obrigado a assumir o lugar de Dom João (Leo Jaime), o seu pai. O caminho do príncipe regente e chefe de família não será fácil, mas ele contará com o apoio de Leopoldina, que, mesmo conhecendo os defeitos do marido, vai ajudar no processo de independência do Brasil e dará força para que continue no cargo.
    Na despedida, Pedro consola o pai, que não queria ir embora do Brasil e lembra que a atitude dele garante o poder da família em Portugal. Ele promete que fará o mesmo protegendo o Brasil, como representante do país. Dom João se preocupa com o filho e o alerta quanto ao risco de os liberais atrapalharem as suas acções. Pede que ele garanta que, se o Brasil for se separar de Portugal, que seja para ele e não para alguns desses aventureiros. Dom Pedro não entende a intenção do pai, mas consente.

    Logo, o príncipe descobre que Dom João, Carlota (Débora Olivieri) e os irmãos foram embora e deixaram o Brasil falido. E, ao tomar conhecimento de que as tropas da guarda real estão sem receber, Dom Pedro se reúne com Thomas (Gabriel Braga Nunes), Avilez (Paulo Rocha) e Chalaça (Romulo Estrela) para definir as prioridades de governo, pois a falta de apoio do povo e das tropas poderá influenciar no tempo de permanência do príncipe no Brasil. Sem segurança, o príncipe fica vulnerável.

    ‘Novo Mundo’ emite todos os dias de segunda a sábado, às 20 horas 00, no Globo HD, posição 10 da ZAP. A novela foi escrita por Thereza Falcão e Alessandro Marson, com Duba Elia, João Brandão e Renê Belmonte e tem direcção artística de Vinícius Coimbra e direcção de André Câmara, João Paulo Jabur, Bruno Safadi, Guto de Arruda Botelho e Pedro Brenelli.

    ENTREVISTA COM CAIO CASTRO

    O que você achou de ‘Novo Mundo’ ter sido escolhida para voltar aos ecrãs? Como recebeu a notícia?

    Fiquei surpreso e muito feliz. Foi um personagem que mostrou momentos distintos do meu trabalho como actor. Está sendo muito legal poder rever isso. E vale destacar a boa iniciativa da Globo em colaborar com o combate da propagação do coronavírus cancelando as gravações e trazendo essas novelas em edições especiais. Foi importante e necessário para enfrentarmos essa pandemia.

    Qual a importância desse personagem na sua carreira?

    Dom Pedro foi um personagem muito importante pra mim. Criei uma conexão especial e inexplicável. Foi quase como se eu tivesse tido uma permissão ancestral para dar vida a esse Dom Pedro. O personagem ganhou o carinho do público e recebeu um destaque muito bacana na trama, foi um trabalho intenso e muito gratificante.

    Qual cena gostaria de rever?

    A cena da declaração da independência, com certeza. Foi um momento muito especial e me emocionei gravando. Retrata um momento histórico do nosso país.

    O que você tem ouvido dos amigos e do público desde que foi anunciada a volta da novela?

    Eu sinto e vejo que a novela conquistou o carinho do público e acredito que isso tem relação com o fato de a trama contar, de forma mais lúdica, um pouco da história do Brasil. As pessoas se identificam, criam uma relação emocional e afectiva. Tenho recebido muitas mensagens bacanas de pessoas que estão felizes com o retorno da novela e de Dom Pedro I.

    Como tem percebido a recepção do público depois de três anos da estreia, em 2017?

    Muito bem. Tem pessoas que querem rever a história que, como disse, criaram uma relação afetiva, outras que não conseguiram acompanhar na época e podem ver agora. Também acho que estamos vivendo um momento frágil e de muita incerteza, e ter algum entretenimento que leve um pouco de alegria e diversão para as pessoas é muito bom e bem-vindo.

    Tem alguma característica ou algo que aprendeu com o personagem que ficou para a sua vida?

    Faz tanto tempo, mas acho que de Dom Pedro I ficaram os ensinamentos da aula de violino. Ainda sei tocar algumas músicas. Também aprendi um pouco mais sobre cavalos, a montar, e consegui me relacionar melhor com eles depois da novela.

    Como ficou a relação com a equipa?

    Conheci grande parte durante o trabalho e ainda falo com a maioria, até hoje. Temos um grupo e nos falamos por lá.

    Share this
    Tags

    A Bombar

    Evento com Leandro Karnal em Angola Tem Procura de Ingressos Recorde

    A febre pelo conhecimento e desenvolvimento pessoal dispertou muito interesse dos angolanos> ! O evento CONNECT, que traz o renomado historiador, escritor e professor...

    Pedro Gonçalves chega à marca dos 50 jogos com Palancas Negras

    Por: Helder Lourenço O seleccionador Pedro Gonçalves atingiu a marca dos 50 jogos como timoneiro da selecção nacional de Angola e descreve este marco como...

    Sérgio Moikano revela motivos que o levaram a sair do grupo “Deixaram-me no Zango 8 mil, saí de lá de candongueiro às 3h, só...

    Durante uma entrevista feita, recentemente, no programa 'A Tarde é Nossa', da Tv Zimbo, o kudurista angolano Sérgio Moikano revelou verdadeiramente os motivos que...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto