Nesta quarta-feira, dia 21, a actriz Drica Moraes volta no tempo e conversa com Pedro Bial sobre a fase mais desafiadora e incerta de sua vida, o seu transplante de medula óssea e a luta contra a leucemia. Em entrevista tocante e sincera, a actriz compartilha sobre o que definiu sendo a sua “saga da cura” e a relação de gratidão e afecto que tem até hoje com o seu doador, Adilson.

Drica Moraes também conta sobre o processo de adopção do filho Matheus, além de seus trabalhos recentes em produções como ‘Amor e Sorte’ e ‘Sob Pressão’.   
 
Na sua longa trajetória na dramaturgia brasileira, o talento de Drica Moraes não deixa espaço para questionamentos. Responsável por interpretar personagens fortes, divertidos, vilões e mocinhas, a actriz soube conquistar o respeito e a admiração do público.

Em conversa com Pedro Bial, a actriz comenta sobre a sua volta à televisão, em dois episódios da série ‘Amor e Sorte’ e, recentemente, nos dois episódios especiais de ‘Sob Pressão’, onde interpretou, mais uma vez, a Drª Vera Lucia Meiga. Gravando de sua casa, Drica Moraes exalta o talento do director Andrucha Waddington e fala sobre cenas do primeiro capítulo da série, que foi ao ar no dia 06/10, em que sua pragmática personagem defende a ciência e consola a Drª Carolina, vivida por Marjorie Estiano. “Eu me senti um pouco triste de não estar em campo, devo confessar. Eu sou do grupo de risco e houve toda uma preocupação comigo. E eu fiquei muito feliz de que houvesse essa preocupação. (…) Mas eu sabia da importância e fiquei feliz de estar ali, e falando essa frase.” Isso porque, explica a entrevistada, a fala da Drª Vera foi similar ao discurso que ouviu de seus médicos, há dez anos, quando precisou iniciar a sua batalha contra a leucemia. 
 
  Na entrevista, a actriz traça um paralelo entre a sua actuação em ‘Sob Pressão’ e a própria experiência, em uma conversa franca e emocionante. Drica conta a Bial a descoberta da sua doença, as decisões que precisou tomar para seguir em frente e o primeiro contacto e encontro com o seu doador, o Adilson, com quem a actriz fala até hoje: “É o meu oitavo irmão”. Sobre a primeira conversa entre os dois, ela relembra: “Não tinha roteirista para escrever essa história. Eu não sabia o que dizer. Ele falou: ‘Você tá bem, filha?’ E eu respondi: ‘Eu estou bem, e você salvou a minha vida’”. Durante o programa, a actriz aproveita para elogiar o desempenho dos profissionais de saúde: “Toda essa rede de profissionais da saúde, que precisa ser valorizada, e que não está sendo valorizada, eles que me salvaram.” 
 
 Drica Moraes também fala sobre o processo de adopção de Matheus, de 11 anos, e a relação que tem com o filho, que, segundo a própria actriz, ganhou esse nome em homenagem ao actor Matheus Nachtergaele, grande amigo de Drica. A Bial, ela conta que o filho cresceu no meio do que chama de “saga da cura”. 

 Ainda no ‘Conversa com Bial’, Drica Moraes conta sobre a peça ‘A Ordem do Mundo’ e responde ao questionamento do apresentador sobre a relação entre optimismo e esperança: “Optimista não. Eu tenho esperança porque eu tenho fé. Eu tenho fé em uma coisa que eu nem sei o que é. Eu tenho fé no amor que eu deposito nas coisas, eu tenho fé no amor que eu deposito na minha vida, no meu filho, na construção de qualquer coisa que eu boto a mão”. A actriz ainda complementa: “Eu tenho fé de que o amor, a falta de preconceito e o afecto possam mudar o Brasil, o planeta, o mundo e as outras vidas, se houverem.” 
 
 Com direcção artística de Mônica Almeida, o ‘Conversa com Bial’ vai ao ar todos os dias de segunda a sexta-feira, às 23 horas, no Globo HD, posição 10 da ZAP. Pode aceder ainda aos conteúdos Globo em Angola do Globo ON, posição 72 da mesma plataforma.

Foto: Divulgação / Globo