- Publicidade -

More

    IURD esclarece em conferência de imprensa o desfecho da situação que dividia a referida instituição religiosa em duas alas “brasileira e angolana” 

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    Após quatro anos de interrupção das suas actividades religiosas, fruto de um conjunto de denúncias que chegaram ao Ministério Público proveniente de um grupo de ex-pastores e dissidentes, a direcção da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola realizou, nesta terça-feira (16), no Condomínio Laranjeiras, em Talatona, a conferência de imprensa que visou esclarecer o desfecho sobre a situação que dividia a referida instituição religiosa em duas alas: a Brasileira e a Angolana.

    A conferência foi presidida pelo Presbítero Geral da Igreja Universal em Angola, Alberto Segunda, na presença de alguns pastores e obreiros, na qual se destacou dois pontos elementares: “situação jurídico-legal da igreja” e a “reabertura dos templos”.

    Sobre a situação Jurídico-legal da igreja, Alberto Segunda esclareceu, na ocasião, que a igreja Universal é única e indivisível, e deixou claro que venceram a causa em tribunal.

    “Nós vencemos a causa em tribunal, temos toda a documentação comprovada. O que levou a igreja ao tribunal são crimes, é o que os nossos irmãos alegavam serem os legítimos porque achavam que havia crimes e agora que não há crimes, eu acredito que a questão da legitimidade da liderança é um não assunto, o que as pessoas têm que fazer é acatar com aquilo que o juiz determinou, sentenciou e vamos em frente”, referiu.

    Entretanto, para o advogado defensor da causa, Pinto Luís, a decisão foi favorável à igreja por provas infundadas: “A decisão foi favorável à igreja por provas infundadas, percebeu-se que eram meramente acusações, foram absolvidos os réus e o tribunal, fruto desta decisão judicial, emitiu um ofício judicial a notificar o comando da Polícia Nacional, o Instituto Nacional Para os Assuntos Religiosos, no sentido de fazer a devolução de todos os templos e dos bens que se encontravam apreendidos em torno deste processo”, explicou.

    Quanto à reabertura dos templos, que é uma decisão do tribunal, de acordo com o acórdão do Tribunal Comarca de Luanda, o líder religioso esclareceu que já não há nenhum obstáculo legal e garantiu que os templos serão reabertos de forma gradual.

    “Actualmente não existe nenhum obstáculo legal à direcção da Igreja, e em face deste facto já foi possível efectuar a reabertura gradual de alguns templos e com toda a certeza faremos nos demais, tão logo as condições técnicas e de infra-estrutura estejam reunidas para tal, como já ocorreu em Cabinda e em Benguela”, esclareceu.

    Por: Nunes Hebo

    Foto: Gerson Cambundo

    Share this
    Tags

    A Bombar

    Casal presidencial passeia pelas dunas do Parque Nacional do Iona

         O Presidente da República andou de moto nas dunas do Parque Nacional do Iona. Um momento de descontracção com o qual lançou um...

    TAAG põe fim a acordo com Hi-Fly e volta a assegurar na totalidade voos Luanda-Lisboa

    No seguimento do plano de manutenção e recuperação da frota e, no sentido de responder melhor às necessidades do mercado e a estratégia de...

    Hildebrando de Melo na 15º Bienal de Havana em Cuba

    A 15ª Bienal de Havana, que ocorrerá de 15 de novembro de 2024 a 28 de fevereiro de 2025, contará com a presença do...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto