Conhecido pelo seu estilo ousado e diferente como artista fazedor de Kuduro, Francis Boy, ao PLATINALINE, fez saber do seu procedimento enquanto artista.

“Todo mundo cresce, evolui, e deve se reinventar, claramente que quando me desvinculei da produtora, os links reduziram de tal modo que quebraram 70% da minha estrutura enquanto artista, os shows reduziram e muito mais, o que certamente seria o combustível para o próximo nível, mas mesmo assim eu sou forte demais, sou o deus da guerra”, disse.

Depois do sucesso “Conadevo”, Francis Boy traz ao mercado mais um tema diferente que resulta da junção do Kuduro de Angola e o Funk carioca do Brasil, no qual o artista reúne Tchoboly e Sarissari, e juntos dão origem ao Funkduro, homenageando os dois povos. 

Questionado sobre a razão de ter trazido Tchoboly e Sarissari, o músico respondeu: “O Tchoboly é um bom artista, ele é super talentoso, quanto ao Sarissari, embora não seja produtor de instrumentais, assim como eu não o sou, ele canta bem, é atrevido demais, tem uma vibe positiva e diferente, assim como eu, dentro do universo Kuduro, ele está sempre disposto a espalhar alegria, foi no Brasil onde surgiu a ideia, gravamos e guardamos para lançar num momento oportuno como esse em que as pessoas desejam ouvir algo que as possa divertir, esse foi um dos motivos dos quais resultou a uma ideia, de um coro do Sarissari e de uma produção internacional inteiramente da responsabilidade do Tchoboly”, reiterou. 

Em jeito de gratidão, Francis Boy frisou: “Quero aproveitar agradecer ao meu patrocinador oficial, o empresário e promotor de eventos APM, que nunca parou de apoiar os meus projectos, aqueles que me acompanham desde o primeiro sucesso, amigos e familiares, e ao PLATINALINE pelo apoio incondicional a classe artística de Angola”, finalizou.

Por: Léo Bernardo (Estagiário)