- Publicidade -

More

    Documentário inédito da Globo revela as raízes africanas dos brasileiros

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    Cerca de 51% da população brasileira declara-se negra ou “parda” (mistura de raças), mas são poucos aqueles que sabem dizer qual a sua origem africana. É esse o tema do documentário ‘Brasil: DNA África', resultado de uma parceria entre a Globo Filmes e a GloboNews

    “Durante 400 anos, o Brasil recebeu mais de 5 milhões de africanos escravizados. Foi a maior migração forçada da história da humanidade”, indica o documentário que estreia dia 9, às 22h15, na Globointitulado ‘Brasil: DNA África'. De facto, o mesmo surgiu da vontade dos seus idealizadores de resgatar a história e a cultura dos brasileiros, para construir ou reforçar as heranças negras de cada um, criando assim, a sua própria identidade.

     

     

    Sob a direcção de Mônica Monteiro, do Cine Group, o filme propõe-se a investigar a ascendência e a importância dos africanos na construção do país. Trata-se da história de cinco afro-descendentes e a sua jornada em busca das suas raízes. Uma viagem de auto-conhecimentoao longo da narrativa.O projecto teve início em 2013, durante uma pesquisa histórica, cultural e científica sobre o tema.No total, 150 pessoas de várias zonas do Brasil fizeram testes de DNA e tiveram os seus resultados comparados com os 220 registos de etnias africanas do banco de dados do laboratório norte-americano African Ancestry. Deste grupo, cinco pessoas foram seleccionadas e convidadas a sair das suas terras natais para conhecer as suas origens em África. A produção conduziu-os a países como Nigéria, Guiné-Bissau, Angola, Camarões e Moçambique.

     

    “É incrível o que estamos descobrindo. Embora o porto de Angola fosse uma das principais portas de saída de negros escravizados do continente africano, esses homens vieram de vários lugares. Pretendemos falar sobre essas diferentes rotas”, refere Mônica. Para ela, a prova genética de que foram muitos os povos escravizados ajuda a pôr fim a preconceitos, a partir da existência de um multi-culturalismo no continente africano. “Pessoas com diferentes hábitos, línguas e condições financeiras foram trazidas ao Brasil. Há quem não goste de dizer que a sua ancestralidade vem de homens em condições de escravos. Estamos mostrando que, na verdade, eles foram guerreiros, que atravessaram o Oceano Atlântico, conseguiram sobreviver e ainda criar famílias. Temos de ter orgulho da nossa ancestralidade. Mas, como amar algo que não conhecemos?”conclui.

    O primeiro de cinco episódios vai ao ar no próximo sábado, dia 9 de Julho, às 22h15, no canal 10 da ZAP, com um episódio inédito todos os restantes sábados e repetições às quintas, sábado de manhã e domingo de madrugada.

    Veja o trailer em https://www.youtube.com/watch?v=ae_fzrjHWL0

    Share this
    Tags

    A Bombar

    Total Energies Marketing Angola e BOB ECO inauguram primeiro Ponto de Carregamento de Bateria para Motas Eléctricas

    A TotalEnergies Marketing Angola e a BOB ECO inauguraram hoje, no posto de abastecimento TotalEnergies do Miramar, o primeiro ponto de carregamento de bateria...

    TPA e Dimond Films assinam acordo de estratégia para produção de conteúdos de ficção

    A Televisão Pública de Angola e a produtora Diamond Films assinaram na última quinta-feira, um protocolo estratégico para produção de conteúdos de ficção, que...

    Pedro Yaba leva “simbiose” em obras de arte e fotografias ao MIREMPET

    Por: Ernesto Jaime A forma incansável dos trabalhadores mineiros transformarem a pedra bruta em belas esculturas de mármores, o diamante bruto em refinadas jóias, petróleo...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto