Por: Leo Bernardo

Você já ouviu falar das trufas? Talvez não, , talvez você nunca tenha visto pessoalmente, mas já ouviu falar sobre o alto custo na televisão.

Pois é! Adjane Elaine Gonçalves  Sebastião, uma jovem de 26 anos de idade, nascida e residente na província de Benguela, desenvolveu a criação de gelados extraídos de trufas e seus derivados. No último ano, a jovem angolana criou um gelado artesanal e intitulou-o “Gelados Adja”. Tudo começou no ano de 2020, quando, em época pandémica, procurava formas de se reinventar nas várias estações do ano, foi quando criou a ideia de começar a confeccionar os gelados, desde então, foi só evoluindo.

Mas, afinal, o que são trufas? Certamente você estaria a se questionar. – Na verdade, trufas são nada mais do que tipos de fungo comestíveis mais caros do mundo.

Em conversa com o PLATINALINE, a microempreendedora falou do seu percurso e crescimento ao longo dos tempos. “No início da quarentena, em 2020, eu participava de cultos bíblicos da igreja e decidi abrir um propósito de oração durante sete dias, às 00H00. Durante a oração, certo dia, veio-me a lembrança de uma trufa que comia no Brasil, onde vivi por cinco anos, falei com o meu esposo Wilker, ele, por sua vez, apoiou e me incentivou à comercialização desse produto, daí só foram surgindo mais e mais ideias para o crescimento do projeto, creio que foi Deus quem escreveu e eu só estou a seguir o caminho que ele traçou para mim, pois como ele mesmo diz na bíblia, aquele que tem fé, vence o mundo. Quero muito crescer e ser parte do desenvolvimento empreendedor do nosso país”, disse.

Adjane revelou também que a aceitação do público é positiva. ”Não contava com tanta positividade, estamos virados preferencialmente na satisfação daqueles que consomem os nossos serviços, temos verificado que o produto por si segue seu espaço no mercado local, assim queremos também atingir a expansão no território nacional, meu maior sonho neste ramo, além de ter a minha própria fábrica de gelados de produção nacional e ajudar a minha família, é também de poder ajudar a muitas outras famílias, gerando emprego, queremos, de facto, ser parte da construção desta nova Angola”, finalizou.