Como definir o angolano inovador moderno autentico ou um imitador compulsivo

0
165

 

 

 

Vivemos neste momento a era do boom da internet e das redes sociais mas acima de tudo vivemos a fase mais produtiva e rentável da cultura, educação e artes de Angola e é exactamente nestas três áreas que nos vamos focar com o artigo de hoje .

 

Porque razão o angolano adora meter a foice em seara alheia, ou melhor, o que torna o angolano tão dependente da criatividade alheia e tão intrusivo no trabalho de outrem ?!

 

Por acaso alguma vez já perguntou a sí mesmo a razão de alguns de nós ser tão somente imitadores, mesmo que para os nossos admiradores parecer que na verdade somos inovadores ou simplesmente modernos ?!

Senão vejamos ; de algum tempo a esta parte temos vindo a observar ( e a ouvir ) a população jovem do sexo masculino ( e não só ) de forma constante e desnecessária na maior parte das vezes, usar os termos SWAGGER e BEEFS, muitos deles desconhecendo na realidade o real significado das duas palavras da língua inglesa e com isso apenas perpetuarem a tendência em criar moda ( má por sinal ) com certas palavras estrangeiras por não dominarem o NOSSO PORTUGUÊS, preferindo refugiar a inaptidão ao vocâbulo da língua portuguesa nas expressões imediatistas e/ou de recurso .

 

Porque já não se usam as palavras BANGA, PONGUE ou ESTILO ?!

Porque UNS imitam OUTROS até na construção de frases simplíssimas ?

Já alguma vez notou que o vocâbulo tornou-se tão parco de palavras para muitos dos nossos compatriotas que até na música ouvimos com frequência as mesmas palavras, como por exemplo KARGA, MANA MADÓ etc ?

Será que é moderno ser-se imitador ?

Apercebeu-se de alguma forma, algum dia, que os nossos radialistas ( refiro-me aos homens ) tendem a falar de forma igual e fazem-se quase todos parecer ao Afonso Quintas e Pedro Benge ?!

É-nos oferecido Gato por Lebre ou adoramos viver os efeitos da mesmice e perdoamos vezes várias os prevaricadores e os fazedores destes maus hábitos ?

 

Até no vestir somos seguidistas e vimos com aberração muitos de nós imitar os outros, deixando contudo em muitos casos um aspecto horrível, muitos fazendo de tudo para terem os seus 15 minutos de fama imitando modelos trazidos por figuras conhecidas e vezes há até em que transformam-se nas próprias figuras públicas das quais veneram mas deixando uma imagem plagiadora e enervante.

Não haverá falta de decoro naquilo que o angolano faz e que indubitávelmente nos mancha a todos ?

Na música por exemplo, não estarão certos artistas ( novos, maioritáriamente ) apenas interessados em plagiar certos estilos musicais de alguns artistas consagrados com o único intuito de criar um impacto imediatista e com os olhos virados na sua totalidade nos dinheiros existentes na indústria emergente da música angolana ?

Agora a febre é o Afro/House e como tal TODA A GENTE enveredou por esse gênero musical, uns por um talento inquestionável mas outros ( a maioria ) por não serem autênticos nem terem sequer definido ainda uma ideologia musical que faça deles credíveis e audíveis .

 

Há muitos angolanos talentosos e autênticos dos quais se destacam o Anselmo Ralph, Mara D’Alva, Yuri da Cunha, Yola Semedo, Yuri Simão, Afonso Quintas, C4 Pedro, Dji Tafinha, Kid MC, Kanda, Paulo Flores, Calado Show etc, e estes devem ser tidos e vistos como bons exemplos mas não plagiados, imitados ou explorados na imagem de forma dolosa, para que a juventude actual se sinta capaz e segura e enverede por caminhos próprios e não insista na compulsiva imitação da coisa alheia .


 

Por Joe D’Almeida

Londres 21/05/12

Para a Platina Line

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui