- Publicidade -

Visit arnan.me
More

    Conheça Rlynda, a “Miss Kizomba”

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

     
     
    Apelidada por “Miss Kizombaˮ, a cantora cabo-verdiana prepara-se para lançar novas músicas e muitas novidades. A protagonista do vídeo do C4 Pedro “Muita areia” conta-nos tudo em primeira mão.
    Uma entrevista esclarecedora sobre uma mulher versátil, carismática e lutadora, que divide o seu tempo entre Lisboa e Nova Iorque levando consigo os genes e a beleza africana. A “JLO africana”, como é carinhosamente chamada pelos colegas de profissão mais próximos, concedeu-nos uma entrevista onde fala do início da sua carreira, das viagens, beleza, família e ainda do regresso aos palcos marcado para este Verão.
    PL: A Rlynda Nasceu em Lisboa, mas tens descendência cabo-verdiana. Será que sempre se sentiu próxima da cultura africana?
    Rlynda: Sim, sempre! Os meus pais são cabo-verdianos, cresci com a cultura bem presente no nosso dia-a-dia; cachupa, cuscuz, crioulo, música africana e as histórias de África fizeram parte da minha infância.
    PL: Quando surgiu a paixão pela música, quem foram as tuas influências?
    Rlynda: Recordo-me dos meus 6 anos. Uma fase em que só queria ouvir música e cantar e isso deixava os meus pais muito chateados comigo todos os dias, porque eu cantava muito alto! Influências dessa época foram várias, mas tenho em especial na memória: Cesária, Bana, Ildo Lobo, Kassav, Tina Turner e Jackson Five.
    PL: Antes de ser cantora começou na dança, foi protagonista de vários vídeos que marcam a história da Kizomba, como o vídeo do Eduardo Paim “Boazuda”, o tema “Saudades de Luanda” dos Irmãos Verdade, entre outros. É dessa “geração de ouroˮ da música africana que surge o título “Miss Kizomba”?
    Rlynda: Sim! foram tempos inesquecíveis, tive o privilegio de participar e trabalhar com o “Pai” do Zouk; Eduardo Paim e também com os Irmãos Verdades, onde dancei e fui corista. Foi exatamente daí que nasceu o nome “Miss Kizomba”, porque tive sorte de estar nos projetos que ainda hoje são referência para os jovens cantores.
    PL: Recentemente participou do vídeo “Muita areia” de C4 Pedro onde assumiu o papel de Diva perante 3 grandes nomes da música africana: C4 Pedro, Kaysha e Big Nelo. Qual foi a reação do público quando teve acesso ao vídeo?
    Rlynda: Foi uma experiência muito boa. Admiro muito o trabalho do C4, do Kaysha e do Big Nelo. Estar num projecto com os 3 foi excelente. Eles são muito profissionais. A reacção do público foi fantástica! Recebi muitos elogios, tanto de homens como de mulheres! O vídeo tem sensualidade aliada ao bom gosto e isso me deixou confortável. O som é excelente, a prova são os quase 5 milhões de visualizações.
    PL: Muitas gente que acompanham a sua carreira há pouco tempo podem ter algum tipo de preconceito como “a mulher bonita que participa em vídeos agora quer ser cantora”, mas para quem a conhece, a verdade é bastante diferente, porque além da dança, também trabalhou como corista para vários músicos. Acha que este processo foi importante para a si, sente que o seu passado deu bagagem para dar sequência à carreira que quer construir hoje?
    Rlynda: Sim, quem não conhece e não tenta conhecer pode ter preconceito, mas eu não levo à mal, acho que cada um tem o seu caminho e a vida nem sempre nos deixa trilhar da forma que desejamos. No meu caso erram. Eu estou no mundo da música africana há muito tempo. Já dancei e fui corista de várias bandas; já trabalhei com músicos como: Eduardo Paim, Paulo Flores, Bonga, Bana, Juka, Lura, Kanaua e Tó Semedo. Fiz parte dos coristas escolhidos para acompanhar o Enrique Iglesias na sua estreia em Portugal. Como se diz “tenho muitos km de estradaˮ, muitas viagens e mais importante muitas histórias e uma bagagem que me permite saber o que quero e por onde devo ir.
    PL: Recentemente lançou dois temas: “Eu Quero e “I´m in Love” e está a rolar a notícia de que está a preprar um próximo single o “Meu Lindo”, neste momento a música é a sua prioridade?
    Rylnda: Sim, a música é a minha prioridade neste momento. “Meu Lindoˮ é o meu single que será lançado em Junho para comemorar o Verão. Faz parte de um EP de originais que estou a preparar para os meus fãs.
    PL: Será que em breve teremos uma tour sua, tem vontade de estar em palco e interagir com o público?
    Rlynda: Vamos sim ter a “Miss Kizomba” tour em breve. Neste Verão passar por vários palcos, ir a alguns clubes, apresentar-me ao público e também criar um show diferente, fruto de tudo o que aprendi e da cultura que absorvi estes anos em que estive fora de Portugal. Quero muito partilhar isso tudo!
    PL: Outra das suas paixões é a moda. Já lançou uma linha de roupa nos Estados Unidos e teve boa aceitação. Será que em breve vamos ter uma linha “Miss Kizomba”?
    Rlynda: Eu costumo dizer que a música e a moda estão sempre lado a lado; não existe uma sem a outra. Lancei a marca Rlynda Costure nos Estados Unidos e correu muito bem. Linha “Miss Kizomba” é uma ideia, quem sabe!
    PL: Achamos que todas as mulheres que vão ler esta entrevista quererão saber o seu segredo. Como consegue manter a boa forma, tem algum ritual de beleza para partilhar?
    Rlynda: Obrigada! Não sei se chamo ritual, mas sim cuido de mim, durmo bem, trato da pele, bebo muita água, tenho cuidado com a alimentação, vou ao ginásio quase todos os dias e quando não há tempo treino em casa. Acima de tudo gosto muito de mim!
    PL: Alguma vez sentiu que por “lhe fechamam as portasˮ por ser uma mulher bonita e atraente?
    Rlynda: Ser mulher nesta indústria é complicado, sempre foi e acho que sempre será! O Mundo ainda é dominado por homens; eu própria muitas vezes já senti na pele as dificuldades. A artista querer falar de trabalho e o homem tem outras intenções, mas não é isso que me derruba, pelo contrário isso deve motivar as mulheres a trabalharem para contrariar a tendência.
    PL: Quais são os seus planos para o futuro?
    Rlynda: Os meus planos para o futuro é levar a minha música aos quatro cantos do mundo, tornar as pessoas mais felizes porque a música tem esse dom, tornar o Mundo um lugar melhor, parece um cliché, mas acho que é 100% verdadeiro e se a minha música tiver esse efeito nas pessoas sentirei que a minha missão estárá a ser cumprida.
    Acompanhe a Rlynda nas suas redes oficiais e fica a par das novidades da sua carreira:
    Share this
    Tags

    A Bombar

    Restos mortais de Ângelo Victoriano repousam na Santa Ana

    Os restos mortais do antigo basquetebolista Ângelo Victoriano repousam, desde hoje, quarta-feira, no cemitério do Santa Ana, em Luanda. Ângelo Victoriano, o segundo angolano a...

    Coca-Cola e Química Verde levam água potável à província do Bengo com Biofiltros

    Por Sara Rodrigues Fotógrafo: Joaquim Manuel A Coca-Cola, em parceria com a Química Verde, implementou nesta quarta-feira, 17 de abril, uma iniciativa para proporcionar água potável...

    “O mundo não aprecia coitados nem perdedores”, diz Teresa Sara

    A atual Miss Angola Internacional, Teresa Sara, deixou um conselho para as jovens que a veem como modelo. Em sua abordagem, aconselhou-as a lutar...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto