Raquel Lisboa é uma das vozes consagradas a nível dos coristas do mercado musical, que completa a magia dos muitos espetáculos realizados em Luanda e pelo país dentro, que começou a cantar aos 13 anos, no coro da igreja. Com o passar do tempo, foi aperfeiçoando o canto até surgir o convite para trabalhar com “Os os Jovens do Prenda”, período este que considera uma escola para si. Profissionalmente, começou a cantar aos 18 anos, e tem como maiores encorajadores Sansão e o amigo Na Maxine.

Fã de Carlos Burity e Madonna, Raquel já fez suporte vocal para muitos artistas do music hall angolano como: Preto Show, Maya cool e muitos outros.

Para fazer com mestria o trabalho árduo de cantar em diversas línguas,  Raquel ouve atentamente às pronúncias das canções e, em caso de dúvida, consulta algum falante da língua em questão.

Quanto ao reconhecimento do seu trabalho, embora existam tantos “prémios / concursos”, porém nunca falam sobre os backvocals (coristas).

Quanto à eventualidade de seguir carreira a solo, Raquel afirmou que pondera tal possibilidade.

Sobre as memórias que marcam a sua carreira, Raquel lembra-se do momento em que viajava a trabalho e o avião quase despenhou, esta é uma das experiências que jamais gostaria de repetir, porém, em contrapartida, a melhor experiência foi de cantar Nany, no Show do Mês.

Para Raquel, se não fosse cantora, seria,  talvez,  veterinária, nutricionista, costureira ou esteticista. Mas é enquanto cantora que quer fazer músicas que sejam como bálsamo para a alma de quem as ouvir.

Talvez não demore muito para que Raquel solte este bálsamo musical aos apreciadores de boa música.

Por: Tê Pascoal (estagiária)