- Publicidade -

Visit arnan.me
More

    Ingrid Guimarães : Eu tive muita sorte na minha carreira

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    Por: Iraneth da Cruz

    A actriz, humorista e apresentadora, Ingrid Guimarães, nascida em Goiana aos 5 de Julho de 1972, começou a sua carreira artística há mais de 20 anos. Ele ganhou destaque como coadjuvante com a empregada Teresa em Por Amor, da Rede Globo, de 1997. Fez várias participações em seriados da Globo, como: Mulher, Retrato Falado, Brava Gente, Papo Irado e Chico Total.

    Em 2001, Ingrid interpretou a modelo Leandra Borgres na extinta Escolinha do Professor Raimundo, personagem que foi ressuscitada no Fantástico, em 2008, nos quadros As Super Dicas de Moda de Leandra Borges e A Dois Quilos do Verão. Em 2003, ela fez uma rápida participação na novela Kubanacan, como Rosita e depois entrou para o elenco fixo do humorístico Zorra Total.

    De tantos e outros personagens Ingrid Guimarães de 2003 e 2007, foi a protagonista do seriado Sob Nova Direcção, ao lado de Heloísa Périssé. A actriz participou em vários seriados, filmes e novelas sendo assim. Entre 2015 e 2016, Ingrid estrelou ao lado de Leandro Hassum a série Chapa Quente, exibida no lugar de A Grande Família, onde interpreta a cabeleireira Marlene.

    Platina Line: Como está ser interpretar a Marlene no chapa quente?

    Ingride Guimarães: Esta a ser maravilhoso, a Marlene é a heroína do programa, e é uma mulher muito brasileira, que tem que fazer tudo ao mesmo tempo como cuidar da família, do marido, do filho sem baba, ajudar os amigos, cuidar do salão e ainda sim continua bonita. Então isso é muito brasileiro.

    Platina Line: Na sua vida pessoal se revê muito com a Marlene?

    Ingrid Guimarães: Sim eu me identifico muito nela com essa coisa de equilibrar pratos ter marido, filhos trabalho  que eu tenho o privilegio de ter baba e ter pessoas me ajudando,  a Marlene não tem, então eu admiro muito ela e eu acho que eu tenho essa coisa mesmo que ela têm de administrar tudo sempre com humor optimismo apesar dela ser bem brava.

    PL: O humor é o seu forte na profissão que exerce?

    IG: É sim, a maioria das coisas que eu fiz na profissão foram de humor, mas, eu estou com muita vontade de fazer outras coisas que não seja humor depois de 20 anos de carreira. Risos.

    PL: Como foi a preparação do seu personagem?

    IG: A preparação do meu personagem, eu fui para São Gonçalo, um bairro perto do Literoi, um bairro muito quente onde visitamos vários salões, conversei com várias cabeleireiras, as mulheres são muito vaidosas, unhas grandes loiras, gostosas aquele tipo de mulher que consegue trabalhar com salto muito alto, rala para caramba mais sempre de salto alto bem arrumada, mulheres bem voluptuosa. Botei peito, botei bunda mas tudo de mentira, risos.

    PL: A Marlene na serie é muito vaidosa, a Ingrid também é assim?

    IG: Eu sou muito vaidosa sim, sempre fui, mais hoje em dia não tenho muito tempo para isso, porque tenho filha pequena, marido, mas me considero uma mulher vaidosa.

    PL: De vários personagens que interpretou qual é a avaliação que faz sua trajectória?

    IG: Eu tive muita sorte na minha carreira, porque eu fiz muito sucesso eu acabei me tornando uma actriz popular que é uma coisa que eu sempre quis, num país onde poucas pessoas tem acesso a coisas boas eu acho muito legal conseguir chegar ao povo saber que você traz alegria as pessoas, de toda classe social então eu sou muito orgulhosa de ser uma actriz popular de conseguir atingir o povo.

    PL: Que recordações tem da serie Sub Nova direcção?

    IG: Eu tenho muitas saudades, eu e a Heloisa depois de uns bons anos a gente tenta reeditar a nossa dupla,  as pessoas não nos esqueceram, a gente anda na rua as pessoas falam. Que saudades! Era um programa muito puro,  tenho o maior carinho porque foi o primeiro papel muito importante na televisão, agora estamos a querer se reencontrar para gente fazer um papel junto.

    PL: Como uma actriz versátil o que é mais fácil atingir os telespectadores, fazer rir ou fazer chorar?

    IG: As pessoas falam que fazer rir é muito mais difícil, mas para mim não é, risos. Porque eu acho que a comédia é um dom que você nasce com ele é uma matemática é uma música, então para mim é muito fácil fazer cenas dramáticas. Eu tenho que me concentrar mais porque eu faço menos, mas eu acho que tudo é difícil, risos, a nossa profissão parece leve fácil mais na verdade precisa uma grande dedicação, porque tem dia que você não esta legal, você, esta doente ou perdeu alguém e a nossa profissão lida com a sua emoção.

    Share this
    Tags

    A Bombar

    José Paciência fala sobre preconceitos no seio Artísticos “Nós temos lutado com pessoas erradas”

    Em um mundo onde a arte é muitas vezes definida por fronteiras rígidas e expectativas preestabelecidas, José Paciência com uma carreira marcada por obstáculos...

    INADEC realiza 1ª edição do fórum de empreendedorismo digital e conscientização empresarial

    O INADEC realizou, nesta Sexta-feira(12), no Ministério do Comércio, a primeira edição do fórum de empreendedorismo digital e conscientização empresarial. O evento teve como objectivo...

    Comité Mister Angola comemora 25 anos de existência com jantar intimista

    O comité Mister Angola celebrou os seus 25 anos de existência, neste Domingo(14), com um jantar intimista que reuniu todos os misteres e patrocinadores...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto