- Publicidade -

More

    Dina Simão: “O facto de vestirmos calças não quer dizer que tenhamos que tomar o lugar dos homens”

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    No quadro das comemorações do Dia das Mães, a estilista Dina Simão contou a sua experiência de mãe, esposa e outros assuntos relacionados numa entrevista exclusiva ao Platinaline.

    A apresentadora de TV explicou que ser mãe é um dom da natureza, é ver a espécie humana e sua continuidade em afirmação: “ Ser mãe é um sentimento tão especial e puro, que difere de mulher para mulher. Sensação intrínseca que mesmo sem gerarmos no nosso ventre conseguimos amar de tal forma, satisfazendo assim este instinto natural do universo feminino”, definiu.

    Dina Simão contou que se tornou mãe aos 33 anos de idade, pois preferiu priorizar a sua formação académica e a vida artística que estava em alta. Quando achou que não podia lutar contra o relógio biológico depois de ter encontrado a pessoa certa, mergulhou para outros sabores da vida, entre eles a maternidade. A apresentadora do programa “Sexto Sentidoˮ disse mais: “Nunca quis saber o sexo da criança até o dia em que veio ao mundo. Tinha lista de nomes masculinos e femininos. Achava que tinha que conhecer primeiro o rosto para depois perceber que nome casaria com a personalidade da criança, enfim coisas que nos particularizam”, recordou Dina.

     

    A estilista lembrou igualmente que ser mãe torna-se fácil quando a família é participativa e quando o conceito de felicidade é o objectivo comum. Apesar de a mãe ser sempre a acolhedora de todos os bens e males, é importante a sabedoria para edificarmos o nosso lar e tudo isso só é possível com amor, motivações exteriores e interiores e cumplicidade de todos que fazem parte do lar.

     

     

    “Com a fuga à paternidade característica do nosso país, as mães são obrigadas a assumirem, em muitos casos, os dois papéis, daí a sua garra de educadora e orientadora do lar. A mãe do passado tinha outros valores, o seu papel era de submissão ao marido e orientação total da família. A competição profissional era irrelevante”, disse a apresentadora que também  apelou às mulheres de hoje para que sejam mães no verdadeiro sentido da palavra, respeitando seus maridos, dando-se ao respeito e amando a família.

    sexto2.jpg

     

    “Não há mais volta quanto ao empoderamento da mulher, mas que isto não a deixe sega nas suas responsabilidades de educadora, que deixemos de ser egoístas em muitos casos, o facto de vestirmos calças não quer dizer que tenhamos que tomar o lugar dos homens pois uma família feliz, compõe uma sociedade alegre”. Quanto à sua fonte de inspiração, Dina Simão admira a sua mãe, pois foi ela que lutou viúva durante muitos anos para formar e educar as filhas, concluiu.

    Share this
    Tags

    A Bombar

    Dom Caetano aborda dissabores com Carina Santos: “Se a cópia não convence, a música se esquece”

    Dom Caetano, com sua sólida argumentação, detalhou os dissabores que enfrentou com a artista Carina Santos devido à reprodução da música intitulada “Sou angolano”,...

    Banco BCS lança o seu primeiro fundo de investimento

    O Banco BCS, arrancou ontem com a subscrição de um fundo fechado especial de investimento em valores mobiliários, no valor global de 5.000.000.000 Kz. Destinado...

    Angola ocupa 4.ª posição no Ranking Africano de Futsal

    Por Helder Lourenço Após a recente realização do CAN`2024, em Rabat, Marrocos, Angola se destaca ao conquistar a quarta posição no ranking da Confederação Africana...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto