IMANNI DA SILVA no combate a homofobia

0
184

V.A.PA.  é uma organização não governamental direccionada a defesa dos direitos humanos. Têm como função proteger e apoiar as minorias, vítimas de discriminação no país,  nas diferentes vertentes.


A modelo ,atriz e artista plástica Imanni Da Silva foi seleccionada em unanimidade para ser porta-voz das minorias sexuais. Ela apoia o grupo no combate a homofobia e juntos trabalham para  que :uma lei que condene actos que agridam e ofendam o cidadão pela sua orientação sexual” seja reconhecida pela nossa legislação.


O vice-presidente da organização, Jeremias Bapassangue,  defende a selecção de Imanni porque: em primeiro lugar tratar-se de um ser humano transsexual de que nada tem a esconder sobre sua história de vida, onde  tal coragem serve de exemplo a sociedade e que melhor do que ninguém sente-se pronta a dar a cara a causas sociais que  de uma forma ou de outra protejem os jovens que têm medo de assumir a sua sexualidade graças as suas consequências;  e posteriormente, trata-se ao mesmo tempo de educar a sociedade a respeitar as diferenças de cada um e passar a vê-los como pessoas normais, úteis,  que querem e podem contribuir para o desenvolvimento da nossa sociedade.
A organização  já tem recebido apoios de grupos internacionais de protecção a comunidade GLBT(gay ,lésbica, bisexual e transgénico).
A V.A.P.A salienta que o seu trabalho nada tem a a ver com a proposta do casamento gay mas simplesmente de consciencializar a sociedade de que discriminar alguém pela sua orientaçâo sexual é um crime que deve ser condenado por lei.


” Tenho amigos que são constantemente vítimas de discriminação e preconceito desde as ruas ao local de trabalho e até alguns que foram demitidos pelo simples facto de acharem que  o seu estilo de vida poderia interferir na imagem da empresa, e o pior para mim é saber de que eles não têm por onde recorrer pois não existe uma lei que os reconheça e isto tem que mas cedo ou mais tarde acabar. É um orgulho pra mim fazer parte deste projecto que a muitos irá ajudar e mudar a forma de pensar e tratar o próximo” disse Imanni da silva.


Neste momento a organização dá os primeiros passos e começa por fazer a recolha de testemunhos de vítimas de homofobia.


“Nós sabemos que para muitos não é facíl assumir e dar a cara  mas mesmo anonimamente  pedimos que as vítimas ou familiares ganhem voz e corajem caso contrário a mudança nunca será alcançada” segundo Jeremias.


Imanni Da Silva reconhece que tem um grande número de seguidores gays e transgénicos de Angola no seu Facebook e convida através de sua página a receber testemunhos de vítimas de discriminação.


“Constantemente recebo mensagens de jovens que se sentem frustrados e  perdidos, pois eles  não conseguem entender o que se passa com eles mesmos e em especial as pessoas que os rodeiam e sempre que posso respondo, incentivo a continuar a viver pois acredito ser minha função de usar a minha experiência de vida em benefício daqueles que dão os primeiros passos na descoberta e busca do seu EU” .


“Está na hora de defendermos os direitos das minorias sexuais que devem ser protegidos por lei das quais são violadas pelos homens”…Jeremias Bapassangue.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui